terça-feira, 30 de junho de 2020

Mais de 135 igrejas vão às ruas para orar por sua cidade nos EUA


O movimento “We Pray San Diego” teve a participação de 135 igrejas e 16.000 pessoas.  (Foto: Rock Church)
O movimento “We Pray San Diego” teve a participação de 135 igrejas e 16.000 pessoas. (Foto: Rock Church)
Milhares de cristãos de diferentes igrejas foram às ruas de San Diego, na costa da Califórnia (EUA), para um grande movimento de oração por seu país, em meio aos protestos raciais e a crise gerada pelo novo coronavírus.

O movimento “We Pray San Diego” teve a participação de 135 igrejas e contou com mais de 7.000 pessoas que foram às calçadas, parques e outros locais públicos para orar por sua cidade.

Miles McPherson, pastor sênior da Rock Church de San Diego, diz que a cidade foi alcançada com força no sábado, 20 de junho, em meio à pandemia e aos protestos.

“Deus pode curar toda a agitação, Ele pode tirar o bem do mal e da dor. Eu creio que veremos uma transformação de San Diego e nosso país à medida que passarmos por isso”, disse McPherson.

Em sete locais de oração diferentes, pessoas levantaram as mãos em oração, clamando a Deus por sua cidade. McPherson acredita que os frutos do movimento de oração poderão ser vistos nas próximas semanas.

“Eu sei que Deus sempre ouve nossos clamores, e mal posso esperar para ouvir o que Deus fez, não apenas no coração das pessoas, mas nas famílias e empresas, na saúde e nos relacionamentos das pessoas”, disse o pastor. “Acredito que nos próximos dias, semanas e meses, veremos o fruto do que aconteceu hoje”.




O movimento “We Pray San Diego” teve a participação de 135 igrejas e 16.000 pessoas.  (Foto: Rock Church)

Entre os participantes estavam supervisores municipais, prefeitos, membros do congresso americano e outros 8.600 que acompanharam online através das mídias sociais.

O movimento de oração por San Diego é um dos exemplos de cristãos que estão se levantando para travar uma batalha espiritual em tempos turbulentos. As orações também percorreram as ruas de Minneapolis, que foi palco da morte de George Floyd.

Em Atlanta, milhares de cristãos se reuniram no dia 11 de junho para se opor ao racismo e orar juntos durante a “March on Atlanta” do Movimento OneRace. Mesmo em cidades menores como Lakeland, na Flórida, cristãos se uniram em oração para declarar: “Em nome de Jesus, o racismo deve morrer”.



FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

segunda-feira, 29 de junho de 2020

Entrevista com Pr José Ivan ISLI - International Christian Bible & Seminary

Igrejas devem reabrir sem cantar para evitar propagação do coronavírus, na Inglaterra


As atividades das congregações devem ser reabertas a partir de 4 de julho, 

com recomendações de segurança nos cultos.


FONTE: GUIAME, COM

Membros observam o distanciamento social e outras precauções para realização de cultos. (Foto: Carolyn Cole / Los Angeles Times)
Membros observam o distanciamento social e outras precauções para realização de cultos. (Foto: Carolyn Cole / Los Angeles Times)
O Departamento de Habitação, Comunidades e Governo Local emitiu nova orientação na segunda-feira (22), antes da reabertura das igrejas para cultos, prevista para o dia 4 de julho. Nas novas diretrizes foram estabelecidas diversas regras para as igrejas antes de reabrir para o culto público, entre elas um guia de conduta sugere que não haja o canto congregacional


Segundo o Premier, o Departamento tem trabalhado com a Public Health England, que vem realizando testes sobre o impacto do canto na propagação do coronavírus. Alega-se que a projeção da voz afeta diretamente a distribuição de partículas. As normas oferecidas pelas autoridades, assim como outras orientações publicadas no documento, não proíbem oficialmente o canto. A orientação afirma que existe uma diferença entre o que a igreja pode e deve fazer.

Onde as orientações afirmam que uma atividade deve ocorrer, é porque é um requisito sob os Regulamentos de Proteção à Saúde (Coronavírus, Restrições) (Inglaterra) 2020 e, portanto, é um requisito legal. No caso do canto congregacional é uma sugestão. No entanto, é altamente recomendável que se considere seguir os conselhos dados para reduzir o risco de transmissão da Covid-19, afirmam as autoridades sanitárias.

Falando na Câmara dos Comuns na semana passada, o primeiro-ministro Boris Johnson disse que "pediremos às pessoas que sigam orientações sobre contato social, em vez de legislação", mas pediram que o público seja vigilante.

Responsabilidade e recomendações
Não ficou definido sobre quem é a responsabilidade caso haja uma propagação de coronavírus em um local de culto, para que todos os líderes da igreja sejam instados a seguir as diretrizes.

Outras sugestões no documento sugerem que o dinheiro não deve passar pelas mãos; portanto, as doações online devem ser incentivadas; no entanto, se não houver opção - o dinheiro fornecido deve ser mantido em um contêiner e não tocado por vários dias. Outros aspectos da vida da igreja, como grupos de jovens e escolas dominicais, são permitidos, mas não necessariamente aconselháveis. Os líderes da Igreja são incentivados a realizar avaliações de risco para garantir que todas as atividades sejam "seguras".

Aqueles que desejam prestar serviços ao ar livre são incentivados a tomar precauções extras sobre segurança. Embora as igrejas tenham recebido liberdade para reabrir a partir de 4 de julho, espera-se que muitas não o façam. A Aliança Evangélica diz que as conversas que teve com os membros é que não haverá pressa. Alguns sugeriram que 'igreja híbrida' pode ser o futuro, com opções para assistir online e pessoalmente no futuro próximo.

