segunda-feira, 19 de junho de 2017

Tiririca desabafa: O Brasil esqueceu de Deus por isso está assim

Tiririca desabafa: O Brasil esqueceu de Deus por isso está assim


O deputado federal Francisco Everardo, mais conhecido como Tiririca, emocionou seus fãs e eleitores em entrevista concedida no Salão Verde da Câmara dos Deputados. Ao ser abordado por repórteres que o perguntaram sobre seu famoso slogan das campanhas de 2010 e 2014, onde pedia voto dizendo que “Pior que está não fica”. Todos esperavam mais uma piada mas o que ouviram foi profundo e profético, como nenhum outro político jamais teve coragem de dizer.
E aí Tiririca? Você também vai ser pego pela Lava Jato, heim? Vai ser delatado por propaganda enganosa. Você disse que “pior que está não fica” e ficou muito pior. O que você tem a dizer pros seus eleitores agora?Era começo de noite em Brasília, numa segunda-feira vazia como quase todas no Congresso Nacional. Segundas e sextas são dias em que tradicionalmente deputados e senadores não comparecem às sessões legislativas. Não é o caso do deputado Tiririca, que por três oportunidades já se deparou com o Câmara dos Deputados completamente vazia, sendo o único que se fez presente na sessão plenária. Nesta segunda não foi diferente, ele era um dos poucos deputados realizando trabalhos nas comissões internas do Congresso. Ao sair de uma das reuniões por volta de 19h45min um grupo de quatro repórteres de TV o abordaram em clima de brincadeira e o perguntaram:
O deputado Francisco Everardo olhou seriamente para o repórter Altair Cardoso, e respondeu:
_ O que eu vou dizer para meus eleitores? É isso que você quer saber? Vou dizer que o Brasil esqueceu de Deus. Por isso está assim. Deus nos disse que ninguém acende uma luz para escondê-la dentro de uma caixa, e sim para colocar a luz no alto de uma casa e assim iluminar a todos que estão ali.
Sabe porque eu estou te dizendo isso? Acabei de sair de uma reunião onde me apresentaram um projeto que quer tirar todas os símbolos de Deus das escolas. Querem tirar a bíblia das escolas, os crucifixos e qualquer imagem que lembre da passagem de Jesus pela Terra. Estão querendo fazer isso dizendo que a Escola não deve ensinar religião. Mas isso não é ensinar religião. É apenas lembrar que temos um pai que ofereceu seu único filho pra nos salvar. Vão substituir a imagem de Jesus pela imagem do presidente. Isso é uma vergonha. Deus deve estar com muita vergonha de todos nós.
Enquanto eu for vivo vou lutar pela honra e pela glória do Senhor. O Brasil hoje está dividido entre pessoas que vivem, matam ou se matam por causa de um partido, ou um político. Pessoas que passam horas do seu dia brigando com amigos e familiares por causa de política. Estas mesmas pessoas não conseguem encontrar um só minuto do seu dia pra conversar com Deus. Estas mesmas pessoas estão querendo tirar Deus das escolas. Já tiraram da casa delas agora querem tirar do coração das crianças. Isso é muito triste, cara. Desculpa se eu não respondi com a piada que vocês esperavam. Mas aqui sou deputado, e estou muito triste com o rumo que o Brasil tá tomando. Não adianta mudar o político que senta na cadeira do presidente se o povo continua afastado de Deus…
Neste momento Tiririca se emociona e com lágrimas nos olhos diz:
_ Desculpa meu amigo, eu não estou bem pra responder a vocês hoje não. Outro dia a gente se fala melhor. Cara, Deus me tirou da fome, da seca e da depressão. Eu não sei nem o que dizer quando vejo que nossos políticos estão virando as costas pra ele… Fiquem com Deus! Amanhã a gente se fala. Hoje não dá…
Os repórteres ficaram em silêncio e também choraram. Respeitaram o desejo dele se retirar do local e tiveram uma aula prática de que nem todo político é igual.


