terça-feira, 25 de setembro de 2012

Evangélicos no Brasil - Avaliações do crescimento divergem a partir do último censo

Notícias Gospel Evangélicos no Brasil - Avaliações do crescimento divergem a partir do último censo  | Noticia Evangélica Gospel
Os mais otimistas dentro da linha de fé evangélica preveem que em 2020 esse segmento religioso representará 52,2% da população brasileira. Outros situam o teto máximo de crescimento em 35%. Mas o concesso é de que o Brasil passa por um avivamento.
 
A Missão Internacional Servindo aos Pastores e Líderes (Sepal) assinala que o Brasil passa por um avivamento espiritual e tem uma visão otimista a respeito do crescimento dos evangélicos. O evangelismo aguerrido, a adoção de regras menos rígidas, a flexibilização dos costumes e a ampliação da visão evangélica na sociedade são fatores que o pesquisador Luiz André Bruneto, do Sepal, arrola para justificar esse crescimento.
 
Alinhado com o sociólogo da religião Paul Freston, da Universidade de São Carlos, o bispo emérito metodista Paulo Ayres Mattos, pesquisador do pentecostalismo, afirma que o crescimento evangélico atingirá o seu ápice ao se estabilizar por volta dos 35% da população brasileira.
 
O Censo de 2010 revela a diminuição do ímpeto do crescimento evangélico na última década comparado ao crescimento do período anterior. “De 1991-2000 os evangélicos em geral cresceram cerca de 120%; na década de 2001 a 2010, os evangélicos cresceram aproximadamente 62%”, comparou Ayres Mattos em entrevista concedida ao Instituto Humanitas (IHU) da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos).
 
O que mais chamou a atenção desse pesquisador do pentecostalismo é a diminuição pela metade do ímpeto do crescimento institucional dos evangélicos, o aumento dos evangélicos sem igreja e dos brasileiros sem religião. “O que me parece estar ficando mais claro na sociedade brasileira é o desencantamento de muitas pessoas com as religiões institucionalizadas”, avaliou.
 
Ele credita a queda do ímpeto de crescimento evangélico a motivos exógenos(causas externas), outros nem tanto. A sociedade brasileira, analisa, passa por transformações sociais que possibilitam às pessoas resolverem seus problemas recorrendo a meios mais racionais, sem apelar para recursos milagrosos.
 
Um outro fator que menciona, mas que ainda carece de comprovação, são os escândalos envolvendo grandes e pequenos líderes pentecostais. Depois, muitos crentes começam a se decepcionar com as promessas de cura, de enriquecimento, não cumpridas.
 
As pessoas têm mais liberdade, hoje, “para escolher e combinar diversas opções em seu próprio cardápio religioso, como num balcão de comida a quilo”, uma espécie de “privatização” do religioso.
 
O pentecostalismo contemporâneo modificou de modo radical sua escatologia e vai na contramão do pentecostalismo clássico, que via o maligno presente no mundo, que é mau e precisa de Cristo para arrebatar os crentes para o céu.
 
Hoje, o pentecostalismo afirma que a sociedade de consumo é boa, que ela tem lugar para todos, que o mundo não é um lugar maldito, mas está cheio de bênçãos que devem ser possuídas aqui e agora, compara Ayres Mattos.
 
A difusão dessa “ideologia” tem na mídia evangélica um proclamador por excelência e tem influenciado, inclusive, o setor carismático da Igreja Católica. O teólogo Paulo Suess, no entanto, alerta: “Missas e ministros midiáticos, alinhados a padrões de marketing, podem destruir o sagrado”.
 
Do lado evangélico também vem um forte ponto de exclamação. A maioria da liderança evangélica brasileira está despreparada e carece de direção na teologia, eclesiologia e missiologia, admoesta Luis André Bruneto.
 