O CRISTÃO E OS CONFLITOS



O CRISTÃO E OS CONFLITOS

“Algum tempo depois, Paulo disse a Barnabé: Voltemos para visitar os irmãos em todas as cidades onde pregamos a palavra do Senhor, para ver como estão indo. Barnabé queria levar João, também chamado Marcos. Mas Paulo não achava prudente levá-lo, pois ele, abandonando-os na Panfília, não permanecera com eles no trabalho. Tiveram um desentendimento tão sério que se separaram. Barnabé, levando consigo Marcos, navegou para Chipre, mas Paulo escolheu Silas e partiu, encomendado pelos irmãos à graça do Senhor”, (At 15.36-40).

Desde a criação do homem, os desentendimentos e conflitos acompanham a humanidade. O ser humano é alguém que vive permanentemente em conflito, seja consigo mesmo, com o próximo ou até mesmo com o Criador. São os mais variados motivos causadores.

O texto acima relata o desentendimento entre dois obreiros de Deus, Paulo e Barnabé. O motivo? Aparentemente insignificante, mas que provocou certo mal-estar entre eles e com aqueles que os cercavam: “...Tiveram um desentendimento tão sério que se separaram”.

As Escrituras mencionam outros episódios igualmente lamentáveis de falta de entendimentos pessoais. Na igreja de Corinto, por exemplo, Paulo faz referência as dissensões existentes entre irmãos, (1Co 11.18). Aos Gálatas o Apóstolo os compara aos animais, tamanha era a desavença entre eles (Gl 5.15). Tiago de igual modo menciona a razão de muitas guerras e contendas: “de onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês? Vocês cobiçam coisas, e não as têm; matam e invejam, mas não conseguem obter o que desejam. Vocês vivem a lutar e a fazer guerras...”, (Tiago 4.1 e 2).  Mas, quais são as causas de tantos conflitos existentes hoje entre os homens?

Conflitos internos, pessoais. O homem, naturalmente enfrenta dilemas, conflitos pessoais. Muitas vezes são as dúvidas e questionamentos existenciais. Interrogações como: que profissão seguir? Que faculdade fazer? Com quem casar? Quantos filhos? Onde morar? São conflitos que levam obrigatoriamente a tomada de decisão. Outras áreas conflitantes, como: quem sou? De onde vim? Para onde vou? Outras relacionadas ao pecado. Paulo, faz referência ao conflito interior que o desafiava: “Não entendo o que faço. Pois não faço o que desejo, mas o que odeio. E, se faço o que não desejo, admito que a lei é boa. Neste caso, não sou mais eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim. Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne. Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo. Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo”, (Romanos 7. 15-20). Tais conflitos angustiam e tiram a paz e devem ser administrados sob a orientação espiritual.

Conflitos horizontais, com o próximo. São muitos os fatores causadores, por exemplo: quanto as opiniões, ou ponto de vista de cada um, quanto ao gosto ou preferências, como time de futebol, ideologias e partidos políticos, religiões, crenças, etc. Pessoas altamente ambiciosas e sem caráter buscam a projeção e a riqueza a todo custo. Tais pessoas não respeitam limites e usam de agressividades e violências contra o seu próximo passando por cima de toda a lei e a ética. Hoje estamos vivenciando em nossa nação, uma crise jamais vista, fruto exatamente dos conflitos políticos, econômicos, sociais, egoísticos, imorais, ilegais, injustos.

Os conflitos geralmente causam suas consequências. A discordância é natural, afinal cada um de nós temos nossa linha de pensamento distinto e preferências divergentes. Na vida devemos entender que as divergências ocorrem. “Duas pessoas andarão juntas se não tiverem de acordo?”, (Amós 3.3).  Paulo e Barnabé naquele momento face ao desacordo seguiram caminhos opostos.

Conflitos verticais, com Deus. Outra grande área de conflito do homem se dá para com o Criador. É impressionante como existem pessoas que lutam contra Deus e fazem de tudo para afrontá-lo. Os ateístas fazem de tudo para provar a inexistência do Criador, inútil. Os pecadores querem continuar com seu estilo de vida e se justificando que Deus é amor e não irá condená-los. Estão enganados. Os religiosos ensinam o falso evangelho com objetivos de benefícios pessoais. Certamente irão prestar contas. Enfim poderíamos continuar mencionando muitos outros fatos atuais que indicam a luta do homem sem o mínimo de pudor e temor provocando o Senhor.

Conflitos sempre existirão, afinal vivemos num mundo caótico e entre seres imperfeitos. Porém, no que depender de nós vivamos em paz e sejamos promotores da paz.  A Bíblia diz que “ao servo do Senhor não convém contender, mas ser manso para com todos”, (2Tm 2.24).

sexta-feira, 26 de junho de 2020

DECEPÇÕES DA VIDA

O problema da decepção é que ela nunca vem de um inimigo.

DECEPÇÕES DA VIDA
(João 5.1-9)

Nesta narrativa bíblica, Jesus se depara com uma cena não muito diferente do que acontece hoje nos hospitais e prontos socorro de todo o Brasil, multidões de pessoas sofridas, enfermas a espera de um milagre. O quadro ali era de causar tristeza e comoção, pois havia pessoas aleijadas, cegas, enfim acometidas de toda sorte de doenças e enfermidades, que ficavam à beira de um tanque, chamado Betesda. “Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse”. Imagine a expectativa e dependência daquele povo, pois a solução para sua dor dependia de algo alheio as suas possibilidades. E foi ali que chegou Jesus e contemplou um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar curado? O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito, e anda. Logo aquele homem ficou são; e tomou o seu leito, e andava.

