sábado, 31 de março de 2012

DIA MUNDIAL DE EVANGELISMO E ORAÇÃO

Igrejas e organizações se mobilizam para realizar no dia 02 de junho o Global Outreach Day (G.O.D.)


Dia mundial de evangelismo e oração
Um dia: 02 de junho de 2012. Um mundo: 200 nações. Uma mensagem: Jesus. O que aconteceria se as boas novas de Jesus Cristo fossem proclamadas em todas as nações da terra no mesmo dia?

Milhões de cristãos irão compartilhar a mensagem do Evangelho em todo o mundo no Global Outreach Dia. A visão é tão simples que cada igreja e cada cristão podem fazer a sua parte, usando os seus próprios dons para compartilhar Cristo de uma forma única apropriada ao seu ambiente cultural.

O Global Outreach Dia (Dia de Alcance Global) e o Dia Mundial de Oração estão se unindo para construir dois pilares fundamentais do cristianismo: evangelismo e oração. “Nossa visão é a de mobilizar cristãos em mais de 200 nações para levar o Evangelho a todos, em todos os lugares em um dia a cada ano”, afirmam os organizadores.

A visão do Dia de Alcance Global é construir uma rede de cristãos no mundo inteiro, equipando e mobilizando-os a compartilhar o Evangelho a mais de 200 nações em um único dia.

É a sua colheita!

 O Dia Global pode acontecer através de pessoas individuais e igrejas individuais. O objetivo é cada cristão levar as boa novas de Jesus Cristo.

Qualquer um pode participar. E todos podem fazê-lo em sua própria maneira. Quer ir a hospitais, prisões ou para as ruas? Você pode usar o Dia de Alcance Global para difundir o Evangelho. Você pode até convidar as pessoas em sua casa e dizer-lhes sobre Jesus durante o jantar.

O Dia Outreach Global não será só um dia especial para aquelas pessoas que dão suas vidas a Cristo. Poderia ser o início de um novo estilo de vida missionária de cada pessoa que se envolver. Neste dia pode-se iniciar uma onda de evangelização em todo o mundo, e você pode ser uma parte deste dia histórico!

Muitas igrejas e organizações já estão fazendo parte na Out Global. Faça parte da equipe e vamos alcançar este mundo juntos.

"O Dia Solidário Global é uma visão de Deus e eu acredito nesta visão. Esperamos ver milhões de pessoas vindo para o Reino de Deus", afirma Loren Cunningham, da Jocum, uma das organizações parceiras.
Fonte: Globaloutreachday.com

SE A MODA PEGA: Conheça a Fogospel, torcida organizada gospel do Botafogo

Liderados por um pastor, eles oram antes dos jogos e não falam palavrões enquanto assistem as partidas

Conheça a Fogospel, torcida organizada gospel do Botafogo.
 
Em dias onde a violência entre torcidas organizadas ganha destaque na mídia, o Globo Esporte do Rio de Janeiro mostrou um grupo diferente, que mostra amor pelo time, mas que respeita e prega a paz.

Trata-se do Fogospel, o grupo de torcedores do Botafogo que levantam não só a bandeira do time como também a bandeira de Cristo.

Unidos, cerca de 30 pessoas assistem ao jogo em ordem, sem ofensas e falando da paz. A reportagem chegou a entrevistar os jogadores do time que elogiaram a atitude desses torcedores.

“Enquanto a gente vê o mau exemplo das torcidas, agressão, violência, eles estão de parabéns estão pregando a palavra de Deus e pregando a paz”, disse Jefferson o goleiro do Botafogo.

Liderados por um pastor, o grupo ora antes de entrar no estádio e só aparecem quando os jogos acontecem aos sábados. “Domingo é dia do Senhor, é dia que os evangélicos estão na igreja”, disse o pastor Hércules que também torce pelo time carioca.

No grupo há botafoguenses de diversas idades que respeitam os outros torcedores e que vibram durante o jogo sem falar palavrão ou ofender o juiz do jogo.

terça-feira, 27 de março de 2012

CONSELHOS AOS PREGADORES - POR CHARLES FINNEY


 Muitas são as atitudes e comportamentos negativos que observamos por parte de muitos pregadores, no púlpito e principalmente fora dele. Entendemos que o que se dedica a pregação das verdades contidas no Evangelho, deve acima de tudo viver de modo digno do mesmo. É mais importante a vida do pregador fora do púlpito que em cima. Alguém já disse: "As tuas atitudes falam tão que não posso ouvir o que dizes". Observemos, pois assim, os 24 conselhos de quem teve vida e testemunho para ensinar. 