Por 
Josias Oliveira / via Folha Brasil


Nova lei no Canadá quer prender quem contestar ideologia de gênero


Nova lei no Canadá quer prender quem contestar ideologia de gênero

Projeto trata como “crime de ódio” qualquer objeção à agenda LGBT



Após o Canadá aprovar uma lei controversa que permite ao governo retirar as crianças de famílias que se recusam a aceitar a opção dos filhos por determinada “identidade de gênero” ou “expressão de gênero”, o senado canadense vai mais fundo na imposição dessa agenda.
Uma nova legislação poderá fazer com que todos aqueles que negam a ideologia de gênero sejam culpados de cometerem “crimes de ódio”. Sendo assim, esses cidadãos poderão ser multados, obrigados a passar por um treinamento antipreconceito ou mesmo serem presos.
O projeto de lei foi aprovado recentemente pelo Senado do Canadá por 67 a 11. Após mais de um ano de tramitação, essa nova lei visa oferecer “proteção à identidade e expressão de gênero”, adicionando isso ao Código de Direitos Humanos do país, usando as mesmas punições previstas pelo direito penal.
A medida ainda precisa ser aprovada pela Câmara dos Comuns do Parlamento – equivalente à Câmara dos Deputados no Brasil. A Ministra da Justiça Jody Wilson-Raybould defendeu o projeto em nota oficial, onde afirma: “No Canadá, celebramos a inclusão e a diversidade, pois todos os canadenses deveriam sentir-se seguros para serem eles mesmos. Os trans e as pessoas com diversas identidades de gênero devem ter o mesmo status na sociedade canadense. Este projeto faz com que esse status seja explícito”.
Ela disse ainda que “o objetivo desta legislação é garantir que todos possam viver de acordo com sua identidade de gênero e expressar seu gênero como preferirem. Iremos proteger as pessoas contra a discriminação, discurso de ódio e crimes de ódio”.
Ao mesmo tempo, Jordan Peterson, professor de psicologia da Universidade de Toronto, que foi ouvido por um comitê do Senado, afirmou diante dos políticos que essa proposta era uma ameaça sem precedentes à liberdade de expressão. Contudo, suas objeções não foram o suficiente.
O senador conservador Don Plett, um dos 11 que votou contra o projeto de lei, afirmou diante do comitê do Senado que “ideólogos” estavam “usando membros desavisados ​​e, por vezes cúmplices, da comunidade dos transgêneros a impor sua agenda ideológica”.
As novas diretrizes do Código de Direitos Humanos de Ontário “impõe” como norma o uso de pronomes sem gênero. O advogado D. Jared Brown, que também falou diante do comitê, ressaltou que “Se alguém tentar desautorizar essa teoria, poderá ser levado perante à Comissão de Direitos Humanos por ter usado os termos errados ou ser potencialmente culpado de um crime de ódio. Para resumir, nas questões de gênero, seremos todos obrigados ao discurso imposto pelo governo”.
O grupo cristão “Campanha Pela Vida” do Canadá criticou a aprovação desse projeto de lei, classificando a proposta de “tirânica” e que serve apenas para “um tipo de engenharia social” em nome do que é “politicamente correto”.
Por sua vez, o cientista político Jack Fonseca alegou que o argumento de “proteção aos direitos humanos” contido na lei é apenas uma máscara, que visa esconder o verdadeiro efeito desta lei. “Ela não será usada como algum tipo de proteção para defender os transexuais vulneráveis, mas se tornará uma arma contra as pessoas de fé e os canadenses que pensam livremente e se recusam a negar a verdade”, desabafou. 
Por Jarbas Aragão / Com informações Christian Post

domingo, 11 de junho de 2017

Cruzada Liberta-te Itapajé

35 vidas não resistem ao chamado e se rendem aos pés de Cristo na cruzada Liberta-te Itapajé




O Ministério Canaã promoveu na noite de hoje (10), na avenida Osmar Bastos, em Itapajé (CE), a cruzada “Liberta-te Itapajé”. O evento contou com a presença do pastor Jecer Goes, do cantor Ozéias de Paula, de obreiros e supervisores de congregações da Assembleia de Deus Canaã e de caravanas de irmãos que se deslocaram de Fortaleza e de cidades circunvizinhas, além dos irmãos da congregação local e de outras igrejas, totalizando aproximadamente 8 mil pessoas. Desde o primeiro louvor, o Senhor já falava aos corações de vidas, como uma preparação espiritual para o que Deus ainda faria no decorrer da cruzada. Na primeira parte do evento, todos os irmãos presentes celebraram e glorificaram ao Eterno com as canções entoadas pelo Grupo de Louvor e os cantores da Sede. 

Homenagem pelo centenário do PR. Emiliano Ferreira da Costa

Na ocasião, foi feita uma homenagem em virtude da comemoração pelo centenário do saudoso pastor Emiliano Ferreira da Costa, que se vivo fosse, teria completado 100 anos no mês de maio deste ano. A solenidade foi conduzida pelo pesquisador do Movimento Pentecostal no Ceará, pb. Carlos Castro, que apresentou um vídeo com imagens das localidades de Itapajé onde iniciou o trabalho de evangelização e propagação do Evangelho pentecostal pela Assembleia de Deus no Ceará a partir de 1914 e uma palavra do pastor Jecer Goes, externando a sua impressão de ter visitado in loco os lugarejos onde aconteceram as primeiras manifestações dos dons espirituais no estado. 

Depois do vídeo, o pb. Carlos Castro fez a entrega de uma placa alusiva ao centenário do pastor Emiliano Ferreira da Costa a alguns homenageados, por serem parentes de pioneiros do Evangelho na cidade ou terem sido auxiliado o ministério do pr. Emiliano Ferreira na época em que ele pastoreou a AD em Itapajé e, depois, como presidente da AD no Ceará entre 1960 a 1985. Entre os homenageados, estão o filho do pastor Emiliano Ferreira, Uzi Ferreira; o pastor Ezequias Martins Ferreira, pai do pastor Jecer Goes; e o próprio pastor Jecer Goes, que foi aplaudido por toda a plateia, como forma de reconhecimento e honra pelo que ele tem feito em prol do Evangelho no Ceará. A solenidade foi mais uma forma de reconhecimento e consideração pelo trabalho evangelístico e o pastorado do pastor Emiliano Ferreira da Costa. 