Podemos analisar a situação daquele homem que sofria a tanto tempo, trinta e oito anos. Imagine a sua dor, seu sofrimento e sua decepção. Certamente era um homem desiludido com tudo, com as autoridades, com os amigos, com os parentes, consigo mesmo e possivelmente até com Deus.

Podemos definir decepção como: ato de enganar, logro, desilusão. Ou ainda, fracasso de uma esperança; desengano; surpresa desagradável; desgosto, etc. E certamente era este o sentimento de um homem altamente limitado fisicamente, que aguardava o mínimo de ajuda e compreensão de pessoas que pudessem lhe estender a mão. Porém, ao invés disso desrespeitam seu lugar na fila e passavam lhe na frente, e nessa situação os anos passavam e passavam e o homem esperando sua vez que nunca chegava.

As decepções na vida são incontestáveis, elas vêm a todas as pessoas e não respeitam classes sociais, cor, sexo e idade. Nesses dias pós carnaval, por exemplo, milhares de pessoas em todo o país estão no auge da decepção. Desfrutaram as festas carnavalescas, se entregaram aos prazeres, se relacionaram com pessoas, gastaram indiscriminadamente e agora em consequência, a frustração e decepções. 

O homem do nosso texto, certamente estava decepcionado consigo mesmo. Afinal era muito tempo sofrendo, trinta e oito anos. Ele já vira outras pessoas passarem na sua frente. Muitas vezes quando olhamos em volta de nós e vemos o problema em que estamos envolvidos começamos a nos lamentar e nos acusar. Achamos que somos incompetentes, incapazes, limitados, que as coisas boas acontecem a todos menos a nós mesmos. Assim, logo vem a frustração, a baixa autoestima, a falta de fé e o desânimo.

O homem de nosso texto, certamente estava decepcionado com o egoísmo das pessoas, que não lhe davam chance: “Senhor, não tenho ninguém que, ao ser agitada a água, me ponha no tanque; assim, enquanto eu vou, desce outro antes de mim” (João 5.7). Como nos surpreendemos com o egoísmo das pessoas, elas só pensam e estão preocupadas com elas mesmas. Observamos isso nas filas de ônibus, dos trens, metrôs, bancos, no trânsito. É uma correria egoísta inexplicável, ninguém lhe dá a vez.

O homem de nosso texto, certamente estava decepcionado com os falsos amigos. Mas, onde estavam aqueles que eram seus amigos? Será que durante sua vida não houvera feito nenhum? Certamente que sim pois todos nós temos amigos. Mas é que os amigos verdadeiros são poucos e os poucos não estavam ali. Quantos de nós de igual modo também fomos decepcionados pelos amigos? 

O homem de nosso texto, certamente estava decepcionado com a falsa religiosidade. Onde estavam os religiosos? Os serviços sociais da época? Os caridosos? Muitos hoje estão pregando o amor ao próximo, mas a prática é bem diferente do discurso. O verdadeiro evangelho é o que pensa no outro, o que pensa somente em si não é evangelho.

O homem de nosso texto, certamente estava decepcionado até com o próprio Deus. Quantos questionamentos ele deveria fazer. Será que estou esquecido por Deus aqui neste lugar? Como muitos hoje também, quando se veem em momentos angustiantes ou trágicos. Na verdade, há momentos em que nos sentimos abandonados por todos, momentos em que oramos, suplicamos a Deus e nenhuma resposta. diz o salmista: “Mas tu, Senhor, és um Deus compassivo e benigno, longânimo, e abundante em graça e em fidelidade” (Sl 86. 15).

A Bíblia ainda nos diz que o choro pode durar a noite inteira, mas a alegria vem ao amanhecer. Por mais que se prolongue nossa dor, por mais dolorida que seja, devemos aguardar a resposta e livramento do Senhor. O homem de nosso texto, que sofreu por tantos anos, finalmente encontrou sua bênção. Não, como esperava, mas de forma infinitamente superior. Jesus chegou na sua vida. Jesus aproximou e lhe perguntou: “Queres ficar curado? ” (v.6). Foi a pergunta de Jesus àquele homem e logo Jesus mandou levantar e andar. O mesmo Senhor te pergunta hoje: “Queres ficar são? ”  Receba a dádiva do Senhor Jesus em sua vida.

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Trump autoriza reabertura imediata de templos religiosos

Trump autoriza reabertura imediata de templos religiosos

Autorização foi concedida nesta sexta-feira

Presidente dos EUA, Donald Trump Foto: EFE/Stefani Reynolds

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, autorizou nesta sexta-feira (22) que as igrejas sejam reabertas imediatamente durante este fim de semana e ameaçou suspender a autoridade dos governadores caso estes não permitam o funcionamento dos templos.

Em entrevista coletiva, Trump anunciou a classificação de igrejas, sinagogas e mesquitas como locais essenciais, tornando-as cruciais para os EUA em nível federal no contexto da pandemia do novo coronavírus. Hospitais e fábricas de alimentos já estavam nessa categoria.

– Alguns governadores têm considerado essenciais as lojas de bebidas e clínicas de aborto, mas deixaram as igrejas de fora. Isso não está certo, então hoje estou corrigindo essa injustiça e convoca os governadores a permitirem que elas abram agora mesmo – declarou o presidente americano.

