quinta-feira, 27 de abril de 2017

“Baleia Azul” é um manual à morte

“Baleia Azul” é um manual à morte

Precisamos estar mais atentos ao sofrimento alheio.

O jogo de automutilação que tem desafiado jovens à morte, em todo o mundo, já deixou mais de 130 vítimas na Rússia. Já houve relatos de casos no Brasil. Mas afinal de contas, como é que funciona esse jogo? Aliás, isso é, de fato um jogo?
Pode ser considerado um jogo pelo fato de conter etapas onde, em cada uma delas, o participante é desafiado a cumprir um desafio, que vai desde desenhar a tal baleia numa das partes do corpo até a mutilação em regiões que ficam expostas, e nas que ficam escondidas pela roupa.
A “Baleia Azul” tem sido tratada como jogo, mas eu vejo suas práticas indicarem um manual e um staff às pessoas que tenham leve ou pesada tendência ao suicídio. Afinal, do outro lado tem uma ou mais pessoas me desafiando a ir entrando nesse universo grotesco, o que me faz adentrar a um novo paradigma.
Seria o mesmo que “cozinhar o sapo em fogo baixo” (ele vai se adaptando ao aumento lento da temperatura e, quando “se dá por si”, já foi cozido). As pessoas que vivem em zonas de guerras sofrem certo desconforto no começo, mas depois elas adaptam seus hábitos e conseguem levar a vida o mais tranquilo possível.
As pessoas que estão mais vulneráveis são aquelas que já perderam o gosto de viver pelo fato de já terem passado por muitas decepções ou mesmo que já sofram com algum transtorno psicológico ligado a área da depressão.
Pessoas assim conseguem vislumbrar a vida como um todo e tem consciência de que cedo ou tarde, a morte para ela, e para todos, será um fato inevitável. Adiantar o processo, já que não consegue se dar bem, seria uma “boa”, ainda mais se encontrar apoio para fazê-lo.
A decisão de tirar a própria vida é de foro bastante íntimo, mas que sofre influencias externas. As autoridades precisam dar celeridade ao processo de investigação, captura e punição das pessoas que colocaram esse “jogo” em evidência.
Precisamos estar mais atentos ao sofrimento alheio.  Às vezes o fato de conversarmos e mostrarmos às pessoas que o sofrimento é parte inerente da existência, mas que podemos encará-lo e fazer a vida acontecer de um modo diferente, será um gatilho para que a pessoa tendente à depressão, e ao suicídio, possa fazer uma reflexão profunda sobre si, o mundo e às pessoas a sua volta, passando a entender que elas não estão sozinhas no sofrimento e que podem encontrar apoio para superar as dificuldades.
Quando uma pessoa dá cabo de sua vida, ela não faz mal só à si, mas aos amigos e aos parentes, além de se tornar um exemplo ruim para a sociedade de como não se resolver os problemas pelo “caminho mais fácil”  (da fuga), sem que tenha explorado seu potencial de resolução.
Por Fernandes Pereira / via gospelprime.com.br

Ministério Billy Graham reúne líderes para “despertar igreja” sobre perseguição

Ministério Billy Graham reúne líderes para “despertar igreja” sobre perseguição

Encontro em Washington visa trabalhar com as Nações Unidas para defender a liberdade religiosa

Por iniciativa de seu presidente, Franklin Graham, a Associação Evangelística Billy Graham irá realizar um encontro de lideranças de todo o mundo para fortalecer a defesa dos cristãos perseguidos. São esperados representantes de 130 países.
Entre 10 e 13 de maio, eles estarão reunidos para denunciar a situação dos cristãos perseguidos e “mostrar solidariedade com aqueles que sofrem por causa de sua fé”. O objetivo é a aumentar a consciência da igreja sobre a situação enfrentada por milhões de pessoas todos os dias e que não recebe da mídia a atenção esperada.
Segundo relatórios da Missão Portas Abertas, 2016 foi o pior ano para a perseguição desde que começaram a rastrear essa questão há 25 anos. Cerca de 215 milhões de cristãos nos dias de hoje experimentam “perseguição alta, muito alta ou extrema” nos países onde a livre prática da fé é proibida.
“Parece que todas as semanas ouvimos falar de outro caso de perseguição aos cristãos em algum lugar do globo”, disse Franklin Graham, acrescentando que é hora de a igreja de Cristo  “ajudar a reverter esta tendência alarmante”.
Além de convidar políticos, Franklin diz que pretende trabalhar para gerar mudança, por isso está reunindo “as vítimas, seus defensores, líderes e influenciadores para criarmos parcerias  ao mesmo tempo em que oramos por aqueles que enfrentaram espancamentos, tortura, prisão, estupro e até mesmo morte por causa de sua fé cristã”.
O ministério Billy Graham sublinha que está otimista com a mudança de postura do governo norte-americano desse Donald Trump tomou posse. Por isso, além de representantes do governo irá buscar junto as Nações Unidas garantias que “as liberdades religiosas sejam protegidas”. 
Por Jarbas Aragão / via gospelprime.com.br / Com informações Assist News

quarta-feira, 26 de abril de 2017

China está vivendo um dos grandes avivamentos do mundo, diz estudioso

China está vivendo um dos grandes avivamentos do mundo, diz estudioso

Milhões de chineses se voltam para os princípios da fé para ajudar a reorganizar a sociedade, segundo o autor Ian Johnson.

Cristão chinês em momento de oração em Xiliulin, na China. (Photo: CNS)
Cristão chinês em momento de oração em Xiliulin, na China. (Photo: CNS)
China está sendo movida por “um dos grandes avivamentos espirituais do mundo”, afirma o autor premiado Ian Johnson. Ele aponta que as potências mundiais devem se atentar a esta transformação espiritual, pois isso poderá ter repercussões globais.