 
 
Fonte: inforgospel.com.br com informação alcnoticias | Divulgação: Midia Gospel

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Arcebispo Dom Jacinto Furtado diz que papa não é infalível e os padres deveriam casar

Notícias Gospel Arcebispo diz que papa não é infalível e que padre deveria casar | Noticia Evangélica Gospel
O novo arcebispo da cidade de Teresina (PI), dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho, 65 anos, mostrou suas opiniões em relação a uma grande polêmica no catolicismo que é o celibato e também contestou a ideia do papa Bento 16 sobre o assunto, dizendo que o pontífice não é infalível.
 
“O fato de que, para ser padre, precisa ser também celibatário, é uma disciplina da Igreja que pode mudar”, disse ele segundo uma reportagem da Folha de São Paulo.
 
Dom Jacinto fala sobre alguns casos que provam que essa exigência pode deixar de acontecer, citando, que no Oriente há padres casados e que recentemente o papa recebeu padres que saíram da Igreja Anglicana, com suas famílias, e se tornaram católicos.
 
“O espírito vai soprar na Igreja, e o papa tomará uma decisão oficial, conjunta, de dar as duas alternativas para o Ocidente”, disse.
 
Recentemente Bento 16 chamou os padres que não concordam com o celibato ou que desejam a ordenação de mulheres de desobedientes, afirmando que o celibato é “imprescindível” para exercer o sacerdócio.
 
Sobre essa declaração, dom Jacinto diz que o papa não é infalível. “O papa não é infalível quando fala tudo. A Igreja tem a convicção de que ele é infalível quando fala de fé e moral”.
 
O novo arcebispo da capital piauiense é adepto da Teologia da Libertação e defende uma renovação das ideias no catolicismo, por isso ele acredita que existe espaço na Igreja Católica para a mudança em relação ao casamento dos sacerdotes.
 
 
Fonte: Gospel Prime | Divulgação: Midia Gospel

Misticismo na igreja brasileira é falso evangelho, diz Hernandes Dias Lopes

Notícias Gospel Misticismo na igreja brasileira é falso evangelho, diz Hernandes Dias Lopes | Noticia Evangélica Gospel
O reverendo Hernandes Dias Lopes, da Primeira Igreja Presbiteriana de Vitória (ES) escreveu em seu Facebook sobre o misticismo presente na igreja brasileira.
Segundo o líder religioso, algumas igrejas trocam o evangelho da graça por rituais estranhos às Escrituras. “O misticismo de algumas igrejas brasileiras beira ao ridículo”, afirma.
 
De acordo com Lopes, algumas igrejas têm entre seus líderes obreiros inescrupulosos que, em nome de Deus, “torcem a Palavra de Deus, e conduzem o povo pelos atalhos sinuosos do engano para auferir vantagens pessoais”.
 
Entre os elementos que associa ao misticismo, ele cita a rosa ungida, água benzida, sal grosso, toalhas suadas, que, ao seu ver, distanciam as pessoas da “pureza e simplicidade do evangelho”.
 
Muitos desses elementos são distribuídos e até vendidos em igrejas neopentecostais. Esse segmento da igreja evangélica estão entre os que mais crescem em número de fiéis no Brasil.
 
O teólogo Wemerson Marinho, em sua análise “Pontos Discutíveis do Movimento Neopentecostal” citado pelo jornalista Johhny Bernardo diz que nas igrejas neopentecostais existe a falta de uma liturgia eclesiástica e a pouca atenção dada às Escrituras Sagradas como a única regra de fé e conduta. Não somente isso, mas também a falta de estudo e discipulado consistente fazem com que os indivíduos que recorrem aos templos neopentecostais permaneçam adeptos de crendices e continuem a praticá-las.
 
Marinho explica que os místicos são induzidos a prescindir da Bíblia e a se basear apenas em suas experiências. “Este é um dos grandes problemas dos neopentecostais, pois eles colocam suas experiências acima da Bíblia e dão a ela uma interpretação particular fora dos recursos hermenêuticos”, diz.
 
Segundo Hernandes Dias Lopes, expedientes como os objetos e práticas místicas “atraem multidões, mas não levam o povo à fonte da salvação”.
 
“Precisamos erguer nossa voz e dizer que esse misticismo é um outro evangelho, um falso evangelho”, conclui Lopes.
 