O presidente ameaçou suspender a autoridade dos governadores se eles não permitirem o funcionamento dos templos e terminou seu discurso dizendo: “Os Estados Unidos precisam de mais oração, não menos”.
Trump disse que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA em breve fornecerão mais informações sobre as recomendações a serem seguidas.
Apesar das ameaças do presidente, as autoridades estaduais e municipais têm o poder de decidir se querem ou não retomar a atividade econômica e social em uma região. No nível federal, o CDC apenas emite recomendações, que os governadores então implementam conforme julgam conveniente, dependendo de como a pandemia afeta a sua população e os recursos hospitalares disponíveis.
Embora a decisão caiba às autoridades estaduais e locais, o presidente tem apelado repetidamente pela “liberação” daqueles estados com medidas de contenção mais rigorosas, como Michigan, governado pelos democratas, chave para as eleições presidenciais de novembro.

Fonte Pleno.News - *Com informações da Agência EFE





sexta-feira, 8 de maio de 2020

FELIZ DIA DAS MÃES

Dia das Mães 2020 | 3dmonkey



DIA DAS MÃES, UM DIA MAIS QUE ESPECIAL

No segundo domingo de maio é comemorado o “Dia das Mães”. Não poderíamos deixar de mencionar este dia tão especial em que prestamos homenagem àquela que nos trouxe ao mundo. As mães são dádivas de Deus nas nossas vidas. Elas receberam a dura missão da criação, da educação, da instrução, da proteção e do ensino. Não é tarefa fácil e por isso elas devem ser amadas, respeitadas, honradas e merecem todas as homenagens. Quem pode deixar de reconhecer os muitos sacrifícios da mãe que inúmeras vezes passou noites acordada cuidando da saúde do seu filho. É claro que ela nunca mede esforços e sacrifício, pois seu amor de mãe supera todo o cansaço. Sua recompensa é ver o crescimento saudável, a educação, a formação e a realização profissional e familiar, embora muitas experimentem também a ingratidão e o esquecimento por parte de muitos filhos.

A Bíblia Sagrada diz: “Honra a teu pai e a tua mãe, como o senhor teu Deus te ordenou, para que se prolonguem os teus dias, e para que te vá bem na terra que o Senhor teu Deus te dá”, (Deuteronômio 5.16). Isso significa que Deus se alegra quando os filhos amam e obedecem os seus pais. O Senhor Deus dá tanta importância a mãe, que chega a ilustrar ao seu próprio amor para com seu povo: “... Acaso pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que se compadece do filho do seu ventre? Mas ainda que essa viesse esquecer-se dele, eu, todavia, não me esqueceria de ti”, (Isaías 49.14,15).

É claro que existem mães irresponsáveis, indignas que chegam até mesmo ao absurdo de abortar, ou até mesmo de abandonar seus filhos. Mas são casos excepcionais. A Bíblia menciona algumas notáveis mães verdadeiramente dignas de menção:

A primeira mulher, EVA, a mãe de todos os seres humanos. “E deu o homem o nome de Eva a sua mulher, por ser a mãe de todos os seres humanos”, (Gênesis 3.20). SARA, a mãe que destacou a fé: “Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa”, (Hebreus 11.11). Sua fé é inigualável e demonstra o que Deus pode realizar até mesmo diante do impossível. JOQUEBEDE, a mãe de Moisés, (Êxodo 2.1-9). Não mediu esforço para salvaguardar seu filho que veio a se tornar o grande líder Moisés. Quanto orgulho da mãe Joquebede. Quantos filhos se tornam ilustres autoridades na vida os quais jamais devem deixar de reconhecer àquela que teve grande participação no seu sucesso. RISPA, exemplo de mãe que cuida dos filhos e não os abandona nem mesmo após a morte. Com a morte de seus filhos, Rispa tomando um pano de cilício, estendeu-o para si sobre uma pedra e, por cerca seis meses não deixou que se aproximassem deles as aves do céu de dia, nem os animais do campo de noite para que não comessem os corpos de seus dois filhos expostos na terra. Fica a lição para muitas mães que não relutam em abandonar seus filhos que muitas vezes se entregam as drogas e a prostituição. ANA, exemplo de mãe determinada, que não desiste mesmo diante do impossível, que conhece o valor da oração. Ana era estéril e por querer tanto ser mãe tomou a decisão de suplicar o milagre ao Senhor e teve sua oração respondida e se tornou mãe de um dos maiores sacerdotes-profetas do Velho Testamento, (1Samuel 1.10-18). Que a lição dessa mulher sirva para muitas mulheres que desejam ser mãe e não conseguem.

E por fim, não poderíamos deixar de mencionar MARIA, a mãe do Senhor Jesus, (Lucas 1. 30-33). Maria foi agraciada e teve o privilégio de hospedar em seu ventre o Filho de Deus, o Deus Encarnado. E certamente grande foi a sua dor ao vê-lo ser imolado, pregado na cruz em prol dos pecados humanos. Maria a mãe exemplo de humildade e submissão. Sua vida se resume no seguinte ato de obediência: “Cumpra-se em mim segundo a sua palavra”, (Lucas 1.38).