“As pessoas estão à procura de novos princípios, uma espécie de bússola moral para organizar a sociedade”, disse Johnson em um artigo para o site The Atlantic. “Eles estão se voltando para a religião como fonte de valores para ajudar a reorganizar a sociedade”

Os condutores dessa revolução religiosa são as igrejas cristãs que não estão registados pelas autoridades e são desaprovadas pelo governo chinês.

“Estes grupos se tornaram surpreendentemente bem organizados e, muitas vezes, contam com centenas de fiéis”, disse o estudioso. “Eles ajudaram o número de protestantes a subir de cerca de um milhão — quando os comunistas tomaram o poder — a pelo menos 60 milhões hoje”.

Embora o Partido Comunista Chinês ainda esteja em profunda oposição ao rápido crescimento das igrejas subterrâneas, sua repressão não impediu as pessoas de viverem sua fé.

“Qualquer visitante do país pode dizer que o número de igrejas, mesquitas e templos aumentou nos últimos anos, e que muitas delas estão cheias”, analisa Johnson.

“Embora os problemas continuem aumentando, o espaço para a expressão religiosa tem crescido e os cristãos chineses têm aproveitado isso em busca de novas ideias e valores para sustentar uma sociedade que há muito tempo tem descartado a moralidade tradicional”, o autor afirma.

Johnson ainda acrescenta: “Centenas de milhões de chineses são consumidos com a dúvida sobre sua sociedade e se voltam para a religião. Na fé eles encontram respostas que não encontram no mundo secular construído em torno deles”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY

sábado, 22 de abril de 2017

Rússia decide banir Testemunhas de Jeová do país por considerá-la uma “seita extremista”


As Testemunhas de Jeová foram banidas da Rússia, e qualquer atividade desta seita religiosa foi criminalizada pela Suprema Corte do país. A decisão foi tomada porque seus sequidores foram considerados “extremistas”.

O assunto vinha sendo discutido entre as altas autoridades russas há alguns meses, e a tendência de proibição da “seita extremista” foi revelada há um mês, quando o presidente Vladimir Putin manifestou-se favorável ao banimento.

“O Supremo Tribunal decidiu sustentar a reivindicação do ministério da Justiça da Rússia e considerou o ‘Centro Administrativo das Testemunhas de Jeová na Rússia’ uma organização extremista, e proibindo suas atividades na Rússia”, disse o juiz Yuri Ivanenko, de acordo com informações do portal The Independent.

“A propriedade da organização Testemunhas de Jeová deve ser confiscada e entregue ao Estado”, acrescentou o magistrado, que comunicou ainda o fechamento da sede russa da seita e outros 395 templos.

A ação conta com o apoio do Ministério da Justiça russo, já que a porta-voz Svetlana Borisova afirmou que as Testemunhas de Jeová “representam uma ameaça aos direitos dos cidadãos, à ordem pública e à segurança pública”.

A determinação da Justiça ainda não entrou em vigor, e os advogados da seita anunciaram que pretendem recorrer até ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. “Faremos o possível”, disse Sergei Cherepanov, representante das Testemunhas de Jeová;

Iaroslav Sivoulski, um dos principais anciãos russos da seita disse estar “chocado” com a decisão: “Não pensava que algo assim poderia acontecer na Rússia moderna, onde a Constituição garante a liberdade de religião”, lamentou, 

Por Tiago Chagas / via gospelmais.com.br - segundo informações do G1.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

A coisa mais importante na igreja é o sermão, indica pesquisa

A coisa mais importante na igreja é o sermão, indica pesquisa

Segundo Gallup, não é o grupo de louvor nem o “pastor moderninho”


Uma nova onda na igreja contemporânea tenta usar slogans como relacional, relevante ou intencional para definir seus ministérios. Em alguns lugares grande parte do investimento é na estrutura do prédio, com o uso de tecnologia de ponta. Outros preferem apostar em grupos de louvor com músicos muito bem preparados e repertório “contagiante”.
Contudo, uma nova pesquisa do Instituto Gallup revela que as pessoas que frequentam os cultos estão procurando mesmo é por pregação centrada na Bíblia.
“Sermões que ensinam sobre as Escrituras” são a razão número um para motivar os fiéis a irem a um culto. Os pesquisadores descobriram que 82% dos evangélicos e 76% dos cristãos em geral consideram sermões com lições bíblicas o fator mais importante das reuniões religiosas (cultos/missas).
Eles também estão procurando por maneira de aplicar o que aprendem, já que 80% dos evangélicos e 75% dos cristãos em geral valorizam mais sermões que conectam a fé a sua vida cotidiana.
Os evangélicos são mais propensos a citar a importância do conteúdo do sermão que os católicos – cerca de dois terços dos entrevistados admitem que é isso o que mais os atrai para a igreja.
Pregação sobre a Escritura e sua relevância foram melhor avaliados que programas para crianças (68% dos evangélicos), trabalhos de ação comunitária (61%) e atividades sociais (49%).
“Numa cultura distraída e superficial como a nossa, as pessoas começam a sentir fome por algo raro: o foco, o equilibrado e o profundo”, acredita o pastor Matt Woodley. “Pregação profunda é a nossa melhor chance de mudar vidas”, insiste.
Segundo a revista Christianity Today, que está divulgando o estudo, isso também coloca mais pressão sobre os pastores, que deveriam oferecer sermões que envolvam os fiéis e evitem piadas, ilustrações batidas, ou ensino superficial e alegórico.
Uma outra pesquisa recente, do Instituto Barna, mostra que os mais jovens (40%) têm o hábito de verificar os sermões no Google.
A pesquisa do Instituto Gallup publicada semana passada descobriu que as pessoas que ocupam os bancos se preocupam muito mais com “o que” está sendo pregado do que com “quem” está pregando.
Apenas metade dos evangélicos (53%) e os cristãos em geral (54%) disseram frequentar uma igreja por causa de “líderes religiosos dinâmicos, que são interessantes e inspiradores”.
Os dados revelados pelo novo levantamento são parecidos com os indicativos de outra pesquisa sobre o assunto, feita pelo Instituto Pew Research.
“O que as pessoas valorizam em uma congregação é principalmente uma boa mensagem, uma boa homilia. Ela precisa fazer sentido e oferecer-lhes orientação”, afirma Greg Smith, diretor-associado do Pew.
A grande maioria dos evangélicos (92%) coloca o sermão no topo da sua lista de fatores decisivos, o percentual é de 67 para os católicos. Em segundo lugar está o fato dos líderes e membros fazerem com que o visitante sinta-se bem-vindo (79%) e logo em seguida, o fato do culto ser “atraente” (74%).