Noite de adoração com o cantor Ozéias de Paula

O cantor Ozéias de Paula iniciou a sua participação louvando a canção intitulada “Eu sinto no ar”, e foi acompanhado por toda a igreja que se fazia presente no evento. Mesmo de pé em plena avenida, os irmãos não perdiam a oportunidade de louvar e engrandecer ao Senhor. Na sequência, o adorador cantou as músicas “Meu Deus”, “Oh! Foi por mim”, “Olha” e “Semente”. “Foi uma emoção singular, única. Foi uma noite memorável que marcou a nossa história como cantor evangélico, e eu louvo a Deus pelo ministério que Ele tem dado ao pastor Jecer Goes, que é um ministério de uma unção poderosa que ainda há de contagiar o coração de muitas vidas. Eu estou realmente maravilhado com o que Deus tem feito e está fazendo por intermédio da Assembleia de Deus Canaã”, afirmou o cantor. 

Pessoas foram tocadas pelo Espírito Santo e entregaram suas vidas ao Eterno

A Palavra pregada pelo pastor Jecer Goes teve como base João 3:16, que diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Ao longo da pregação de teor evangelístico, e falou sobre o amor de Deus para com o homem e a transformação que o Senhor pode fazer na vida daquele que crê e entrega a sua vida ao Eterno. Depois do sermão, 35 pessoas se dirigiram ao palco para entregar suas vidas ao Senhor, entre conversões e reconciliações, segundo o Departamento de Discipulado Canaã (DDC) da Sede, que com os seus voluntários deram assistência às vidas. A glória do Altíssimo simplesmente pairou no local do evento, onde muitos irmãos puderam sentir a graça e o agir de Deus em cada detalhe que marcou a cruzada “Liberta-te Itapajé”. 

“Foi uma grande honra para mim, estar aqui na cidade-mãe do Pentecostalismo no Ceará, ao lado dos meus familiares, vendo meu pai e meus filhos, primos e toda a minha família”, disse o pastor Jecer Goes agradecido por ter recebido uma homenagem por ocasião do centenário do pastor Emiliano Ferreira da Costa, na presença de uma parte da sua família. “Olhando para essa multidão, eu sinto que surge o espírito do recomeço. Nós estamos no recomeço. A cruzada aqui em Itapajé foi simplesmente algo incomum, algo sobrenatural. Foi incrível a presença de Deus e o que Deus fez. É incrível que Deus nos deu uma igreja aguerrida e agressiva pelo ide. É incrível como Deus resolveu nos amar. Eu só tenho que agradecer a Deus por termos nos colocado na responsabilidade para fazer o ide de Jesus”, complementou. Nos próximos meses, a previsão é que outras cruzadas sejam realizadas com o objetivo de propagar e essência do Evangelho de Cristo e salvar vidas.

Por Jair Melo / Redação Ministério Canaã

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Caio Fabio: “Na Papuda, fui tratado como se fosse Jesus, por todos!”

Caio Fabio: “Na Papuda, fui tratado como se fosse Jesus, por todos!”

Líder evangélico disse que fez a diferença na cadeia



O pastor Caio Fabio usou as redes sociais nesta terça-feira (30) para comentar os quatro dias que passou na penitenciária da Papuda, no Distrito Federal.
Preso pela Polícia Federal no dia 24, sua detenção foi tratada como boato até que “vazou” um áudio onde ele procurava explicar a situação para as pessoas ligadas ao seu ministério. Dois dias depois, outro áudio, gravado pela sua esposa, Adriana pedia que as pessoas orassem por ele e evitassem falar no assunto, mas ressaltou que Caio Fabio estava evangelizando lá dentro.
Solto com Habeas Corpus no sábado, o pastor postou um breve vídeo nas redes sociais onde afirmou que seus dias na penitenciária foram “de envio apostólico missionário”.  Segundo ele, tudo ocorreu para que cumprisse o que havia pregado na semana anterior, sobre os cristãos serem “cartas vivas”. Declarou que foram “dias de milagres, de graça e de maravilhas” e que teve um sinal singelo “que tudo aquilo foi apenas missão”.
No vídeo desta terça, ele mostra imagens do momento em que foi solto e foi enfático ao declarar que houve choro dos outros detentos pela sua partida. “Eu tenho 136 pessoas de testemunha lá dentro, por que eles me trataram como se Jesus tivesse ido passar 3 noites e um dia na prisão”. O texto que acompanha o vídeo diz: “”Na Papuda, fui tratado como se fosse Jesus, por todos!”
O pastor ressaltou ainda que foi tratado “como um anjo do Senhor por todos: os internos e a administração”. Explicou que recebeu muito “carinho e reverência” e ouviu que cerca de 90% dos que estão na papuda tem o hábito de assistir suas ministrações e programas da Vem e Vê, sua TV online.
O líder evangélico disse que fez a diferença na Papuda, enchendo o lugar de luz e que “está  impregnado para todo lado, como a semente do Reino que vai entrando em todos os lugares”. Finalizou agradecendo a Deus “por tudo isso”.