Poderíamos, ainda mencionar muitas outras mães, tanto registradas nas Escrituras como Eunice e outras, quanto na história, como Suzanna Wesley, mãe de John Wesley. Enquanto pregava em Bristol num domingo de Julho de 1742, John Wesley foi avisado que sua mãe estava enferma e retornou às pressas. Mais tarde, enquanto seus filhos estavam ao redor de seu leito, ela disse: “filhos, tão logo eu tenha sido transferida, cantem um salmo de louvor a Deus”.

segunda-feira, 27 de abril de 2020

FUJA DO DESANIMO



FUJA DO DESANIMO
(Josué 1.1-9)

O texto bíblico acima mencionado, trata da missão que Deus transfere para Josué, após a morte do grande líder Moisés. Se tratava de uma responsabilidade das maiores. Josué deveria conduzir o povo que saíra do Egito rumo à Terra Prometida pelo Senhor. Muitas foram as dores, dificuldades, problemas enfrentados desde a saída do Egito. Deus, então, chama Josué e lhe comissiona a prosseguir a frente do povo rumo ao cumprimento de suas promessas. O Senhor confirma a Josué Sua presença diante dos perigos e dificuldades que enfrentará, Josué não estaria sozinho: “Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei”. E lhe dá algumas instruções, e nos chama a atenção, que dentre elas, Deus menciona por três vezes a palavra “ânimo”.    

Ânimo é entusiasmo, coragem, disposição, determinação. Era com esse comportamento que Deus queria que Josué conduzisse o povo a conquistar a nova terra. Por outro lado, a falta de ânimo, ou o abatimento, o desalento seriam impedimentos para alcançar a vitória.

Queremos, assim, trazer esta breve reflexão pastoral, para você nesta semana, pois certamente o desânimo tem se constituído um inimigo constante na vida de todos. O desânimo acontece na vida do pobre e do rico, do branco e do negro, do homem e da mulher, do adulto, do jovem e criança. O abatimento, o desânimo não respeita ninguém, não bate na porta, mas entra sem pedir licença. O desânimo impede a realização de nossos sonhos e projetos, dificulta a conquista da felicidade. Impede mesmo, até a da realização em nossas vidas dos projetos de Deus. O desânimo não acontece somente uma vez, pessoas há que vivem constantemente reféns do desanimo. Pessoas vítimas do desânimo, geralmente contagiam outras e vice-versa. Assim jamais devemos nos entregar ao desânimo, em nenhuma circunstância. O que fazer então para enfrentar tal desânimo?

Primeiro. PROCURE LEMBRAR AS CONQUISTAS ALCANÇADAS EM DEUS. Não são poucas as vezes, que, diante das dificuldades enfrentadas no dia a dia, entregamo-nos ao abatimento de tal forma que nos esquecemos dos inúmeros momentos e fases em que experimentamos a graça e bondade do Altíssimo. A pessoa em estado de desencorajamento, se ver envolvida em pensamentos desanimadores, pessimistas, sem resistência para encarar desafios. Seus pensamentos são que nada dará certo, que não irá conseguir alcançar superar as dores, etc.

Segundo. PROCURE ESQUECER ACONTECIMENTOS NEGATIVOS. Acontecimentos doloridos, tristes e decepcionantes todos nós temos, muitas vezes causados até mesmo por amigos e parentes. Amigos há que só trazem dissabores, que em nada de bom contribuem. São os amigos dispensáveis. Procure deletar tais ocorrências que só causam aborrecimentos e tristezas. Aquilo que não contribui para lhe enaltecer, que não contribui para seu crescimento jogue no lixo. Não alimente de migalhas sua alma. Alimente-se com leitura saudável e edificante, alimente sua alma com as preciosas palavras de Deus.

Terceiro. PROCURE DESCANSAR NAS MUITAS PROMESSAS DE DEUS. Quando você começa a folhear as páginas sagradas irá descobrir a bondade infinita de Deus e quantas promessas existem para sua vida. O Senhor Jesus nos prometeu: “Eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”. Não se entregue ao desânimo, não se deixe abater, você não está sozinho. Descanse nas promessas do Senhor. Atente para as palavras do salmista: “Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará” – (Salmos 37.4,5). No livro de Isaias 43. 1 e 2 está escrito:  “Mas agora, assim diz o SENHOR que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu. Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti”.

Quarto. COMPARTILHE AS BÊNÇÃOS DE DEUS COM OUTRAS PESSOAS. As mesmas lutas e dificuldades que você enfrenta, o desânimo e abatimento que tantas vezes você sofreu, inúmeras pessoas de igual modo sofreram. Você não está só. Deus lhe proporciona muitas vezes passar por lugares estreitos e castigantes para lhe preparar, a fim de compartilhar com outros as experiências. Não somos únicos, não vivemos independentes. Existem milhares de pessoas e muitas ao nosso redor que necessitam de ajuda e conselhos. Não guarde somente para si suas experiências de lutas, dores e vitórias.  Compartilhe com seu próximo as bênçãos de Deus em sua vida e ajude outros a saírem do desânimo, do desencorajamento. Deus não desiste de você.


quarta-feira, 22 de abril de 2020

Goiás e Santa Catarina já liberam cultos

Goiás e Santa Catarina já liberam cultos; Cuiabá, a partir da próxima segunda-feira (27)

Liberações, porém, ocorrem estabelecendo uma série de restrições que as igrejas devem seguir para funcionamento.