Mudanças no ministério

No ano passado, o pesquisador Ed Stetzer mostrou como vários ministérios estavam mudando a direção para um ensino mais profundo, uma vez que perceberam o interesse dos visitantes.
“Em outras palavras, aqueles para quem os sermões estavam se tornando ‘água com açúcar’ perderam espaço. As pessoas estão interessadas ​​na verdade, caso contrário estariam fazendo outra coisa aos domingos”, avalia.
De acordo com a LifeWay Research, os pastores estão relativamente divididos quando planejam seus sermões: 22% planejam dois a cinco meses de antecedência, 30% planejam duas a quatro semanas de antecedência e 22% planejam a semana anterior. Apenas 7% dos pastores agendam o sermão com mais de um ano de antecedência.
Por Jarbas Aragão / via gospelprime.com.br

CGADB é obrigada pela justiça a fazer novas eleições

CGADB é obrigada pela justiça a fazer novas eleições

Interventor judicial comandará novo pleito, ainda sem data definida

Quando a Convenção Geral das Assembleias de Deus (CGADB) divulgou o resultado da eleição a presidente no último dia 9, estava descumprindo uma decisão judicial. Após uma série de recursos, o Dr. Márcio J. Costa foi nomeado interventor e deveria ter comandado o pleito.
Contudo, a diretoria deu prosseguimento ao processo e anunciou José Wellington Júnior, filho do atual presidente, José Wellington Bezerra da Costa.
Nesta terça-feira (18), foi expedido um documento suspendendo o resultado e anulando todos os atos praticados pela Comissão Eleitoral da CGADB no dia 9. Portanto, José Wellington Júnior não pode mais se declarar presidente eleito.
Todo o processo eleitoral será reiniciado e nova votação será marcada, sob o comando do interventor nomeado. Caso a CGADB não publique essa notificação em seu site oficial, mais uma vez estará descumprindo uma Ordem Judicial.
A data oficial na nova eleição ainda não divulgada. Concorrerão novamente José Wellington Jr (São Paulo), Samuel Câmara (Pará) e Cícero Tardim (Paraná).
A suspensão da eleição, assinada pela juíza Angélica dos Santos Costa menciona que a diretoria da convenção impediu a supervisão do processo pelo interventor e a inclusão das 10.479 inscrições irregulares.
Notificação referente ao Pleito Eleitoral

Por Jarbas Aragão / via gospelprime.com.br

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Nova decisão da Justiça cancela eleições da CGADB

Nova decisão da Justiça cancela eleições da CGADB

Segundo informações obtidas, Comissão eleitoral informou que não irá cumprir nova decisão.


Um novo capítulo na guerra jurídica das Assembleias de Deus teve lugar na manhã deste domingo (9). A juíza Angélica dos Santos Costa, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, emitiu uma nova liminar, determinando a suspensão das eleições da mesa diretora e do conselho fiscal da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB).
Ela determina que deve “ser designada nova data com a observação de todas as ordens judiciais proferidas.”
O portal Gospel Prime recebeu a informação de uma fonte que prefere não se identificar, mas está a par do processo, que a decisão judicial será ignorada e as eleições mantidas, na intenção de judicializar ainda mais o processo.  
A testemunha, que está ligada ao processo eleitoral, relata também que nenhuma das ordens judiciais foram cumpridas, nem pela CGADB, nem pela Sctyl (empresa contratada para realizar as eleições) nem pela comissão eleitoral da CGADB.  Na noite de sábado (8), a comissão eleitoral se reuniu na Hotel Cullinan Hplus Premium, em Brasília. Contudo, o interventor nomeado pela justiça, dr. Márcio José de Oliveira Costa não foi convidado a participar.
Quando ele tentou entrar para participar da reunião, foi impedido pelos seguranças da CGADB, o que fez com o que o interventor chamasse a Polícia. Em seguida, se dirigiu à 5ª Delegacia de Polícia Civil, onde registrou um Boletim de Ocorrência.

Entenda o caso

O pastor José Wellington Júnior, filho do atual presidente, havia sido retirado da corrida ao cargo em 8 de fevereiro pelo juiz Levine Raja Gabaglia Artiaga, que cassou por meio de liminar sua candidatura e também afastou o presidente e vice-presidente da comissão eleitoral Antonio Carlos Lorenzetti de Melo e Wilson Pinheiro Brandão.
Porém, na sexta- feira (7) conseguiu voltar a disputa após nova liminar, emitida por tribunal do Rio de Janeiro.
O Superior Tribunal de Justiça decidir juntar no fórum de Madureira, no Rio de Janeiro, os 14 processos em andamento. Nesta sexta, o Juiz Thomas Souza decidiu manter todas as intervenções e punições em caso de desobediência ou obstrução da justiça, e o cancelamentos das inscrições irregulares. Também devolveu a José Wellington da Costa Jr. o direito de concorrer no pleito de domingo.
Existem denúncias de diversas irregularidades, entre elas o fato de José Wellington – filho do atual presidente José Wellington Bezerra da Costa – não ter se desincompatibilizado do cargo de presidente da CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus), o que viola o edital que regulamenta o processo eleitoral.
Além da disputa pela legitimidade da candidatura de Wellington Jr., foram comprovadas irregularidades na empresa Scytl Soluções em informática, que comandaria o processo. Por ordem judicial, 10.479 inscrições para votação foram canceladas, pois dentre elas existiam “pastores” cadastrados que não existem ou já estão mortos.
Nos últimos 25 anos o pastor José Wellington Bezerra da Costa liderou a denominação, mas não quer mais concorrer, preferindo indicar seu filho. Com a candidatura cassada de seu possível sucessor, a disputa seria entre o pastor Samuel Câmara, de Belém do Pará e Cícero Aparecido Tarjim, de Alto Piriqui, no Paraná.
Por Jarbas Aragão / via gospelprime.com.br

domingo, 9 de abril de 2017

Após várias ações judiciais, pastores elegem novo presidente da CGADB neste domingo (09)