Entenda o caso

O líder do Caminho da Graça responde na justiça pelo envolvimento no chamado “dossiê Cayman”, uma série de documentos falsos que vieram à tona em 1998, nas vésperas da eleição presidencial. Ele continha dados sobre uma empresa e de contas que supostamente eram controladas por Fernando Henrique Cardoso, candidato à reeleição.
O conjunto de papéis também mostrava depósitos de US$ 368 milhões nessas contas, dinheiro arrecado por meio de propina recebida pela privatização de empresas do setor de telecomunicações.
A participação de Caio teria sido uma intermediação, junto a Lula, o principal concorrente de Fernando Henrique. O pastor sempre negou ser culpado, dizendo ter sido envolvido por terceiros.  Acabou condenado em 2011, mas recorreu. Este ano, por falta de acompanhamento do seu advogado, acabou levado para a prisão

Finalizou agradecendo a Deus “por tudo isso”.

Fonte: gospelprime.com.br




sábado, 6 de maio de 2017

Sucessor do pastor Paul Yonggi Cho defende que volta de Jesus ocorrerá em breve

Pastor acredita que “avivamento final” está próximo de acontecer

O local é do tamanho de um ginásio esportivo, mas serve como local de reunião para cerca de 20 mil pessoas todos os domingos. Localizada na ilha de Yoido, região metropolitana de Seul, capital da Coréia do Sul, a Igreja do Evangelho Pleno é a maior igreja do mundo, contando com cerca de 800 mil membros, que se reúnem em células espalhadas pela região.

A congregação pentecostal está ligada às Assembleias de Deus da Coréia, mas ficou conhecida no mundo todo por causa do seu fundador, Paul Yonggi Cho. Profícuo autor de livros, ele foi se tornando muito influente à medida que a igreja crescia. De muitas maneiras, Cho contribuiu para mudar seu país natal, historicamente budista. Atualmente um terço da sua população é cristã.

Atualmente existem 17 megaigrejas (com mais de 2 mil membros) somente na capital. Mas nenhuma é tão famosa quanto a de Yoido. Seu fundador se converteu a Jesus ainda adolescente, na década de 1950, após a Guerra da Coréia. Ele sempre contava como sua fé cristã o salvou da desnutrição e de doenças.

Em 1958 ele iniciou a Igreja do Evangelho Pleno. Tudo começou com cultos sob uma tenda.

“Vinham tantas pessoas pobres, que não tinham para onde ir, nem trabalho, nem renda”, lembra o veterano pastor.

“Comecei a oferecer a eles esperança [através da Bíblia]. A religião é inútil se não pode dar esperança “, ensina. Um período de avivamento, com curas, batismos no Espírito Santo e milagres consolidou seu trabalho e deu início a megaigreja.

Sua pregação popularizou no país a mensagem que, além da salvação prometia recompensas divinas que incluíam a cura de doenças e a riqueza material. Este seria o “evangelho pleno” que dá nome ao seu ministério.

Acabou se aposentando em 2014, em meio a escândalos financeiros envolvendo a acusação de ter usado 12 milhões de dólares da igreja em um “esquema” montado por Cho Hee-jun, seu filho mais velho, que envolvia venda fraudulenta de ações. Como resultado, o filho de Cho foi condenado a três anos de prisão.

Apesar dos problemas que isso trouxe à Igreja do Evangelho Pleno, incluindo a perda de alguns milhares de membros, o sucessor de Cho, Young-hoon Lee acredita que as coisas irão mudar. “Estamos em um período de desaceleramento”, admite.

Durante um sermão recente, o pastor Lee conduziu mais uma vez a igreja em intercessão pelo povo da Coréia do Norte. Os evangélicos acreditam que, dadas as condições dos seus vizinhos do norte, eles só poderão sobreviver se crerem em Jesus.

Lee sabe do que está falando. Ele é da quarta geração de uma família de evangélicos. Seu avô pregava o evangelho em Pyongyang, atual capital da Coreia do Norte, antes da Guerra. Embora pouco conhecido pelo ocidente, este ano completa um século do grande avivamento que deu início ao movimento pentecostal na Coreia.

Naquela época, Pyongyang era conhecida como a “Jerusalém da Ásia”. Hoje em dia, as igrejas estão fechadas e a pregação é proibida.

Mas Lee não perde a esperança de ver mudanças, especialmente pois entende que o fim se aproxima. Por isso, anuncia: “Vamos ter um novo grande despertamento e avivamento na Coréia”.

Este seria o esperado mover final, apregoado por diversos outros pregadores. “Afinal, acreditamos que Jesus está voltando em breve”, sentencia. 

Por Jarbas Aragão / Com informações do Public Radio International

‘Vamos precisar deixar a Terra em 100 anos’, diz Stephen Hawking



O físico britânico Stephen Hawking alertou que os humanos vão precisar colonizar outro planeta em até 100 anos para garantir sua sobrevivência. Segundo o cientista, o tempo da Terra está se acabando e, se for para a Humanidade sobreviver às mudanças climáticas, colisões de asteroides, epidemias e crescimento populacional desordenado será preciso deixar o planeta e aventurar-se mais longe no Universo.

As declarações de Hawking fazem parte de um novo documentário intitulado “Expedition New Earth”, que integra nova temporada do seriado científico da BBC “Tomorrow’s World”. No programa, Hawking, seu ex-aluno Christophe Galfard e a engenheira Danielle George vão viajar pelo mundo para descobrir como os humanos poderiam viajar, e viver, no espaço.