Goiás e Santa Catarina já liberam cultos; Cuiabá, a partir da próxima segunda-feira (27)
Foto: Secom/MT
Os estados de Goiás e Santa Catarina, e a cidade de Cuiabá publicaram na segunda-feira decretos liberando os cultos nas igrejas, mas com restrições que devem ser seguidas para o funcionamento.
SANTA CATARINA
Em Santa Catarina, o governador Carlos Moisés anunciou a liberação dos cultos religiosos e do funcionamento de shoppings, centros comerciais, galerias, restaurantes e academias em Santa Catarina para valer já a partir de ontem, dia 21 de abril.
Pela portaria publicada no Diário Oficial do Estado, igrejas só poderão realizar cultos com 30% da capacidade máxima do local e pessoas do grupo de risco, que inclui idosos, imunodeprimidos e imunossuprimidos, não poderão frequentar as atividades religiosas, nem mesmo de maneira individual. O regramento completo pode ser acessado no site coronavirus.sc.gov.br.
A fiscalização dessas medidas, que valem enquanto durar a epidemia, ficará a cargo da vigilância sanitária e das equipes de segurança pública. A flexibilização das atividades pode ser revogada, como destaca o secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino.
GOIÁS
Em Goiás, como divulgado pelo CPADNews segunda-feira (20) , as celebrações religiosas poderão ser realizadas até duas vezes por semana na maior parte do estado. Em outras 19 cidades, entre elas Goiânia, poderá ocorrer no máximo uma vez por semana. Também estão na lista das que poderão ter apenas uma celebração semanal municípios como Anápolis, Rio Verde, Itumbiara, Jataí e Luziânia.
Nas atividades, fieis terão de usar máscaras e deve ser dada prioridade a aconselhamento individual. As igrejas deverão disponibilizar produtos para higienização de mãos e calçados, respeitar 2 metros de distância entre os fieis, proibir o acesso de pessoas de grupo de risco e suspender a entrada quando ultrapassar 30% da capacidade do estabelecimento. Terão, ainda, de aferir a temperatura dos frequentadores com termômetro infravermelho.
CUIABÁ
A Prefeitura de Cuiabá liberou o retorno das atividades religiosas, de qualquer natureza, a partir da próxima segunda-feira (27 de abril).
O horário permitido para realização de cultos, missas, ou outras cerimônias é das 6h às 20h, com no máximo duas celebrações diárias por turno (manhã, tarde e noite), abertas ou não ao público em geral, devendo ser respeitado o intervalo de 1h30 entre elas. Todo o ambiente terá que ser higienizado antes e após a realização de cada celebração religiosa.
O decreto assinado segunda-feira pela Prefeitura de Cuiabá, que disciplina apenas as atividades religiosas, estabelece a lotação máxima de 30% da capacidade total do local, bem como distanciamento mínimo de um metro e meio entre uma pessoa e outra, observando a presença de no máximo uma pessoa a cada 10 metros quadrados.
Terão que ser ofertados, permanentemente, produtos para higienização das mãos, como água e sabão líquido e/ou álcool em gel 70%. Todos os frequentadores terão que utilizar máscaras, assim como voluntários e/ou funcionários.
Terão que ser afixados cartazes informativos e educativos referentes às medidas de prevenção da disseminação do novo coronavírus (Covid-19) em lugar facilmente visível ao público.
O decreto recomenda a diminuição do uso do ar condicionado para climatização dos ambientes fechados, devendo se manter, no mínimo, uma porta ou uma janela abertas, visando a circulação do ar no local. Antes, durante e depois da realização das celebrações religiosas devem ser evitados apertos de mãos, abraços e outras formas de contato físico.
O decreto orienta que, sempre que possível, realizar a transmissão das celebrações pelas redes sociais disponíveis. Além disso, é recomendado evitar, na medida do possível, a presença nas celebrações religiosas de fiéis que se enquadrem nos grupos de risco ao novo coronavírus.
As atividades realizadas pelas entidades religiosas que ocasionem aglomerações de pessoas devem permanecer suspensas.
Fonte: cpadnews / Com informações do Repórter MT, Governo de Santa Catarina e Folha de Pernambuco  

Quais são as lições que a igreja está aprendendo (ou deveria aprender) nessa pandemia?

Quais são as lições que a igreja está aprendendo (ou deveria aprender) nessa pandemia?

sábado, 11 de abril de 2020



PÁSCOA E SEU REAL SIGNIFICADO
(Êxodo 12)

Estamos celebrando a Páscoa. Noutros anos, as pessoas em todos os lugares do país correriam aos shoppings e supermercados em busca de comprar ovos de páscoa, a fim de presentear os filhos, parentes e amigos. Digo noutros tempos, devido o impedimento neste anos devido ao Covid19 que está deixando as pessoas confinadas em casa e todo o comércio fechado. Nesta época as expectativas são enormes para os comerciantes, que esperam um faturamento maior, pois afinal, tornou-se uma data tão comercial, que poucos lembram ou conhecem seu real significado.

Mas, o que realmente é a páscoa? Qual o seu significado? A narrativa bíblica da instituição da Páscoa se encontra no capítulo 12 do livro de Êxodo. Os israelitas deviam aspergir parte do sangue do cordeiro sacrificado nas duas ombreiras e na verga da porta de cada casa. Quando o destruidor passasse por aquela terra, ele não mataria os primogênitos das casas que tivessem o sangue aspergido sobre elas. Daí o termo Páscoa, do hebreu pesah, que significa “pular além da marca”, “passar por cima”, ou “poupar”.

Quando analisamos hoje a comemoração da Páscoa, observamos dois lados. De um lado, pessoas cegas e sem conhecimento, totalmente presas à pratica de algo sem a menor importância espiritual. Pessoas que expressam umas a outras palavras desejando “feliz páscoa”. Outras buscando assistir peças teatrais encenadas e preparadas por atores, acerca do tema. Muitas até se comovem ao verem o sofrimento mostrado, porém não entendem o seu significado.

Por outro lado pessoas piedosas, tementes, conscientes do verdadeiro significado da Páscoa celebram com devoção e contrição este dia, pois sabem perfeitamente que a celebração da Páscoa vai muito além de vinhos, comidas, distribuição de ovos de chocolates e coelhinhos.   