Após várias ações judiciais, pastores elegem novo presidente da CGADB neste domingo (09)

O Evento ocorrerá em São Paulo, durante a 43ª Assembleia Geral Ordinária da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB). A votação inicia às 00hs deste domingo e encerra às 18 horas.
Depois de muitas polêmicas e várias ações judiciais ajuizadas em várias partes do país, mais de 20 mil ministros do evangelho vão escolher neste domingo, 09, o novo presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) para conduzir a entidade pelo próximo quadriênio 2017-2021.

Pastor Samuel Câmara, Wellington Júnior e Cícero Tardim concorrem neste domingo à presidência da CGADB- Foto: Divulgação

O Evento ocorrerá em São Paulo, durante a 43ª Assembleia Geral Ordinária da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB). A votação será online e cada ministro pode votar de onde estiver pelo celular ou computador.
De acordo com informações obtidas pelo portal gospel JM Notícia, vão concorrer à presidência os pastores Samuel Câmara, José Wellington Júnior e Cícero Tardim.
Após ser acusado de não se desincompatibilizar da CPAD para concorrer à presidência da CGADB, o Superior Tribunal de Justiça liberou nesta sexta-feira, 07, a candidatura do pastor José Wellington Júnior à presidência da CGADB, mas manteve todas as decisões judiciais de outros tribunais que tratavam da eleição, inclusive, o cancelamento de 10.479 inscrições. Portanto, a eleição contará com três candidatos na disputa.
PERFIL DOS PRESIDENCIÁVEIS
Pastor Wellington Júnior – É ex-presidente da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), presidente da Assembleia de Deus na cidade de Guarulhos (SP) e 1º vice-presidente da Convenção Confradesp.
Pastor Samuel Câmara – É Presidente da Igreja Mãe em Belém do Pará, e já exerceu os cargos de 1º Secretário e 1º Vice Presidente na CGADB.
Pastor Cícero Tardim – É presidente da Assembleia de Deus Alto Piriqui –PR.
CONCILIAÇÃO
Após a última eleição em Brasília, onde foi reconduzido à presidência o pastor José Wellington Bezerra da Costa, a CGADB teve seu nome mencionado em diversos veículos de comunicação do país por supostas fraudes praticadas em inscrições de ministros durante a 41ª AGO no DF.
A Justiça chegou a multar a entidade em quase 10 milhões de reais em 2016, por se negar a cumprir ordem judicial.
Na época, o pastor Samuel Câmara afirmou ao JM Notícia que as solicitações para acesso a informações sobre inscritos foram negadas e que teria ajuizado ação judicial requerendo a amostra dos pagamentos das inscrições, devido à suspeita de que haveria convencionais inscritos fora do prazo. No entanto, mesmo com decisão judicial determinando que se mostrassem os documentos solicitados, Pastor José Wellington se recusou a mostrar os comprovantes de pagamentos.
Devido ao descumprimento judicial, a Justiça do Estado do Amazonas, determinou multa diária no valor de R$ 50 mil reais (decisão proferida ainda em 2013).
Em julho de 2016, precisamente no dia 07, pastor Samuel Câmara e o pastor José Wellington Bezerra da Costa fizeram as pazes, e de uma maneira quebrantada e compromissada em não repetir os passos que os levaram até essa dolorosa disputa judicial.
Durante a reunião, que aconteceu em um hotel no Rio de Janeiro(RJ) entre a Mesa Diretora da CGADB, os pastores Samuel Câmara, seu irmão Jônatas Câmara e o pastor Ivan Bastos, foi redigido e assinado um termo de acordo para a reconciliação e paz entre estes três últimos e o pastor José Wellington Bezerra da Costa, atual presidente da CGADB. A Confrateres também está entre as partes envolvidas no acordo.
“Pastor Samuel retirou todos os processos e foi reintegrado a CGADB. Vivemos em tempo de paz. Assinamos ontem um documento, perante a Mesa Diretora, perante nossos advogados, todos assinaram a ata”, disse Ivan Bastos, na ocasião, ao site JM Notícia.
No entanto, chegou o período das eleições da CGADB novamente e o acordo não se concretizou. De acordo com fontes do JM Notícia, lideranças do pastor Samuel Câmara não conseguiram acesso aos dados da eleição, requerimentos não foram atendidos e após várias tentativas frustradas de acordo, diversas ações foram impetradas, novamente, às vésperas destas novas eleições.

Da Redação – Ricardo Costa / via jmnoticias.com.br

sexta-feira, 7 de abril de 2017

"Ler a Bíblia me trouxe de volta a Cristo", diz Chuck Norris

"Ler a Bíblia me trouxe de volta a Cristo", diz Chuck Norris

O ator disse que por meio do exemplo de sua esposa, que lia a Bíblia todas as manhãs, ele começou a ler as Escrituras e se voltou para Cristo.

Chuck explica que ele deve todo seu sucesso à graça de Deus. (Foto: Reprodução).
Chuck explica que ele deve todo seu sucesso à graça de Deus. (Foto: Reprodução).
Chuck Norris ainda é uma das figuras mais reconhecidas na indústria do cinema, mas muitos não sabem que ele também é seguidor de Jesus Cristo e fala abertamente sobre sua experiência como cristão.