“Estamos no momento mais perigoso no desenvolvimento da Humanidade. Temos agora a tecnologia para destruir o planeta em que vivemos, mas ainda não desenvolvemos a capacidade de escapar dele. Talvez em cem anos tenhamos que estabelecer colônias humanas entre as estrelas, mas agora só temos um planeta e precisamos trabalhar juntos para protegê-lo”, diz Hawking no programa, segundo o jornal “Metro”.

Em março, Hawking contou em entrevista ao programa “Good Morning Britain” que “aceitou imediatamente” o convite de Richard Branson, fundador do Grupo Virgin, para fazer uma viagem ao espaço. Na mesma entrevista ele disse que estava entusiasmado com a possibilidade de enviar nanorobôs para o espaço para investigar planetas como a Terra a trilhões de quilômetros de distância.

publicado no O Globo

Trump cumpre promessa e assina decreto de proteção à liberdade religiosa

A celebração do Dia Nacional de Oração nos Estados Unidos, ocorrida na última quinta-feira, 04 de maio, foi marcada pela assinatura de um decreto do presidente Donald Trump que garante a liberdade religiosa no país.

Essa era uma promessa de campanha do presidente, que assinou o documento no Rose Garden, em Washington (DC), na companhia de líderes religiosos de diversas crenças, incluindo cristãos, judeus e muçulmanos.

Esse foi o primeiro Dia Nacional de Oração de Trump na Casa Branca, e seu decreto reverte as restrições de atividades políticas em templos religiosos. Essa iniciativa garante aos sacerdotes a liberdade de se pronunciarem sobre questões políticas, algo que estavam proibidos.

De acordo com informações da emissora Christian Broadcasting Network (CBN), o texto do decreto de Trump é uma tentativa de reverter a chamada “Emenda Johnson”, uma seção do código fiscal que impõe imparcialidade política a entidades isentas de impostos, como as igrejas. Essa emenda vigora desde 1954.

“Estamos devolvendo a voz para as igrejas. Ninguém deveria estar censurando sermões ou atacando pastores”, afirmou Trump, garantindo que não admitirá que “pessoas de fé sejam alvo de intimidação ou silenciadas”. Entre os convidados, estava o pastor Franklin Graham, um de seus principais apoiadores.

Trump foi além e instruiu o procurador-geral Jeff Sessions a “definir novas diretrizes” para as agências do governo em relação à classificação das crenças religiosas. Apesar de soar vaga, essa determinação pode ajudar a tornar obsoleta a regra criada pelo ex-presidente Barack Obama, que previa a obrigação de cobertura ao aborto em planos de saúde.

Fim da mordaça

O novo decreto assinado por Trump dificulta a abertura de processos contra pessoas que se recusem a prestar serviços ou alugar espaços para cerimônias de união de pessoas do mesmo sexo. Nos últimos anos, diversos cristãos que atuam como prestadores de serviços foram processados por homossexuais ao se recusarem a, por exemplo, fazer bolos de casamento.

Esse cenário tornou-se o centro de uma enxurrada de processos, todos com vitórias de ativistas LGBT e militantes ateus, contra cristãos, o que gerou uma espécie de “mordaça” sustentada indiretamente pelas leis vigentes.

Os cristãos dos Estados Unidos vinham protestando, continuamente, contra a perda de seus direitos, pois sentiam que sua liberdade de crença estava sendo violada. “Não somos apenas uma nação de paz, mas também um país tolerante”, disse Trump. “Por isso, hoje adotaremos medidas para proteger a liberdade religiosa nos Estados Unidos. Com esse decreto não permitiremos a perseguição religiosa ou a intolerância”, acrescentou.

Ao final, salientou que “liberdade não é algo dado pelo governo, é dada por Deus”.

Por Tiago Chagas / via gospelmais.com.br

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Teólogo pede que igrejas estejam prontas para lidar com o suicídio



A série da Netflix “13 Reasons Why”, que no Brasil ganhou o título de “Os 13 Porquês” é uma das mais comentadas do ano. Tratando de uma questão delicada – suicídio – ela aborda por vários ângulos a relação (ou falta de) entre pais e filhos e a prática do bullying nas escolas.

Apesar de ter sido criticada por muitos, por supostamente incentivar o suicídio, ela ganhou o apoio do pastor Russell Moore, que é professor de teologia e atual presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul, a maior denominação norte-americana.

Ele está exortando os pastores de jovens e, de modo geral, os cristãos que tem filhos adolescentes que abordem em suas igrejas e lares as perguntas levantadas pela série. Apesar de não recomendar que os adolescentes cristãos assistam, pelo fato do seriado defender questões que conflitam com a Bíblia, como sexo livre e relações homossexuais, ele acredita que o assunto principal não recebe atenção das igrejas.

“Se a série mostra alguma coisa, é que há várias razões por trás da decisão de alguém se matar”, escreveu ele em texto reproduzido pelo Gospel Herald.

“Talvez esta controvérsia leve os amigos, os pais e os pastores de jovens a falarem sobre o suicídio, sinalizando de algum modo aos que estão pensando nisso que eles não estão sozinhos nem serão julgados se procurarem ajuda. Talvez faça com que pais ou amigos de adolescentes comecem a falar sobre como agir quando alguém começar a mostrar “razões” para o desespero, podendo compartilhar os fardos com aqueles que precisam ser apoiados”.