Conselhos que Finney deu para quem prega o evangelho



1.       Pregue a Palavra constrangido pelo amor.

2.       Seja revestido do poder do Espírito Santo.

3.       Mantenha uma comunhão íntima com Deus.

4.       Tenha uma profunda vida de meditação na Palavra de Deus.

5.       Não dependa dos comentários, ouça-os, porém busque o veredicto de Deus.

6.       Guarda-te puro em atos e atitudes.

7.       Recusa-te a diminuir a intensidade desta obra. Seja constante e diligente.

8.       Creia na promessa de Jesus: “Estarei convosco todos os dias”.

9.       Livra-te de hábitos que possam produzir tropeço aos homens.

10.   Não sejas leviano. Põe o Senhor a frente de ti em todos os momentos.

11.   Fuja de conversas frívolas e sem proveito. Controla tua língua.

12.   Resolva a “nada saber” entre teu  povo “senão a Jesus e este crucificado”.

13.   Ensine por preceito e por exemplo.

14.   Vigie em teus pontos fracos.

15.   Seja simples, sério e de correto procedimento cristão.

16.   Gaste muitas horas diárias na oração e na Palavra. Se falhares nisto serás um homem como outro qualquer.

17.   Fuja de ensinar por sabedoria humana. Busque a orientação direta do Espírito Santo.

18.   Pregue com base em sua própria experiência e não por ter ouvido falar.

19.    Deixe o povo compreender que temes muito a Deus para temê-los.

20.   Não seja refém da popularidade e do salário. Declare todo o conselho de Deus, quer ouçam, quer deixem de ouvir.

21.   Não bajule os ricos.

22.   Fuja das vaidades.

23.   Não fique calado ao ver o pecado no meio do teu povo.

24.   Por mais que sejam voluntários, não aceite sustento da obra por homens não comprometidos com Deus.


Fonte: "Uma vida cheia do Espírito" - Charles G. Finney (Editora Betânia)

sexta-feira, 23 de março de 2012

I - CONGRESSO NACIONAL DE EVANGELIZAÇÃO DO SERTÃO NORDESTINO SUPERA EXPECTATIVA



O Congresso Nacional de Evangelização do Sertão Nordestino superou todas as expectativas. Sob a liderança do Pr. Jonathan Ferreira dos Santos, presidente do Vale da Bênção, foi realizado no periodo de 19 a 24 de março em Juazeiro do Norte-CE. 

Compareceram ao evento diversas lideranças de todo o Brasil. Houve participação significativa de muitos obreiros que atuam no interior do Nordeste. Compareceram também muitas associações missionárias que atuam na evangelização dos sertanejos.

Foram diversos os palestrantes nas oficinas durante o dia. Dentre eles, o Pr. Edson Queiroz da Igreja Batista em Santo André-SP. Dra. Barbara Burns, José João, Abe Huber, Antonio Marcio, Cirino Refosco, Simeia Meldrum, John Medcraft, Cesário de Paula Jr. Aurivan MArinho, Rubens Coutinho, Sérgio Ribeiro, Eraldo Xavier, outros. Além de Pr. Jonathan F. Santos, Valnice Milhomens, Ana Paula Valadão... E a noite cultos com participação de bandas e grupos regionais com ritmo nordestino.

Foi de grande proveito, pois os palestrantes desenvolveram os mais diversos temas de alta importância e que com certeza despertaram a muitos para a triste realidade, que é a carencia do evangelho no Nordeste. 

O quadro evangelístico era desconhecido e de pouco interesse para a grande maioria das lideranças brasileiras, afinal quem quer investir no interior do Nordeste, visto que não traz nenhum retorno financeiro, principalmente pastores de mega igrejas e aos teleevangelistas? 

Graças a Deus, pois pela feliz iniciativa do Pr. Jonathan. Um homem sério e comprometido com o reino de Deus. Que bom seria se tivessemos neste país muitos homens com esta visão de propagar o evangelho a toda criatura, principalmente os que estão nas regiões nordestinas.