"Eu entreguei a minha vida ao Senhor aos 12 anos. Fui batizado também aos 12. E isso foi crescendo dentro de mim. E quando eu tive oportunidades de ir para as cruzadas do pastor Billy Graham, infelizmente eu tinha algum trabalho no cinema. Às vezes eu perdia a noção e por isso eu acabei perdendo um casamento", disse ele ao site CBN News.

Norris se afastou de Jesus, mas encontrou o caminho de volta para Cristo através da Bíblia. "Eu estava sempre com raiva, eu tinha um buraco enorme no meu coração, nada me fazia feliz. Depois acabei me casando com uma mulher temente a Deus, e em casa ela lia a Bíblia todas as manhãs. Depois de um tempo ela disse: ‘Você quer que eu leia em voz alta para você?’”, contou o ator.

"Então eu sentei e ela começou a ler a Bíblia em voz alta para mim, todas as manhãs. Finalmente, eu disse: ‘Bem, deixe-me ler’, e assim comecei a ler a Bíblia em voz alta. E então foi como se Deus me dissesse: ‘Chuck, é hora de voltar para casa. Já passou tempo suficiente’. Agora meu coração está cheio de novo", declarou.

Deus nas Artes Marciais

Chuck também revens que seu programa nacional de artes marciais é baseado em princípios cristãos. "A filosofia das artes marciais é basicamente baseada nos princípios da Bíblia. Mesmo que não falemos sobre Jesus, podemos falar sobre o que Jesus fala na Bíblia: amar o seu próximo e ser uma boa pessoa. Mesmo quando não podemos citar as Escrituras, podemos parafrasear o que Jesus diz na Bíblia ou o que o apóstolo Paulo diz. De forma indireta, é o que fazemos", comentou.

Ele diz que deve todo o seu sucesso à graça de Deus. "'Chuck, você é o cara mais sortudo do mundo. É campeão mundial de karatê e uma estrela de filmes no cinema e na TV'. Quando me dizem isso, eu sorrio porque a sorte não tem nada a ver com isso. Deus tem tudo a ver com isso”, pontuou.

E sobre os memes da internet que dizem que Norris é poderoso o suficiente para curar o câncer? A resposta de Chuck é bem peculiar. "Havia um homem cujas lágrimas podiam curar o câncer ou qualquer outra doença, incluindo a verdadeira causa de todas as doenças: o pecado. Seu sangue nos curou. Seu nome era Jesus, não Chuck Norris. Se sua alma precisa de cura, a prescrição que você precisa não é ‘As lágrimas de Chuck Norris’, é o sangue de Jesus", finalizou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO SITE HELLO CHRISTIAN E CBN

quarta-feira, 5 de abril de 2017

David Miranda Filho sai da IPDA anuncia a fundação de novo ministério

David Miranda Filho sai da IPDA anuncia a fundação de novo ministério

Postagem do pastor sugere que saiu da IPDA e pretende fundar nova denominação. Será que agora vai? (Reprodução: Facebook)















A decisão do pastor tem dividido as redes sociais, a maioria dos internautas não entenderam direito se o pastor realmente saiu da Igreja Pentecostal Deus é Amor. Outros no entanto já entenderam que o pastor se desfiliou da IPDA e tem apoiado a decisão de Miranda. ” Deus não deixou nome de igreja.. Se eles não aceita (sic) o David na Deus é Amor , ele quer trabalhar , tá na oração, tem mais que abrir um ministério, importa que a palavra seja pregada, quem perde um grande homem de Deus , é a IPDA, assim como ja perderam tantos outros por falta de união, amor para com os outros… Não sabem perdoar”, comentou um internauta.
“Paz do Senhor!Isso aí pastor David Miranda Filho,vai em busca nas almas, o homem barrou você de fazer a obra mais Deus é contigo”, declarou outro internauta.
Entretanto, alguns membros da IPDA não viram com bons olhos a decisão de David Filho, argumentando que o pastor está em rebelião por não ter cumprido integralmente a sua prova e partir para fundar uma nova denominação.
“[…] Ele está pagando apenas por um erro que ele mesmo confessou que cometeu, e estamos sujeitos a errar também, mais abrir outro ministério antes da disciplina terminar, é rebelião, romper barreiras é ficar firme e vencer,voltar atrás, Não venceu barreiras não!”, sentenciou um usuário.
“Um absurdo isso! Toda vida a igreja não lhe apoiou? E agora causar divisão dentro de igreja, isso é mais triste de que quando reconheceu seu pecado; uma igreja nascer da divisão de alguém é triste”, declarou outro internauta.
Em novembro do ano passado, o pastor David Miranda Filho chegou a se explicar por uma postagem que sugeria que ele iria sair da IPDA quando pediu dinheiro aos internautas para organizar concentrações independentes. Posteriormente, Miranda desistiu da empreitada e voltou atrás na sua decisão. Agora tudo indica que a situação entre a diretoria da IPDA e David Filho tem ficado mesmo insustentável. Na visão de David Filho seus erros não são suficientes para mantê-lo afastado tanto tempo assim dos púlpitos, mas a diretoria não pensa assim. Trazê-lo de volta a comunhão em um prazo relativamente curto, pode elevar de forma descomunal as criticas à IPDA, que tem sido bastante criticada na forma como tem lidado com os casos amorosos do pastor.
Fonte:  / Via: Rede Pentecostal

terça-feira, 4 de abril de 2017

Desigrejados: cresce o número de cristãos que amam a Jesus mas abriram mão da igreja

O movimento de cristãos frustrados ou insatisfeitos com a maneira como as igrejas evangélicas se comportam ou priorizam ações, chamado desigrejados, vem crescendo e uma pesquisa mostrou que o fenômeno é real.

A ideia inicial que o termo causa é de abandono da fé, mas um estudo realizado pelo instituto cristão Barna Group, dedicado a pesquisas sobre a presença cristã na sociedade mostrou que essas pessoas continuam fiéis às Escrituras e seguindo a Jesus.