A verdadeira Páscoa apresenta de modo marcante a morte do Cordeiro de Deus. Esse é um tema que deveria ser propagado a toda a humanidade. Infelizmente as pessoas só gostam de ouvir acerca de assuntos que elevem sua autoestima. Que lhes façam sentirem poderosas. Assim, de modo geral, os pregadores não gostam de falar sobre morte, mas são levados a pregar sobre temas que o povo gosta de ouvir e não que necessita ouvir.

Por diversas vezes Faraó negou o pedido de Moisés de libertar o povo de Deus, até que uma praga violenta matou os primogênitos das famílias egípcias, mas os primogênitos dos hebreus foram poupados devido o sangue de cordeiros que foram sacrificados e colocado nas vergas das suas portas, portanto houve sacrifício.

Em Lucas 22.7 Jesus manda seus discípulos prepararem a Páscoa, ou seja, matar um cordeiro. A morte do animal na celebração da Páscoa apontava a morte do Cordeiro de Deus, na cruz: “Isto é o meu corpo dado em favor de vocês; façam isto em memória de mim”, (Lucas 22.7).

A verdadeira Páscoa apresenta o sacrifício de Jesus, o Filho de Deus. Todas as pessoas sabem que Ele morreu, mas poucas sabem o porquê. A simples morte do cordeiro não seria o suficiente para livrar da morte os primogênitos dos hebreus. Era necessário também seguir as instruções de espalhar o sangue nos umbrais e nas vergas das portas.

“Não é suficiente dizer que ele morreu, todos morrem. Não é suficiente dizer que ele morreu uma morte nobre, mártires fazem o mesmo. Devemos entender que não teremos proclamado completamente a morte de Cristo com poder salvador até que tenhamos esclarecido as confusões que a cercam e exposto seu verdadeiro significado para todos, que ele morreu carregando as transgressões de seu povo e sofreu a pena divina por seus pecados. Ele foi abandonado por Deus e esmagado sob a ira de Deus em nosso lugar”, (Is 53.4).

Durante a guerra entre a Inglaterra e França, homens eram convocados para a guerra através de um sistema de sorteio. Numa ocasião, o nome de um certo homem foi sorteado. Quando convocado disse: “Eu não posso ir porque eu já fui e morri há dois anos atrás”. Quando verificaram os seus documentos constataram que havia realmente morrido em uma batalha. Ele então explicou: “Um grande amigo foi em meu lugar”. Napoleão Bonaparte julgou o caso e decidiu que realmente a França não tinha poder legal sobre aquele homem, pois ele já havia morrido na pessoa de um outro.

Jesus foi o grande amigo que morreu na cruz, não por ter cometido algum crime, mas para pagar a nossa dívida com Deus. Assim como Deus libertou os hebreus da escravidão no Egito, Ele quer libertar todos da escravidão do pecado e por isso, enviou seu Filho, para que “todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna”, (João 3.16). Vida esta conquistada com sangue “porque Cristo, nossa Páscoa, foi sacrificado por nós”, (1Co 5.7).

Cristo, nossa Páscoa!

sexta-feira, 13 de março de 2020

Medo do coronavírus ‘não é bom – é pecado’, diz pastor

Medo do coronavírus ‘não é bom – é pecado’, diz pastor

Pastor diz que não é no coronavírus que os crentes devem concentrar sua atenção e preocupações, pois o medo em todo o mundo é muito pior do que o próprio vírus, espiritualmente falando


O evangelista Kenneth Copeland diz que o coronavírus existe há muito tempo e que apenas havia sido uma cepa “fraca” da gripe no passado. Mas, diz Copeland, não é no coronavírus que os crentes devem concentrar sua atenção e preocupações nesta hora

O coronavírus matou mais de 4.750 pessoas em todo o mundo nos últimos meses, com mais de 129.500 casos relatados. Copeland foi ao ar na quarta-feira à noite no canal Victory Channel e disse que o medo que o COVID-19 causou em todo o mundo é muito pior do que o próprio vírus, espiritualmente falando.
“O medo é um espírito. É um espírito maligno, é o espírito da morte”, diz Copeland. “Mas 2 Timóteo 1: 7 diz claramente que Deus não nos deu o espírito de medo, mas de poder, de amor e de mente sã. Esqueça o coronavírus. É uma gripe.
“O medo é uma força espiritual. A fé vem  pelo ouvir e ouvindo a Palavra de Deus. Bem, o medo vem também pelo ouvir e ouvindo a palavra do diabo. O medo tolerado é contaminado pela fé. O coronavírus é uma maldição da lei.
“O medo não é bom. É pecado. É um ímã para doenças e enfermidades. No momento em que você começa a temer por qualquer coisa, o diabo começa a trabalhar em você. Você está dando ao diabo um caminho para o seu corpo.”
Copeland citou Jó 3:25, que diz: “Pois o que eu temia grandemente aconteceu comigo, e aquilo que eu temia me ocorreu. Não estou em paz, não tenho paz, não tenho calma, não posso descansar, a turbulência tem acontecido.”
Copeland diz que o inimigo está fazendo hora extra no povo de Deus nesta hora para mantê-lo em estado de pânico. E a parte triste, ele diz, é que as pessoas estão sucumbindo ao espírito do medo, em vez de viver na fé.
Ele disse que ouviu que alguns pastores de todo o país estão pedindo aos congregantes que não comparecessem aos cultos aos domingos, mas que os assistissem em casa via transmissão ao vivo.
Copeland também citou Romanos 14:22-23, que diz: “A fé que você tem, tem como sua própria convicção diante de Deus. Feliz é aquele que não se condena no que aprova. Mas quem duvida é condenado se comer , porque não é da fé, pois tudo o que não é da fé é pecado. “
“Viver com medo é simplesmente uma decisão”, diz Copeland. “O medo não é de Deus. O medo é a fé em tudo o que você tem medo. Se você tem medo de cobras, você tem fé naquela cobra que ela vai te machucar ou matar.
“Quem é o atormentador? É o diabo. As pessoas são tão atormentadas por esse coronavírus que estão saindo e comprando tudo à vista. As pessoas fazem coisas loucas quando vivem com medo. Mas eu lhe digo, você está apenas perguntando para o vírus e a doença quando você escolhe viver com medo, seja o coronavírus ou perdendo seu emprego ou qualquer outra coisa.Você pode ter medo de qualquer coisa e trazer para si mesmo.
“Nós mudamos do pensamento espiritual para o pensamento carnal. Se você ouvir as pessoas por tempo suficiente, elas chegarão a você e controlarão sua vida. Se você tem medo de algo, isso entra em seu espírito e controla sua vida. Isso foi o que aconteceu com esse coronavírus “.