 
Fonte: Gospel Mais | Divulgação: Midia Gospel

Movimento promete fazer a maior campanha de oração do mundo

Notícias Gospel Movimento promete fazer a maior campanha de oração do mundo | Noticia Evangélica Gospel
A reunião anual do “Dia de Oração pela Paz de Jerusalém” ocorre no primeiro domingo de outubro e reúne milhões de pessoas que desejam interceder pela Cidade Santa. Este ano, o objetivo é realizar o maior evento de oração da história, segundo os organizadores.
 
“É a maior iniciativa de oração com foco em Jerusalém da história, com mais de 1.400 líderes cristãos apoiando e mais de 300.000 congregações participantes em mais de 175 países. Isso inclui as igrejas clandestinas da China e de sete países muçulmanos”, explicou Miriam Rodlyn Park global, uma das coordenadoras do evento.
 
A organização começou esse tipo de reunião em 2002, com os principais líderes políticos e religiosos de Israel e dos Estados Unidos, gerando o movimento mundial que se tornou hoje.
 
“A primeira resposta em qualquer situação é sempre a oração. Ou seja, os cristãos ao redor do mundo, de todas as denominações e idades, estão se mobilizando para orar pela paz de Jerusalém. Embora outras atividades sejam produtivas e importantes, a oração é o fundamento e o poder por trás qualquer mudança real para o bem”, ressaltou Park.
 
Dave Butts, responsável pelo Comitê de Oração América, acrescentou: “Não há nenhuma chamada mais urgente a todo o corpo de Cristo que o Dia de Oração pela Paz de Jerusalém. Este movimento de oração combina a dinâmica das manchetes de amanhã com o imperativo de orar baseados na Palavra de Deus”.
 
O evento também está sendo auxiliado pelo Eagle’s Wings [Asas de Águia], um ministério cristão global cuja missão é construir pontes entre as comunidades de fé, e “trazer ao mundo a mensagem de esperança que vem do Deus de amor, treinar a próxima geração de líderes cristãos, além de unir e capacitar os crentes a fazer uma diferença positiva no mundo ao seu redor”.
 
O material disponível no site do evento, DayToPray.com, insiste que é importante apoiar Israel, porque em seu início, a igreja era totalmente judaica, e assim permaneceu até que o Evangelho começou a se espalhar pelo mundo.
 
“A Escritura declara que chegará um momento em que todas as nações do mundo vão se voltar contra Israel. É altamente provável que isso possa acontecer em nosso tempo, algo fundamental para entendermos por que devemos ficar ao lado de Israel hoje”, acrescenta o site.
 
O site Daytopray.com oferece ainda informações sobre como os indivíduos e as organizações podem se envolver no evento de oração de 7 de outubro.
 
 
Fonte: Gospel Prime Traduzido de The Christian Post | Divulgação: Midia Gospel

domingo, 23 de setembro de 2012

Cardeal católico critica o uso da igreja como 'curral eleitoral'

Notícias Gospel Cardeal católico critica o uso da igreja como 'curral eleitoral' | Noticia Evangélica Gospel
O Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, apelou aos candidatos à prefeitura de São Paulo para que não usem as igrejas como “currais eleitorais”, durante um colóquio nesta nesta quinta-feira.
 
“Não aprovamos que nossas igrejas sejam transformadas em currais eleitorais, ou que também nossas comunidades religiosas imponham os votos aos católicos”, afirmou.
 
O colóquio foi realizado na Arquidiocese de São Paulo e contou com a presença de Gabriel Chalita (PMDB), Jose Serra (PSDB), Soninha Francine (PPS) e Fernando Haddad (PT). O candidato Celso Russomano (PRB), entretanto, não compareceu à reunião.
 
A ausência de Russomano se deu depois de uma tentativa de marcar uma reunião particular com dom Odilo, antes do colóquio, mas o cardeal não aceitou. Russomano queria explicar seu posicionamento diante das críticas católicas ao chefe de campanha do partido, Marcos Pereira, que é também bispo licenciado da Igreja Universal.
 