De acordo com informações do portal The Christian Post, a pesquisa abordou questões como fé e espiritualidade fora da igreja, sobre o “fascinante segmento da população que afirma que ‘ama Jesus, mas não vai à a igreja”.

O universo pesquisado pelo Barna Group se limitou aos Estados Unidos, e chegou à conclusão de que 10% dos americanos se autoidentificam como “cristãos que concordam fortemente que sua fé religiosa é muito importante em sua vida”, mas são “desigrejados”.

Esse exército de cristãos que foram membros ativos de igrejas no passado e deixaram de frequentar cultos e participar de atividades há pelo menos seis meses cresceu mais de 40% desde 2004, passando de 7% para os atuais 10%.

O perfil desses cristãos insatisfeitos mostra que o fênomeno dos desigrejados é abrangente: mais de 60% desses cristãos são mulheres, e 80% são adultos com idades 33 e 70 anos. “Este grupo também parece ser predominantemente branco (63%) e concentrado nas regiões Sul (33%), Centro-Oeste (30%) e Oeste (25%) dos EUA, sendo muito poucos provenientes do Nordeste (13%)”.

O relatório da pesquisa tenta apontar, para as igrejas, formas de compreender o que abastece esse movimento: “Este grupo representa uma importante e crescente via de ministério para as igrejas”, diz Roxanne Stone, editora-chefe do Barna Group.

“Particularmente se você mora em uma área maior do país, é mais do que provável que você tenha um número significativo desses ‘desigrejados’ em seus bairros. Eles ainda amam a Jesus, ainda acreditam nas Escrituras e na maioria dos princípios de sua fé cristã. Mas eles perderam a alegria de estar na Igreja”, acrescentou Stone.

O ponto mais chamativo da pesquisa é que a ampla maioria dos desigrejados mantém uma visão positiva da religião, afirmando serem pessoas “espirituais, mas não religiosas”.

“Ao contrário dos cristãos praticantes, essa espiritualidade é profundamente pessoal – até mesmo privada – com muitos preferindo manter as coisas espirituais para si mesmos: apenas dois em cada cinco (18%) dizem frequentemente conversar com seus amigos sobre assuntos espirituais”, acrescentou o relatório.

A pesquis foi realizada entre os dias 04 e 15 de novembro passado, com 1.281 adultos de todas as regiões dos Estados Unidos, nos 50 estados do país, via internet. A margem de erro do estudo é de 2,9 pontos percentuais, com o nível de confiança de 95%.

Por Tiago Chagas / via gospelmais.com.br

segunda-feira, 27 de março de 2017

Missões: na contramão de pesquisas, número de muçulmanos que aceitam Jesus só aumenta

Pesquisas sobre religião apontam a tendência de crescimento dos muçulmanos em todo o mundo, por conta da investida que líderes da religião fazem para expansão, e principalmente pela alta taxa de natalidade nas famílias que seguem o islamismo. No entanto, missionários pontuam que essas pesquisas ignoram um fato: as conversões ao Evangelho.

Na doutrina muçulmana, os fiéis a Alá são instruídos a acreditar que um sonho é uma manifestação sobrenatural. E os relatos de missionários sobre muçulmanos que sonharam com Jesus, e por conta disso, terminaram se interessando pela Bíblia e posteriormente se convertendo ao Evangelho, são diversos.

Um missionário da Portas Abertas, que pediu anonimato por questões de segurança, afirmou que as pesquisas são projeções com base nos dados demográficos e histórico das populações observadas, mas que os pesquisadores desconsideram as conversões ao Evangelho em suas variáveis, e a mídia, ignora o fato.

“Deus tem se revelado aos muçulmanos pessoalmente, em nossos dias, como fez nos tempos bíblicos. As pessoas têm sonhos e visões. Devemos ajudar nossos irmãos e orar por eles. A oração pode mudar muitas situações”, disse o missionário, em relato à Portas Abertas.

A decisão de um muçulmano se converter ao Evangelho é cercada de tensão e uma prova de convicção, já que no islamismo, a apostasia – abandono da crença – é punida com a morte. Assim, quando há a decisão de seguir a Jesus, ela envolve um risco inerente à vida dessa pessoa e sua família.


Projeções

As projeções de pesquisadores apontam que a atual expansão do islamismo em todo o mundo poderá levar a religião de extremismos a se tornar a mais popular do planeta em 2070, de acordo com um novo estudo realizado pelo Pew Research Center, uma entidade dedicada à pesquisa do comportamento social.

No islamismo, as mulheres atualmente têm taxa de fertilidade superior às demais, com média de 3,1 filhos, o que gera um crescimento numérico considerável. De acordo com o estudo divulgado pelo Pew Research Center, a religião muçulmana crescerá a uma taxa de 73% até 2050, enquanto o cristianismo terá um ritmo bem menor: 35%.

O estudo – intitulado “Muçulmanos e Islã: principais descobertas nos EUA e ao redor do mundo” – prevê que o número de muçulmanos ao redor do mundo alcance 2,92 bilhões de pessoas em 2070, enquanto os cristãos somem 2,76 bilhões.

Se essa previsão se comprovar, os muçulmanos terão crescido num ritmo quase 100% superior à média da população mundial, já que as estimativas apontam que o crescimento nesse período seja de 37% – algo que já é visto como preocupante em termos de meio-ambiente e alimentação.

A expectativa é que o número de ateus e não-religiosos diminua percentualmente, já que, apesar da expectativa de seu crescimento em países europeus e nos Estados Unidos, em termos globais, a tendência é de queda: dos atuais 16,4% para 13,2% na década de 2050.


Sonhos e conversões

Confira nos links abaixo, relatos de pessoas e famílias que abandonaram o islamismo e se converteram ao Evangelho após terem sonhos com Jesus.