Lembrou também que os cristãos não estão imunes à depressão. Moore destaca que a igreja deveria estar melhor preparada para oferecer apoio a um problema que só cresce, a depressão. “Podemos ser o tipo de igreja que fala de vida e esperança para aqueles – de dentro ou de fora dela – que veem a morte como sua única saída”, pediu.

“Os jovens suicidas não são loucos, nem algo ‘raro’”, destacou, lembrando que “podem ser nossos irmãos e irmãs, nossos filhos e filhas que, como todos nós, têm dificuldade em ver as coisas com clareza em algum momento”.

A série da Netflix é baseada no romance homônimo escrito por Jay Asher e publicado em 2007. A obra foi um sucesso e ficou em primeiro lugar na lista de best-sellers do New York Times, em 2011.

Os 13 porquês conta a história de Clay (Dylan Minnette), um rapaz que sofre pela morte de Hannah Baker (Katherine Langford), colega de escola por quem estava apaixonado. Hannah cometeu suicídio, mas deixou um registro sobre as pessoas que influenciaram sua decisão.


Aumento de suicídio no Brasil

O assunto é uma preocupação no mundo todo. Dados divulgados este mês pela BBC mostram que, entre 1980 e 2014, a taxa de suicídio entre jovens de 15 a 29 anos aumentou 27,2% no Brasil.

De fato, a depressão está aumentando em toda a população, inclusive entre os mais jovens. A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta o Brasil como o país campeão mundial do transtorno de ansiedade. Além disso, somos o quinto em número de pessoas com depressão. Aproximadamente 11,5 milhões de brasileiros sofrem com isso regularmente.

O assunto está em “alta”. As buscas pela palavra “suicídio” no Google Brasil aumentaram 100% na terceira semana de abril, em comparação com o mesmo período de 2015. Também foi registrado um aumento repentino na procura por expressões como “suicídio indolor” e “suicídio rápido”.

Nos últimos meses, além do lançamento no país da série 13 Reasons Why, abril também marcou notícias sobre suicídios consumados e tentados que teriam relação com o jogo virtual chamado Baleia Azul, o qual estaria induzindo adolescentes a automutilações e ao suicídio.

Houve casos registrados em diferentes Estados do país, como Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraíba.


Via: Gospel Prime

Pastor Paulo Freire, irmão de José Wellington Jr., diz que opositores na CGADB são “canalhas”


A mais polêmica de todas as eleições já feitas pela CGABD teve novos episódios recentemente, com a decisão da entidade de finalmente suspender a posse do pastor José Wellington Jr, obedecendo ordem judicial, e com o pastor Paulo Freire disparando críticas aos colegas de ministério e à Justiça.

Freire, que é deputado federal (PR-SP) e filho do pastor José Wellington Bezerra da Costa, afirmou que os opositores ao seu irmão são “canalhas”. A declaração, durante a 43ª Assembleia Geral Ordinária (AGO) da Convenção Geral das Assembleias de Deus, repercutiu negativamente.

Em sua fala, o pastor Paulo Freire acrescenta ainda que a enxurrada de liminares que aconteceram ao longo do processo eleitoral, e também as que impediram a posse de seu irmão, só foi possível porque a Justiça é formada por magistrados “corruptos” que teriam vendido as liminares, de acordo com informações do portal JM Notícia.

“Essa convenção é uma convenção de pastores das Assembleias de Deus no Brasil. Essa convenção pertence ao Senhor Deus, e jamais o Senhor Deus irá permitir que canalhas como estes [opositores] venham ocupar a Mesa Diretora [da CGADB]. São canalhas”, berrou o pastor, que se ausentou da votação da Reforma Trabalhista para comparecer à 43ª AGO.



Resposta

O promotor Iaci Pelaes, do Ministério Público Estadual (MPE) do Amapá, reagiu às afirmações de Paulo Freire sobre a integridade dos membros da CGADB, dizendo que é preciso evitar excessos e artifícios.

Confira a nota do promotor na íntegra:

O orador que aparece no vídeo usa de um dos mais banais recursos de retórica banal, que é o desqualificar o oponente, sem qualquer demonstração do se afirma.

Ao que colheu, o orador, deputado federal e filho do atual presidente da CGADB, não demonstra, à luz de provas, como chegou a essa conclusão de que determinados pastores seriam “canalhas”.

Segundo a etimologia esse termo significa pessoa vil, reles, do mais baixo nível, abjeta, desprezível, indigna, patife, sem-vergonha, tratante, sórdida, chulo, dentre outros qualificativos negativos.

Ora, essa espécie de expediente é absolutamente inaceitável num auditório qualificado de uma Convenção de pastores.

No tribunal do júri de Macapá, onde atuo semanalmente, essa espécie de recurso de retórica já foi abolida faz tempo. Aliás o próprio CPP não mais admite.

E não me venha com alegação de que parlamentar tem imunidade na palavra. A uma que o deputado não está na tribuna da Câmara. A duas que o próprio STF já direciona no sentido de que não há direito absoluto.