Odilo afirmou que considera que “a manipulação e a instrumentação da religião em função da busca do poder político não são um bem para sociedade e não são coerentes com os princípios de liberdade de consciência e do legítimo pluralismo no convívio dos cidadãos.”
 
"Esse papel, esse poder de fazer a propaganda, de se mobilizar para fazer a mobilização de algum candidato cabe especificamente aos fieis leigos, aos cristão leigos dentro da igreja."
 
Polêmica entre igreja católica e Marcos Pereira
 
A igreja católica criticou na semana passada o bispo Marco Pereira, da Igreja Universal, que é o coordenador da campanha do PRB, por ter associado o conhecido “kit gay” à influência da igreja católica, em um texto publicado no ano passado.
 
Marcos Pereira respondeu à situação escrevendo em seu blog que tinha apenas manifestado a sua liberdade de expressão e que respeita os direitos individuais de credo. Ele disse ainda que lamenta que o exercício de pensamento tenha voltado à tona de maneira indevida às vésperas da eleição para a prefeitura de São Paulo.
 
O The Christian Post tentou contato com o bispo para comentários sobre o assunto, mas a comunicação não foi possível.
 
O cardeal lamentou a ausência de Russomano na reunião mas disse que foi uma “escolha dele.”
 
"Foi uma pena ele não ter vindo, mas foi uma escolha… uma escolha dele", disse ele em conversa com o senador Eduardo Suplicy.
 
 
Fonte: The Christian Post | Divulgação: Midia Gospel

Pastor Youcef Nadarkhani agradece a Deus e aos irmãos de todo o mundo

Notícias Gospel Pastor Youcef Nadarkhani agradece a Deus e aos irmãos de todo o mundo | Noticia Evangélica Gospel
Youcef Nadarkhani, o pastor iraniano que foi recentemente libertado da prisão, escreveu uma carta de agradecimento ao mundo pelas orações que foram erguidas em seu nome.
 
Na carta agradecendo, o pastor diz: "Eu sou especialmente grato por sua bondade e proteção divina que caracteriza o tempo de minha prisão".
 
Youcef foi preso por três anos e foi libertado em 8 de setembro. O pastor foi absolvido da acusação de apostasia que pesava contra ele.
 
O pastor acrescenta que agradece a todos que por todo o mundo o apoiaram aberta ou secretamente, pedindo a benção de Deus sobre essas pessoas. "Os amados são todos muito querido para o meu coração. Que Deus os abençõe e lhe dê a graça perfeita e soberana", diz Nadarkhani em sua carta.
 
O pastor iraniano disse que foi posto à prova, mas que em todo o seu tempo na prisão, ele viu a mão do Senhor que em tudo o apoiou.
 
“Na verdade, tenho sido posto à prova, que é prova de fé, segundo nos informa as Escrituras mais preciosas do que o ouro perecível”. O pastor comenta que em nenhum momento se sentiu sozinho, e que estava consciente do fato de que não era uma batalha solitária, porque sentia a todo momento a energia do apoio das pessoas que com consciência lutou para a promoção da justiça e dos direitos de todos os seres humanos.
 
“Graças a estes esforços, agora eu tenho a grande alegria de estar com minha esposa maravilhosa e meus filhos. Sou grato a essas pessoas através do qual Deus está trabalhando. Tudo isso muito nos encoraja a continuar”, disse ele.
 
De acordo com publicação CBN, Youcef comentou que durante período na prisão ele foi capaz de experimentar escritura de maneira “tão maravilhosa” que disse. “De fato, como os sofrimentos de Cristo são abundantes para nós, a nossa respiração abunda por meio de Cristo”. Ele afirma que o encheu de forças naquele momento. "Deus não nos permite prova além de nossa força ( … )”.
 
Apesar de ter sido considerado culpado de apostasia, segundo determina a Lei da Sharia, ele agradece a Deus por ter concedido aos líderes do país, a sabedoria para romper a decisão, buscando dentro da própria Lei islâmica argumentos para a minha libertação.
 