Por Tiago Chagas / via gospelmais.com.br

Pastor Samuel Ferreira é ordenado bispo poucos dias após assumir presidência da AD do Bom Retiro

Pastor Samuel Ferreira é ordenado bispo poucos dias após assumir presidência da AD do Bom Retiro

Poucos dias após assumir o lugar do pastor Jabes Alencar na Assembleia de Deus do Bom Retiro, o pastor Samuel Ferreira é ordenado Bispo em evento na Igreja do Brás, em São Paulo, investigada pela Operação Lava Jato

Devido algumas dificuldades de saúde, o pastor Jabes Alencar, até então presidente e fundador da Assembleia de Deus do Bom Retiro, foi jubilado no dia 13 de março, durante o culto de comemoração de 29 anos de fundação do ministério do Bom Retiro. Na mesma ocasião, o designado para assumir o cargo de presidente foi o pastor Samuel Ferreira, líder também da ADBrás, vindo a ser ordenado bispo alguns dias após a posse em seu novo cargo.

“É uma grande responsabilidade suceder o pastor Jabes Alencar, que foi o fundador desta igreja, um grande pastor, o apóstolo da unidade da igreja; com absoluta humildade, chego para servir e não para ser servido, para ser cooperador, para ser o pastor, e o meu compromisso diante de Deus é cuidar destas almas com a minha própria vida”, disse Ferreira, na ocasião.

Samuel Ferreira que também é o presidente executivo da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil, Ministério de Madureira, é natural de Garça, interior de São Paulo, formado em Direito pela Universidade Paulista e em Teologia pelo IBAD (Instituto Bíblico da Assembleia de Deus), além de ser o diretor Executivo da Editora Betel.

Na última quinta feira (23) o pastor Samuel Ferreira foi ordenado bispo durante a 40ª Assembleia Geral Ordinária da Igreja no Brás, maior denominação evangélica no estado de São Paulo, juntamente com outros quatro pastores, como Oídes José do Carmo, Abigail de Almeida, Abner Ferreira e Daniel  Malafaia.

Divulgamos recentemente que o pastor Samuel Ferreira é investigado na Operação Lava Jato, devido a suspeita de lavagem de dinheiro para o deputado federal suspenso Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara dos Deputados.

Apesar de ainda não haver qualquer comprovação, a investigação aponta que o ex-presidente da Câmara dos Deputados teria movimentado parte dos US$ 5 milhões recebidos ilicitamente em negócios com a Petrobrás, usando a igreja ADBrás como fachada para lavagem de dinheiro.

Por Will R. Filho / gospelmais.com.br

quarta-feira, 22 de março de 2017

População mais pobre é a mais fiel no dízimo, aponta pesquisa

Pesquisa sobre o padrão de consumo das famílias mais humildes comprova que o dízimo é um dos compromissos mais importantes para os cristãos evangélicos

O dízimo é uma prática tradicional entre os cristãos evangélicos, visto como uma doutrina ou recomendação social bíblica para o sustento e expansão missionária da igreja. Uma pesquisa recente revelou algo interessante que aponta para a passagem da “viúva pobre”, em Marcos 12: 41 a 44, onde mesmo com poucos recursos, teve a preocupação de contribuir com uma oferta voluntária.

No estudo iniciado em 2013, feito pela Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF-Brasil) com o objetivo de fornecer dados para o Ministério da Fazenda e ao Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, ficou constatado que a população cristã mais humilde tem a mesma preocupação da “viúva pobre”, em contribuir com o Reino de Deus a partir do que possui. 

O público da pesquisa foi mulheres e homens aposentados, com renda de até dois salários mínimos e beneficiários do programa “Bolsa Família”. Envolvendo 49 municípios em 16 Estados, os pesquisadores participaram do cotidiano dessa população, entrando em suas casas e observando seus costumes de gasto financeiro.

“Tivemos um trabalho prévio e vivência de meses em várias casas de famílias pesquisadas para entender hábitos de consumo e identificar a linguagem”, disse Claudia Forte, superintendente da AEF-Brasil, em publicação no site O Povo. 

O que os pesquisadores nunca haviam imaginado, foi que ao entrar nas casas dessas pessoas, pudessem observar que o dízimo estava na lista de gastos mensais do orçamento familiar. Eles constataram que para grande parte dessas famílias, o valor do dízimo é um dos compromissos mais importantes:

“A religião é a válvula de escape para muitos e o dízimo talvez seja o compromisso financeiro mais importante de algumas famílias”, disse Claudia, sem compreender a experiência de fé e vida prática implícita no ato de dizimar, motivo pelo qual pessoas humildes, mesmo com poucos recursos, são fiéis nesse compromisso como símbolo de reconhecimento da providência divina, a exemplo da “viúva pobre”.

A pesquisa constatou que os católicos também  fazem suas contribuições para a Igreja Católica, porém, de forma semanal e de valor variável. Os cristãos evangélicos, todavia, apesar de adotarem a oferta como uma prática voluntária também do dia-a-dia, encaram o dízimo como um compromisso mensal assim como qualquer outro, porém, atribuído de fé e incentivo à obra de Deus.

Por Will R. Filho / via gospelmais.com

Rússia abre guerra contra seitas e quer banir Testemunhas de Jeová

Conhecido mundialmente na atualidade por ser um país rígido contra medidas “politicamente corretas”, a Rússia não tem se manifestado apenas contra o chamado “casamento gay” e o feminismo radical, mas também contra pequenos grupos religiosos. Esta semana, o mundo começou a tomar mais conhecimento sobre os motivos de as Testemunhas de Jeová entrarem para a lista de proibição do Kremlin.

Com cerca de 175 mil fiéis no território do atual Presidente Putin, a religião das Testemunhas de Jeová passou a ser considerada “extremista” na Rússia, que pediu ao Supremo Tribunal de Justiça a proibição de qualquer prática religiosa do grupo no país, após uma investigação que considerou suas atividades religiosas “contrária às leis russas e aos próprios estatutos da organização”, segundo publicação de O Globo obtidas da agência EFE.