A evangelização do sertão nordestino é um grande desafio para a igreja brasileira. Quem se apresenta??

DESAFIO MISSIONARIO NO SERTÃO NORDESTINO

Região do semiárido

A Região do Semiárido corresponde a uma área de 982.563,3 quilômetros quadrados (11% do total do território), sendo a região semiárida mais populosa do mundo, com 36 milhões de pessoas. O Semiárido brasileiro está entre os estados do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e extremo norte de Minas Gerais. Sendo composta por 1.133 municípios, com cerca de 11.000 vilas sem nenhum testemunho evangélico efetivo – compreende-se por testemunho efetivo, as áreas com grupos cristãos evangélicos organizados em templos ou células.

DESAFIOS

O Nordeste é a região Semiárida mais densamente povoada do mundo.

11 cidades do Piauí, 2 do Ceará e 2 da Paraíba tem mais de 65% da população formada por indigentes.

50% das crianças pobres do Brasil vivem no nordeste, ou seja, 66% das crianças do Nordeste.

A taxa de mortalidade infantil é de 30 a 72 bebês em cada 1.000, dependendo da região.

A renda percapita do Nordeste é inferior à metade da renda Nacional.

A taxa de analfabetismo é quase o dobro da média do restante do País. Mais de 19% da população é analfabeta.

O Nordeste possui a menor expectativa de vida do Brasil – 69 anos.

A região tem o menor percentual de saneamento, água encanada e energia elétrica do país.

O Nordeste apresenta a maior taxa de desemprego e de trabalhadores que recebem menos de um salário mínimo por mês, cerca de 41% da população.

Das 485 cidades brasileiras com menos de 3% de evangélicos, 343 estão no Sertão Nordestino.

Dos 222 municípios brasileiros com menos de 2% de evangélicos, 138 estão no Nordeste.

No Nordeste há 70 cidades com menos de 1% de evangélicos.

A cidade de Carrapateira na Paraíba tem índice 0% de evangélicos.

Alagoas é o estado que apresenta o maior número de cidades com menos de 1% de evangélicos. Não há informação sobre a existência de quaisquer igrejas em Santana do Ipanema (AL), 41.500 habitantes, ou São José da Tapera (AL), 27.600 habitantes, exemplos de cidades que não são tão pequenas assim.

Alguns exemplos de cidades alagoanas com menos de 1% de evangélicos: Craíbas (20.789 hab.): 0,86%; Água Branca (19.294 hab.): 0,68%; Senador Rui Palmeira (11.979 hab.): 0,93%; Pariconha (10.086 hab.): 0,82%; Monteirópolis (7.240 hab.): 0,46%.

No Ceará, os seguintes municípios retém o índice de menos evangelizados: Araripe (19.606 hab.): 0,9%; Caririaçu (25.733 hab.): 0,5%; Granjeiro (5.295 hab.): 0,08%; Alcântaras (9.548 hab.): 0,44%.

A Região de “Crajuba” (Crato, Juazeiro e Barbalha) no Cariri cearense tem quase 500 mil habitantes e somente 15.000 crentes, ou seja, 3% da população.

Mais de 97% dos crentes no Ceará se encontram na Região da capital e somente 3% no interior, realidade muito parecida com os demais estados do nordeste. Ou seja, grande concentração evangélica nas capitais e quase nada de testemunho cristão nos interiores.

Mais de 80% da população da região do semiárido são um tipo de Catolicismo cultural, tradicional e popular.

CONGRESSO NACIONAL DE EVANGELIZAÇÃO DO SERTÃO NORDESTINO


O alvo do Congresso é reunir em Juazeiro do Norte 1.000 líderes de todas as regiões do Brasil.
Delegados das diversas denominações, das missões, dos seminários, das editoras, e de outras organizações evangélicas.


O Congresso deverá mostrar uma visão ampla do Sertão Nordestino
- Quem é o Sertanejo. Suas crenças. O ambiente em que ele vive.
- Panorama sócio-econômico do Sertão Nordestino.
- Panorama cultural.
- A influência do Padre Cícero, Frei Damião, e de outros religiosos, na religiosidade do sertanejo.
- A situação do desenvolvimento evangélico na região.
- Como vencer as barreiras para implantar igrejas evangélicas em lugares nos quais ainda não conseguimos nos estabelecer.