“Ficou evidente que os defensores iranianos dos direitos humanos e juristas têm feito esforços significativos para cumprir a lei e o direito. Eu quero agradecer a todos aqueles que defenderam a minha causa até o fim”.
 
Ao finalizar a carta, Youcef agradeceu mais uma vez as pessoas que lutaram para que os direitos humanos fossem cumpridos no seu caso e que esta em dívida com aqueles que têm fidelidade com a Palavra de Deus, “essa Palavra faz-nos herdeiros de Deus”.
 
“Ele conclui em sua carta de agradecimento a Deus e aos cristãos que oraram por ele durante três anos em que esteve na prisão dizendo: “Eu estou fazendo orações a Deus para o estabelecimento de uma paz universal e infinita, e que a vontade do Pai se estabeleça na Terra como no Céu. Na verdade, tudo passa, mas a palavra de Deus, fonte de toda a paz, vai durar para sempre”.
 
 
Fonte: The Christian Post | Divulgação: Midia Gospel

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

JESUS TINHA ESPOSA: Mais uma fraude gnóstica colocada em evidência

Notícias Gospel Mais uma fraude gnóstica colocada em evidência | Noticia Evangélica Gospel
Ontem, mais uma fraude gnóstica celebrada por teólogos liberais militantes ganhou repercussão na mídia internacional. Trata-se da divulgação de um papiro copta, datado do quarto século d.C., que poderia estar sugerindo – como outras obras gnósticas do segundo século – que Jesus foi casado.
 
O texto apócrifo, composto por oito linhas, está todo fragmentado, o que dificulta qualquer tentativa de interpretação, como destaca a própria porta-voz da descoberta, a historiadora e cientista da religião Karen Leigh King, da Universidade de Harvard, nos EUA. Ela, porém, que é defensora do Jesus casado do gnosticismo, enfatiza os dizeres da quarta linha, na qual se lê apenas “Jesus disse a eles: Minha mulher”, sendo que a continuação não pode ser lida. Na linha seguinte, já se lê: “Ela estará preparada para ser minha discípula”.
 
Como afirma André Chevitarese, professor do Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em matéria no site da revista Veja sobre a descoberta do referido papiro, “usar esse fragmento para dizer que Jesus era casado é sensacionalismo. Seria fazer algo parecido com o que Dan Brown fez em ‘O Código Da Vinci’, onde usou trechos do Evangelho de Felipe em copta para dizer que Jesus beijou Maria Madalena. De novo, esse evangelho diz mais sobre as vivências dessa comunidade do que sobre o Jesus real”.
 
Karen Leigh King, 58 anos, é discípula do teólogo da libertação norte-americano Harvey Cox, propugnadora da teologia feminista nos EUA e membro do grupo Seminário de Jesus, criado em 1985 tendo como objetivo desconstruir o Jesus da Bíblia, defendendo que os Evangelhos devem ser vistos como cheios de invenções sobre a vida de Jesus; que os milagres de Jesus nunca ocorreram porque milagres não podem acontecer; que Jesus nunca ressuscitou; que foi casado com Maria Madalena, com base nos evangelhos gnósticos; que era filho de um adultério de Maria com um soldado romano; e que os evangelhos gnósticos são mais importantes do que os relatos canônicos.
 
Ora, os evangelhos gnósticos são fraudes criadas pelos gnósticos a partir do segundo século da Era Cristã para enganar os cristãos, mas que foram denunciadas ainda em seu nascedouro por Pais da Igreja, como o bispo Irineu de Lyon (130-202dC).
 
Mais recentemente, em 2004, os militantes do Seminário de Jesus enfatizaram o chamado “Evangelho de Judas”, outro texto gnóstico, escrito aproximadamente em 180 d.C., e que é uma das fraudes gnósticas denunciadas nominalmente por Irineu em sua clássica obra “Contra as Heresias”.
 
“Eles produzem uma dessas histórias fictícias, a qual chamam de ‘Evangelho de Judas’”, escreveu Irineu no segundo século d.C. Lembrando ainda que Irineu aprendeu aos pés de Policarpo, que por sua vez foi discípulo direto do apóstolo João, um dos doze apóstolos de Cristo.
 