“Não entendemos que objetivo as autoridades perseguem. Nos parece sem sentido. Achamos que se trata de um equívoco […] e o Ministério da Justiça retirará sua ação”, disse Ivan Balenko, porta-voz das Testemunhas de Jeová na Rússia.

Com 2.200 mil grupos e 400 organizações religiosas no país, as Testemunhas de Jeová temem sofrer o mesmo que a “Igreja da Cientologia”, que teve suas práticas de culto proibidas em 2015. Até então, assim como os mórmons, as Testemunhas de Jeová são consideradas uma seita religiosa em uma país que tem a Igreja Católica Ortodoxa como espécie de “religião oficial”, muito embora a liberdade religiosa ainda exista.

“Todas as decisões judiciais contra nós se baseiam em uma única acusação: que alguns de nossos livros e discursos estão na lista de literatura extremista que existe neste país”, disse ainda Balenko, se referindo a interpretação que o governo russo fez de uma citação feita em uma literatura das Testemunhas de Jeová, mencionando o filósofo espanhol Miguel de Unamuno:

“Unamuno escreveu que para crer na imortalidade da alma é preciso desejá-la, e o desejo deve ser forte o bastante para silenciar a voz da razão. Incluímos a citação em um discurso e a procuradoria nos acusou de extremistas. Só na última hora alguém retirou a denúncia, seguramente por respeito ao filósofo”, explicou o porta-voz da religião.

Por fim, a preocupação da comunidade Testemunhas de Jeová na Rússia é que com a classificação de “extremistas”, eles não apenas sejam proibidos de realizar suas atividades religiosas, como possam sofrer discriminação e violência em seu próprio país.

Por Will R. Filho / gospelmais.com.br

segunda-feira, 20 de março de 2017

Assembleia de Deus articula criação de partido pró-‘família tradicional’

Assembleia de Deus articula criação de partido pró-‘família tradicional’


O termo “cristão” e variações aparecem no nome de seis dos 56 partidos na fila do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para virar a 36º legenda brasileira. Tem o PEC (Partido Ecológico Cristão), o PPC (Partido Progressista Cristão)…


O PRC (Partido Republicano Cristão) leva vantagem sobre os concorrentes: está sendo articulado com ajuda da Assembleia de Deus, a maior igreja evangélica do Brasil (30% dos 42 milhões de fiéis no Censo 2010, sendo que o total de evangélicos já saltou para três em dez brasileiros).

Essa gigantesca rede de fé deve facilitar a coleta de assinaturas mínimas, recolhidas em ao menos nove Estados, que o TSE exige para formar um novo partido –486 mil, ou 0,5% dos votos válidos na última eleição para a Câmara.

Já foram 300 mil registradas em cartórios país afora, calcula o presidente do PRC, deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF), coordenador da bancada de 24 deputados ligados à Assembleia de Deus.
O deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF), presidente do futuro Partido Republicano Cristão

Fonseca assinou relatório pró-Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em 2016, quando o agora ex-parlamentar presidia a Câmara e tentava anular sua cassação na Casa. Os dois são assembleianos.

Fundada por missionários suecos em 1911, a Assembleia de Deus (AD) se multiplicou em várias ramificações, e elas não necessariamente dialogam entre si. Não raramente, estão em lados avessos da política (algumas ficaram com a petista Dilma Rousseff, outras com o tucano José Serra, e parte com a então verde Marina Silva em 2010, por exemplo).

A AD Ministério do Belém (que, apesar do nome, tem sede paulista) controla a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil. É essa ala que fomenta a criação do PRC. O secretário-geral do partido será o deputado Paulo Freire (PR-SP), filho do pastor José Wellington Bezerra da Costa, líder da AD Belém.

Suas irmãs também estão no Legislativo: Marta Costa é deputada estadual em São Paulo e Rute Costa, vereadora paulistana. “Como instituição, oficialmente, igreja não tem partido, a lei não permite. Mas ela pode ter representatividade. Isso está sendo trabalhado [por meio do PRC]”, diz à Folha o coordenador político da convenção das ADs, pastor Lélis Marinhos.
A principal bandeira da nova sigla será a família, diz. “Aquela chamada tradicional, com o princípio básico bíblico da família hétero.” Segundo Marinhos, há fóruns dedicados a preparar lideranças para o quadro partidário.

Pesquisador da Fundação Getúlio Vargas, Diogo Rais lembra do abuso de poder religioso nas eleições, como um candidato pedir voto em igrejas –em 2016, o prefeito reeleito de Penápolis (SP) foi alvo de ação, depois desconsiderada por um juiz. Motivo: um pastor o exaltou em culto e chegou a dizer que o acessava com facilidade (“quando preciso falar com ele, tenho o WhatsApp dele”).

Mas seria preconceito achar que pessoas de fé não têm vez na política, diz Rais. “Por que ter legendas que representem trabalhadores ou ambientalistas, mas não religiosos?”

O pastor Silas Malafaia lidera uma AD, a carioca Vitória em Cristo –e é contra igreja ter vida partidária.

“A hora em que ela quer se meter em fazer partido político, perde sua essência. Aí, minha filha, a gente vai se perder”, diz o pastor, que contudo apoia o apadrinhamento de candidatos. Seu próprio irmão, Samuel Malafaia, é deputado estadual no Rio. O religioso também manifesta simpatia pelo prefeito João Doria, do PSDB-SP.

O deputado Fonseca estima que o PRC já saia com uma bancada de pelo menos 20 deputados, que em março de 2018 poderão se aproveitar de uma janela da Justiça que autoriza o troca-troca partidário sem sanções eleitorais.

A ideia é protocolar o pedido de criação do partido no TSE até o fim do ano e investir em cargos legislativos em 2018. Fonseca quer que o número da sigla seja 80. “Ou oito ou 80, né?”

Fonte: pavablog.com.br