sábado, 7 de março de 2020

Perseguição faz do Irã a população evangélica que mais cresce no mundo, diz pastor

Perseguição faz do Irã a população evangélica que mais cresce no mundo, diz pastor

O aumento da repressão às mulheres e às pessoas que não são muçulmanas devotas ajudou a alimentar o interesse pelo cristianismo.
  •  
  •  
  • google plus
  •  
  • pinterest
  • Cristãos iranianos em momento de adoração. (Foto: Reprodução/Heart4iran)
    Cristãos iranianos em momento de adoração. (Foto: Reprodução/Heart4iran)
    A população cristã no Irã está "florescendo", de acordo com o Pastor Sam*, que viajou extensivamente pelo país e fez um relatório do que encontrou.

    De acordo com o pastor, um dos motivos é o aumento da perseguição às mulheres e às pessoas que não são muçulmanas devotas, que ajudou a alimentar o interesse pelo cristianismo - combinado com o fato de os iranianos se relacionarem com uma herança persa, não uma linhagem árabe.

    A "religião importada" do Islã, disse Sam, criou dificuldades e dores para o povo iraniano desde a revolução de 1979.

    "Isso fez com que eles se tornassem a população evangélica que mais cresce no mundo", disse o pastor, que agora trabalha com imigrantes iranianos para a América.

    O livro "Operation World", um guia de oração distribuído pela InterVarsity Press, confirma a declaração de Sam, colocando o crescimento do cristianismo no país em quase 20% ao ano.

    Isso significa que, se as tendências continuarem, haverá uma duplicação do número de cristãos convertidos entre os 82 milhões de iranianos durante a próxima década.

    O pastor não ofereceu uma descrição numérica do movimento espiritual, mas várias organizações não governamentais e ministérios – como Iran Alive, Heart4Iran e Elam – classificaram o cristianismo entre 500.000 e 1 milhão de adeptos, com uma estimativa de até 3 milhões de convertidos e outra de 300.000.
    Esses números concorrentes se comparam à presença de meros 500 cristãos no país em 1979, quando os linha-dura religiosos derrubaram a forma de governo de 2.500 anos de monarquia, a fim de estabelecer uma república islâmica em seu lugar.

    Segundo especialistas, o crescimento do cristianismo entre os iranianos parece ser um sinal de abertura a grupos e ideias externas, especialmente entre os jovens. Essa é uma dinâmica importante, considerando a projeção das Nações Unidas de que "[a] metade da população tem menos de 24 anos, um quarto com 15 anos ou menos".

    Uma revolução espiritual
    Apesar das reportagens na TV feitas nas últimas semanas, que mostram iranianos violentos gritando "morte para a América", o pastor Sam diz que na década em que ministrou entre iranianos foi tratado com graça e hospitalidade.

    Ele diz ainda que parece que cada vez mais iranianos estão se separando da fé dos líderes religiosos do país.

    Pelo menos uma dúzia de mesquitas que ele visitou durante uma viagem recente foram abandonadas durante o Chamado Islâmico à Oração na sexta-feira - um dia sagrado para os muçulmanos. "[O pátio] estava completamente vazio", disse ele sobre uma mesquita proeminente. "Durante todo o tempo em que estive no país, vi duas pessoas adorando".

    Uma questão de oração
    Do mesmo modo, os civis no Irã vivem com medo constante do governo e da possibilidade de Israel ou os Estados Unidos tomarem medidas militares contra líderes de linha dura - e serem pegos no meio do conflito, disse ele.

    Eventos mundiais recentes também tornaram difícil para os iranianos que vivem nos EUA e em outros países, disse Sam. Frequentemente, as conexões à Internet são interrompidas e as pessoas têm muito poucas notícias sobre o que está acontecendo com suas famílias.

    O pastor continua otimista sobre o crescimento espiritual contínuo no Irã, apontando que após o 11 de setembro houve uma expansão explosiva do cristianismo - ao contrário das previsões de que o número de igrejas no país diminuiria.

    A oração pelos líderes e autoridades iranianos está no topo da lista, de acordo com o pastor, que disse que a igreja iraniana não pede orações de proteção para si, mas para suas famílias.

    “Eles pediam oração para que o Senhor os usasse, lhes desse coragem, oportunidade e sabedoria contínuas”, finalizou.

    *Nome fictício por medida de segurança.
    FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA BAPTIST MESSAGE