Assim, a ninguém é dado abusar do exercício de um direito para, dessa forma, ofender a outrem.
Dr Iaci Pelaes – Promotor de Justiça do MPE (AP)

Tréplica

Os integrantes da base de apoio a José Wellington Jr, chamada “Núcleo de apoio à chapa CGADB mais perto de você”, divulgaram uma nota em defesa do pastor Paulo Freire, dizendo que ele não falava como deputado, mas sim como filho e irmão. Confira:

A QUEM INTERESSAR POSSA

Caros companheiros,
Em primeiro lugar é bom frisar que esta equipe não apoia nem endossa a injúria. Por isto temos sempre primado em nossas notas pelo comedimento e educação.
Mas algumas ponderações devem ser feitas acerca do episódio envolvendo o discurso do Deputado Paulo Freire na sessão de ontem na AGO.
Em primeiro lugar é preciso destacar que quem estava falando não era o Deputado Paulo Freire, mas o filho, Paulo Freire.
Filho este que tem assistido, até então em silêncio, o nome, a história e a dignidade de seu velho pai serem enxovalhados e pisoteados por uma minoria (parece que são 30% ou menos) que em termos ministeriais, e comparados ao veterano pastor Wellington, sequer saíram das fraldas.
Este homem viu seu pai por 30 longos anos labutando com sacrifício pessoal gigantesco, dele e da família, para construir uma história sólida e honrada na CGADB, além das décadas de trabalho em outras frentes na obra do Senhor. Para agora lidar com meninos que não tem o bom senso sequer de respeitá-lo como homem, pela história construída. Que confundem oposição de ideias com guerra pessoal.
Bandido, corrupto, ladrão, são os termos empregados por esta gente. Sinceramente, canalha parece pouco como resposta.
Você tem pai? Imagino que tenha, vivo ou in memoriam. Como você ouviria o uso destes termos, anos a fio, para se referirem ao seu velho herói?
Reflita um pouco e responda para si!
O que ele fez, qualquer um com “sangue nas veias” poderia ter feito. E agora fariseus hipócritas postam de bons moços, cheios de domínio próprio, para condená-lo? Imagino estarem sem pecado, por tomarem tão avidamente as pedras!
Atenção senhores: aquele que pensa estar de pé, cuidado para que não caia!
De resto, não nos sentimos ofendidos pela expressão usada, e por isto nada temos de que nos defender.
Não somos canalhas porque não expusemos nacionalmente o nome de nossa Convenção e nossos pastores;
Não somos canalhas porque não transformamos em pecha o título de “pastor”;
Não somos canalhas porque nunca comparecemos à AGO/E com o único intuito de causar confusão e arruaça;
Não somos canalhas porque não temos a ousadia e desfaçatez de olhar nos olhos do meu pastor e chamá-lo de bandido.
Interessante é que tem muita gente aí se defendendo e dizendo que não é canalha. Ora, se não se enquadra no conceito de canalha está se defendendo porquê? Considere ainda que o termo usado se aplica aos que agiram com injúrias, xingamentos e com falta de decoro e ética. Se você não faz parte deste rol, não há razão para indignação.

Por Tiago Chagas / via gospelmais.com.br

domingo, 30 de abril de 2017

Juiz recusa recurso e mantém decisão de suspender as eleições da CGADB

Juiz recusa recurso e mantém decisão de suspender as eleições da CGADB

A ordem judicial é para que novas eleições sejam marcadas com urgência
Da Redação JM Notícia
Nesta quarta-feira (26) o juiz titular Thomaz de Souza e Melo, da 1ª Vara Civil do Rio de Janeiro, manteve a decisão de suspender as eleições da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB) que aconteceram em 9 de abril.
A convenção recorreu da decisão anterior alegando não ter recebido a intimação, porém o juiz citou nos autos que o documento foi assinado por Abiezer Apolinário da Silva (advogado) e Wilson Pinheiro Brandão (Vice-presidente da Comissão Eleitoral).
Ora, não se pode exigir, tal como pretende a Requerida, que a única forma possível de intimação da CGADB seja através de seu presidente”, escreveu o juiz entendendo que impor essa condição seria um obstáculo para o cumprimento das decisões judiciais.
O juiz afirma também que o próprio site da Convenção chegou a postar que as eleições estavam suspensas, mostrando que a entidade teve, de fato, conhecimento sobre a decisão judicial que agora tenta contestar e dizer que não tinha conhecimento.
“Quer-se dizer que, mesmo sabedora a Requerida da decisão que suspendeu o pleito, prosseguiu no seu intento de dar posse aos ‘eleitos’, sem sequer fazer menção ou ressalvas a decisão judicial, como se esta de nada valesse ou sequer existisse“.
O juiz entendeu também que ao noticiar que as eleições estavam suspensas, a CGADB não poderia dar possa à “suposta diretoria eleita”. “Ainda que assim o fosse, não haveria como validar-se aquele pleito, eivado de vícios e tomado pelo clima de insegurança criada no seio dos próprios associados e eleitores”, escreve o magistrado.
A decisão de suspensão do pleito foi mantida e pede a urgência de novas eleições para que a Assembleia de Deus do Brasil não fique sem presidente, mesa diretora e conselho fiscal. Enquanto isso não acontece, do atual presidente, da Mesa Diretora e do Conselho Fiscal.
A decisão também marca para o dia 4 de maio, às 14h, que as partes envolvidas nesse processo, e seus advogados, compareçam na 1º Vara Civil para “cooperar e auxiliar o Juízo na adoção de parâmetros técnicos que viabilizem a realização, o quanto antes, de novas eleições”.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

“Baleia Azul” é um manual à morte

“Baleia Azul” é um manual à morte

Precisamos estar mais atentos ao sofrimento alheio.