Os gnósticos eram uma corrente filosófica forte nos primeiros séculos da Era Cristã, mas que não tinha o apoio nem do judaísmo nem do cristianismo. Suas crenças não têm base bíblica, nem no Antigo nem no Novo Testamento. Essa seita caracterizava-se por misturar os ensinos cristãos com filosofias pagãs e tradições judaicas. Os apóstolos Paulo e João lutaram contra esse movimento. Escrevendo sobre os gnósticos, Paulo afirma: “Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo” (Colossenses 2.8). O motivo de sua preocupação, afirma ele, era “para que ninguém vos engane com palavras persuasivas”.
 
Os gnósticos são assim chamados porque seu objetivo, segundo afirmavam, era a “gnosis”, isto é, o conhecimento. Eles criam na salvação pelo conhecimento. Os gnósticos adotavam conhecimentos místicos com forte influência da doutrina pitagórica, do platonismo, do Culto de Mitras (mitraísmo) e até mesmo de ensinamentos oriundos do Antigo Egito e da Mesopotâmia (zoroastrismo e mazdeísmo).
 
Os gnósticos criam que o conhecimento, que denominavam de “gnosis”, podia ser adquirido por meio de transes, quando “o espírito fica livre para circular pelas diversas esferas, assim como pelos sonhos”. Eles criam que o mundo material e o corpo humano foram criados por espíritos inferiores ou até mesmo diabólicos, por isso só a busca por uma sabedoria esotérica ajudaria alguns a libertar-se da “escravidão do corpo”. Por isso, os gnósticos criam que Jesus não era Deus feito carne, mas um espírito possuindo um corpo.
 
Para sustentar seus ensinos e ganhar apoio entre cristãos, os gnósticos escreveram algumas fraudes, como o Evangelho de Maria, sobre Maria Madalena; e o Evangelho de Pedro, todos rejeitados pela Igreja Primitiva. Eles tentavam vender esses livros como escritos do primeiro século, quando, como se sabe, são obras produzidas no segundo, terceiro e quarto séculos. Na época, quase ninguém caiu nessa história, tendo essas fraudes e seus criadores sido facilmente identificados ainda em seus dias, e suas criações sido solenemente desprezadas pelos cristãos daquele período. Essas fraudes sequer chegaram a ter uma pequena aceitação entre os cristãos.
 
Diferentemente desses evangelhos apócrifos, confeccionados pelos gnósticos no segundo, terceiro e quarto séculos, os quatro Evangelhos – Mateus, Marcos, Lucas e João – foram escritos ainda no primeiro século, sendo que dois deles foram escritos por dois dos 12 apóstolos de Cristo (caso de Mateus e João) e um outro foi redigido conforme os relatos ditados pelo apóstolo Pedro (caso do Evangelho de Marcos, o mais antigo dos quatro). Lembrando ainda que quando os Evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas já circulavam, o apóstolo João ainda era vivo. Por essa razão, esses foram os únicos Evangelhos aceitos pela Igreja Primitiva como fidedignos. Irineu, de quem já falamos (que aprendeu de Policarpo, que por sua vez aprendeu aos pés de um dos quatro evangelistas – João), cita os quatro como os únicos verdadeiros. Ele os chama, em sua obra “Contra as Heresias”, de “Evangelho Tetramorphon”, ou seja, o Evangelho tetramórfico ou quádruplo.
 
Por sua vez, Orígenes (185-254dC), o mais destacado exegeta bíblico da Igreja Primitiva grega, afirmou que Mateus, Marcos, João e Lucas eram os únicos Evangelhos verdadeiros e escritos “pela inspiração do Espírito Santo”. Ele ainda acrescenta que estes eram os únicos Evangelhos que, em sua época (o terceiro século), eram aceitos por todos. Irineu afirmara o mesmo no segundo século.
 
O papiro em evidência hoje é só mais uma tentativa da velha militância do liberalismo teológico de tentar seduzir as pessoas incautas a não crerem no que a Bíblia diz. Felizmente, será em vão, mais uma vez.
 