O Congresso deverá deixar claro que há dois Nordestes
- O Nordeste mais desenvolvido. É o Nordeste do litoral, das capitais, das praias ensolaradas, dos shoppings, da economia forte, culturalmente desenvolvido, com muitas igrejas evangélicas, e movimentos evangélicos em expansão.
- O Nordeste pouco desenvolvido. O interior de nove estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe. Onde há ainda muito analfabetismo; milhões abaixo da linha da pobreza; muita superstição.

No Sertão Nordestino a porcentagem de evangélicos é baixíssima: menos de 4%. Centenas de cidades com menos de 2% de evangélicos. Muitas com menos de 1%. Milhares de povoados sem nenhuma igreja evangélica. 71% das cidades menos evangelizadas do Brasil estão no Sertão Nordestino. Das 485 cidades brasileiras com menos de 3% de evangélicos, 343 estão no Sertão Nordestino. 12.000 comunidades rurais, ou vilarejos, sem igrejas. No caso do Estado do Ceará, 97% dos crentes estão na área de Fortaleza. Os outros 3% estão distribuídos no interior.

O Nordeste todo tem em torno de 53 milhões de habitantes. Cerca de 46 milhões vivem no Sertão. 16 milhões na área rural.

Por que um Congresso tão grande em Juazeiro do Norte?
Juazeiro do Norte fica bem no coração do Sertão Nordestino. A distância de Juazeiro para as capitais dos nove estados, é de 600 a 700 km. Apenas duas capitais ficam mais longe: Salvador 900 km; São Luiz 1.000 km.

Juazeiro do Norte tem cerca de 300.000 habitantes. Crato, cerca de 140.000. Barbalha, 60.000 habitantes. Cerca de 500.000 habitantes nessa segunda região metropolitana do Estado do Ceará. Um oásis no Sertão, com grande desenvolvimento econômico. As igrejas evangélicas vêm crescendo bastante nos últimos anos nessa área. Contudo, ainda representam menos de 3% desses 500 mil habitantes!

Paulo, apóstolo dos gentios, trabalhou em Éfeso durante três anos. Éfeso era a cidade pólo da Ásia Menor. Ao final de três anos, toda a Ásia Menor tinha sido tocada com o Evangelho. Não há mais campo por aqui, disse ele.

Juazeiro do Norte tem sido a capital espiritual da idolatria, do sincretismo religioso e da superstição. A figura do Padre Cícero tem sido exportada para todo o Nordeste e para todo o Brasil.

Seria possível transformar essa região em centro de influência evangélica para todo o Sertão Nordestino?

O Congresso Nacional de Evangelização deverá ser o marco inicial do Movimento Nacional de Evangelização do Sertão Nordestino, que é um projeto de 10 anos (2012 a 2022). Deseja-se implantar 10.000 igrejas nesses 10 anos, em todo o Sertão. Isto só será possível se conseguirmos 2.000 parceiros: denominações, missões, igrejas locais e outras organizações.

Esperamos conseguir realizar 6 congressos: 2012, 2014, 2016, 2018, 2020, 2022.

Cada Congresso deverá ser realizado em diferentes cidades do Sertão Nordestino. Em 2013 deverá ocorrer o Congresso de Jovens. Esperamos atrair 2.000 jovens de todo o Brasil, de todas as denominações, missões, igrejas locais e outras organizações. Eles serão desafiados para participarem do Movimento Nacional de Evangelização do Sertão Nordestino.

Entre 2013 e 2014 deverá haver um Congresso de Mulheres na região. Espera-se poder organizar também um congresso de homens e um congresso de empresários evangélicos. Tudo isto deverá estimular muitos pastores e líderes para participarem desse desafio extraordinário que é a evangelização do Sertão Nordestino.

Se conseguirmos estimular os evangélicos de todo o Brasil para olharem para o Sertão Nordestino como campo missionário prioritário, certamente alcançaremos os alvos propostos.

A região menos evangelizada do Brasil poderá tornar-se, a região mais evangelizada do Brasil.

Tem vindo ao meu espírito um pensamento constante: O Congresso e o Movimento Nacional de Evangelização do Sertão Nordestino poderão se tornar motivação forte para um novo grande despertamento de missões. A ênfase forte em missões nacionais poderá transbordar para missões mundiais. O Brasil poderá ser o celeiro de missões para muitas nações.