O jogo de automutilação que tem desafiado jovens à morte, em todo o mundo, já deixou mais de 130 vítimas na Rússia. Já houve relatos de casos no Brasil. Mas afinal de contas, como é que funciona esse jogo? Aliás, isso é, de fato um jogo?
Pode ser considerado um jogo pelo fato de conter etapas onde, em cada uma delas, o participante é desafiado a cumprir um desafio, que vai desde desenhar a tal baleia numa das partes do corpo até a mutilação em regiões que ficam expostas, e nas que ficam escondidas pela roupa.
A “Baleia Azul” tem sido tratada como jogo, mas eu vejo suas práticas indicarem um manual e um staff às pessoas que tenham leve ou pesada tendência ao suicídio. Afinal, do outro lado tem uma ou mais pessoas me desafiando a ir entrando nesse universo grotesco, o que me faz adentrar a um novo paradigma.
Seria o mesmo que “cozinhar o sapo em fogo baixo” (ele vai se adaptando ao aumento lento da temperatura e, quando “se dá por si”, já foi cozido). As pessoas que vivem em zonas de guerras sofrem certo desconforto no começo, mas depois elas adaptam seus hábitos e conseguem levar a vida o mais tranquilo possível.
As pessoas que estão mais vulneráveis são aquelas que já perderam o gosto de viver pelo fato de já terem passado por muitas decepções ou mesmo que já sofram com algum transtorno psicológico ligado a área da depressão.
Pessoas assim conseguem vislumbrar a vida como um todo e tem consciência de que cedo ou tarde, a morte para ela, e para todos, será um fato inevitável. Adiantar o processo, já que não consegue se dar bem, seria uma “boa”, ainda mais se encontrar apoio para fazê-lo.
A decisão de tirar a própria vida é de foro bastante íntimo, mas que sofre influencias externas. As autoridades precisam dar celeridade ao processo de investigação, captura e punição das pessoas que colocaram esse “jogo” em evidência.
Precisamos estar mais atentos ao sofrimento alheio.  Às vezes o fato de conversarmos e mostrarmos às pessoas que o sofrimento é parte inerente da existência, mas que podemos encará-lo e fazer a vida acontecer de um modo diferente, será um gatilho para que a pessoa tendente à depressão, e ao suicídio, possa fazer uma reflexão profunda sobre si, o mundo e às pessoas a sua volta, passando a entender que elas não estão sozinhas no sofrimento e que podem encontrar apoio para superar as dificuldades.
Quando uma pessoa dá cabo de sua vida, ela não faz mal só à si, mas aos amigos e aos parentes, além de se tornar um exemplo ruim para a sociedade de como não se resolver os problemas pelo “caminho mais fácil”  (da fuga), sem que tenha explorado seu potencial de resolução.
Por Fernandes Pereira / via gospelprime.com.br

Ministério Billy Graham reúne líderes para “despertar igreja” sobre perseguição

Ministério Billy Graham reúne líderes para “despertar igreja” sobre perseguição

Encontro em Washington visa trabalhar com as Nações Unidas para defender a liberdade religiosa

Por iniciativa de seu presidente, Franklin Graham, a Associação Evangelística Billy Graham irá realizar um encontro de lideranças de todo o mundo para fortalecer a defesa dos cristãos perseguidos. São esperados representantes de 130 países.
Entre 10 e 13 de maio, eles estarão reunidos para denunciar a situação dos cristãos perseguidos e “mostrar solidariedade com aqueles que sofrem por causa de sua fé”. O objetivo é a aumentar a consciência da igreja sobre a situação enfrentada por milhões de pessoas todos os dias e que não recebe da mídia a atenção esperada.
Segundo relatórios da Missão Portas Abertas, 2016 foi o pior ano para a perseguição desde que começaram a rastrear essa questão há 25 anos. Cerca de 215 milhões de cristãos nos dias de hoje experimentam “perseguição alta, muito alta ou extrema” nos países onde a livre prática da fé é proibida.
“Parece que todas as semanas ouvimos falar de outro caso de perseguição aos cristãos em algum lugar do globo”, disse Franklin Graham, acrescentando que é hora de a igreja de Cristo  “ajudar a reverter esta tendência alarmante”.
Além de convidar políticos, Franklin diz que pretende trabalhar para gerar mudança, por isso está reunindo “as vítimas, seus defensores, líderes e influenciadores para criarmos parcerias  ao mesmo tempo em que oramos por aqueles que enfrentaram espancamentos, tortura, prisão, estupro e até mesmo morte por causa de sua fé cristã”.
O ministério Billy Graham sublinha que está otimista com a mudança de postura do governo norte-americano desse Donald Trump tomou posse. Por isso, além de representantes do governo irá buscar junto as Nações Unidas garantias que “as liberdades religiosas sejam protegidas”. 
Por Jarbas Aragão / via gospelprime.com.br / Com informações Assist News