 
Fonte: CpadNews | Divulgação: Midia Gospel

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Líder do Hezbollah convoca no Líbano uma semana de 'raiva' contra o filme 'A Inocência dos Muçulmanos'

Notícias Gospel Líder do Hezbollah convoca no Líbano uma semana de 'raiva' contra o filme 'A Inocência dos Muçulmanos' | Noticia Evangélica Gospel
O líder do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah, nesta segunda-feira (17), convocou uma semana de protestos no Líbano, contra o filme blasfemo “A inocência dos muçulmanos”, cuja difusão gerou uma onda de protestos e indignação no mundo muçulmano .
 
“Você deve mostrar ao mundo sua ira e seus gritos, na segunda-feira e nos dias seguintes [...] não basta expressar sua fúria contra embaixadas dos EUA, deve exigir do seu governo a tomar medidas” disse o chefe do Hezbollah, que pediu para não atacar as legações diplomáticas.
 
Nasrallah afirmou que os insultos contra o Islã “nunca tinha sido tão grave” e disse que “este ato é pior do que ‘Os Versos Satânicos” do escritor britanico Salman Rushdie , as queimas do Alcorão ou as polemicas caricaturas do profeta Maomé, e que seu objetivo é criar um conflito inter-religioso “.
 
O líder do Hezbollah culpou a inteligência dos EUA de estar por trás do incidente e as autoridades em Washington de utilizar a desculpa de liberdade de expressão para justificar sua divulgação.
 
“Os responsáveis pelo vídeo, começando pelos EUA, eles são responsáveis. O Mundo islâmico exige que o Governo dos EUA, cesse a divulgação desse vídeo”, acrescentou. “A pior coisa é que os sites da internet que continuam a transmitir vídeo e recusam retira-lo”, disse ele.
 
 
Fonte: Portal Padom | Divulgação: Midia Gospel

"Eis os milhões..." (HC 65): Imagens chocantes da celebração da Ashura




A celebração da Ashura é o último dos dez dias do período de luto em memória ao Imam Hussein, neto do profeta Maomé, morto em uma batalha em Karbala, no Iraque, em 680 dC. Mulçumanos xiitas praticam a autoflagelação como expressão de culpa por terem abandonado os Imams quando esses necessitavam de ajuda. A morte de Hussein provocou a divisão histórica no Islã entre sunitas e xiitas.

A Ashura é comemorada pelos xiitas durante dez dias, período no qual as pessoas se vestem de preto, participam de encontros e palestras islâmicas. No último dia, considerado o ponto alto da comemoração, acontecem os rituais de martírio. Os xiitas participantes cortam-se com navalhas, facas e espadas para ficarem cobertos de sangue e saem as ruas batendo com suas mãos contra o peito e gritando cânticos religiosos.No Irã, o aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do país, proibiu o ritual com sangue, porém no Iraque, na cidade de Kerbala, onde está localizada a tumba de Hussein, os xiitas ainda praticam o ritual sangrento. Turistas que tiveram a oportunidade de ver o ritual da Ashura, relatam que um cheio forte e insuportável de sangue pode ser detectado à metros de distância. Jovens, adultos, idoso e até crianças desfilam em frente à multidão cobertos de sangue. Para os muçulmanos xiitas, sangrar é um sinal de respeito.



As cenas são fortes e o choque cultural com a nossa cultura ocidental é muito grande. Seguem algumas impressionantes imagens da celebração:

(1)
(2)
(3)
(4)
(5)
(6)
(7)
(8)
(9)
(10)
(11)
(12)
(13)
(14)
(15)
(16)
(17)
(18)
(19)
(20)
(21)
(22)
(23)
(24)
(25)
(26)
(27)
(28)
(29)
(30)
(31)
(32)
(33)
(34)
(35)
(36)
(37)
(38)
(39)
(40)
(41)
(42)
(43)
(44)
(45)
(46)
(47)
(48)
(49)
(50)
(51)
(52)
(53)
(54)
(55)
(56)
(57)
(58)