À medida que trabalho para que o Congresso Nacional aconteça, fico me perguntando: Será que estamos no limiar de uma grande experiência de avivamento no Brasil? Quais seriam as ênfases desse avivamento? Missões? Implantação de muitas obras sociais? Aprofundamento da vida cristã? Um poderoso mover do Espírito Santo, ao reverso? Em vez de ser das capitais para o interior, poderá ser do interior para os grandes centros?

Você poderá cooperar, e muito: 1. Intercedendo; 2. Envolvendo-se na preparação do Congresso; 3. Contribuindo financeiramente.


Juazeiro do Norte fica no centro geográfico do Nordeste. Distâncias de Juazeiro para todas as capitais do Nordeste
Fortaleza, CE - 585km
Teresina, PI - 609 km
Recife, PE - 626 km
Natal, RN - 630 km
João Pessoa, PB - 631 KM
Maceió, AL - 650 km
Aracajú, SE - 691 km
Salvador, BA - 908 KM
São Luiz, MA – 1038 km

www.congressosertaonordestino.com.br

Email: congresso.sertaonordestino@gmail.com
Telefone em Juazeiro do Norte: (88) 3512-6041 begin_of_the_skype_highlighting (88) 3512-6041 end_of_the_skype_highlighting
Telefone em São Paulo: (11) 4136-4773/4204-1176


VENHA PARTICIPAR DO CONGRESSO NACIONAL DE EVANGELIZAÇÃO DO SERTÃO NORDESTINO: 19 a 23 de Março de 2012 em Juazeiro do Norte, CE

quinta-feira, 22 de março de 2012

Removendo os lobos de nossos púlpitos

 

 
Muitos pregadores se tornaram profissionais de altar. Pregam bem, manipulam a unção do ambiente, causando a impressão de que são espirituais, mas na verdade são pessoas que não tem o coração no Reino de Deus.
Altivos, egocêntricos, carnais, alguns manifestam até poderes demoníacos, espírito de anti-cristo.
Nem sempre o falso profeta sabe que é falso profeta. São tomados por espírito de engano, e se possível enganam até mesmo os escolhidos.
Abaixo eu relaciono alguns testes para descobrir quem não deve subir no altar de sua igreja:
 
1) Teste de integridade: Procure observar como é a vida pessoal do pregador, incluindo casamento, relação com os filhos, caráter, sinceridade (caráter vale mais do que carisma).
 
2) Veracidade: Veja se o pregador não é mentiroso ou exagerado. O que não falta são contadores de história. Exageram nos testemunhos, nos sinais, no número de membros da igreja. São filhos do “pai da mentira”.
3) Teste da humildade: Você precisa abençoar o pregador, pois isso é bíblico. Mas procure observar nas “entrelinhas da negociação”, se este pregador lhe trata com humildade. Mas não se esqueça, que o pregador tem direito de dizer o que ele precisa. A humildade não é percebida pela maneira que a pessoa se posiciona.
4) Teste dos sinais permanentes: Não queira apenas agitadores de massas. Muitos pregadores chegam na igreja, sacodem a alma do povo, geram emoções, motivações, mas quando vão embora, as “luzes espirituais” se apagam. Procure frutos que permaneçam.
5) Teste do mundo real: Cuidado com as pregações fantasiosas. Existem pessoas que pregam uma mensagem tão transcendente, que não serve de nada para o dia a dia do ouvinte.
 
6) Teste da transferência de unção: Antes de deixar o pregador colocar as mãos sobre a cabeça de seu rebanho, procure discerni-lo bem.
Se houver dúvidas, não deixe! Também é importante observar como a vida da pessoa está, dias depois da “imposição de mãos”.
Existem muitos pregadores que pregam uma coisa com a boca, mas transferem “outra coisa” na imposição de mãos.
7) Teste da ética: Cuidado com aqueles que dizem: “ … se Deus mandou eu falar, falo …”.
Muitos usam este argumento para falar o que querem, destruindo assim projetos e conceitos das igrejas que visitam. Se Deus tem algo para a igreja, primeiro ele vai confirmar no coração do pastor local.

Tenha cuidado com aqueles que entregam “revelações” no altar de sua igreja. Muitas “revelações” tornam-se cativeiros espirituais, pois quando faladas, geram “fé” no coração do ouvinte, mudando os rumos que Deus tem para o ouvinte.

domingo, 18 de março de 2012

O PERIGO DO VICIO DA PORNOGRAFIA



O vício da pornografia é agora comum entre adultos e é até mesmo um problema crescente para crianças e adolescentes. Poucos dos que são viciados conseguirão ajuda, e as consequências podem durar a vida inteira, de forma grave.
Numa conversa com um padre em minha diocese, compartilhei o relatório do meu diretor espiritual de que de cada duas confissões que ele ouve de homens, uma envolve o pecado da pornografia. A resposta do padre foi chocante: “Oh, é muito pior do que isso!” Desde então, essa triste realidade vem sendo confirmada por muitos outros: O pecado da pornografia está assolando os homens católicos.

A pornografia é agora mais popular do que o futebol. Aliás, se tornou o passatempo dos Estados Unidos, e estamos inundados de pornografia. A pornografia está em nossos computadores, em nossos smartphones e nossas TV a cabo ou satélite. É comum em nossos hotéis e até mesmo em muitos estabelecimentos comerciais e postos de gasolina. Para muitos homens — e cada vez mais, mulheres — é parte de suas vidas diárias.

Contudo, o ensino católico sobre o assunto é claro. O uso da pornografia é uma “ofensa grave”. O Catecismo da Igreja Católica declara: “A pornografia… é uma ofensa contra a castidade porque perverte o ato conjugal, a doação íntima dos cônjuges um para o outro. Provoca grave dano à dignidade de seus participantes (atores, vendedores, o público), pois cada um se torna um objeto de prazer vil e lucro ilícito para outros” (2354).

No livro A Vida de Cristo (Life of Christ), o arcebispo Fulton J. Sheen escreveu: “A pena para aqueles que vivem perto demais da carne é jamais entenderem o espiritual”. A pornografia explícita na internet oferece um oceano de perversão.

Leva a mente aonde jamais deveria ir, soltando suas amarras morais e deixando-a a deriva num traiçoeiro oceano de pecado. Esse é o destino trágico daqueles que se entregam à pornografia: Eles se acham só com suas imagens e um apetite insaciável por mais.

Embora seja assombroso para muitos, os usuários de pornografia acabam pondo a religião, o casamento, o trabalho e as amizades em segundo lugar depois de seu desejo por pornografia. Eles querem mudar, voltar à vida como era antes da pornografia, mas a maioria voltará e descerá muito mais. A Dra. Mary Anne Layden, diretora do Programa de Trauma Sexual e Psicopatologia do Centro de Terapia Cognitiva da Universidade da Pensilvânia, assemelha a pornografia ao crack. Num depoimento juramentado no Senado dos EUA em novembro de 2004, ela comentou: “Esse material é potente, viciador e fica permanentemente implantado no cérebro”.

Lamentavelmente, para o consumidor normal de pornografia, a confissão e contrição são geralmente insuficientes para se desprender da pornografia porque, como o vício das drogas, a pornografia não é só um mau hábito — é muitas vezes um vício.

Um desejo que não satisfaz
 
 
O vício da pornografia é agora comum entre adultos e é até mesmo um problema crescente para crianças e adolescentes. Poucos dos que são viciados conseguirão ajuda, e as consequências podem durar a vida inteira, de forma grave.

A força viciadora da pornografia é consequência de mudanças neuroplásticas de longa duração, às vezes permanentes, no cérebro. O psiquiatra Norman Doidge, autor do livro best-seller “O Cérebro que se Transforma” (The Brain That Changes Itself, Penguin, 2007), escreve: “A pornografia, ao oferecer um harém interminável de objetos sexuais, hiperativa o sistema apetitivo. Os que veem pornografia desenvolvem novos mapas em seus cérebros, com base nas fotos e vídeos que veem. Pelo fato de que se não exercitarmos nosso cérebro, ele ficará fraco, quando desenvolvemos uma área de mapa, ansiamos mantê-la ativada. Exatamente como nossos músculos se tornam impacientes para exercício se ficamos o dia inteiro sentados, assim também nossos sentidos têm fome de ser estimulados” (108).

Com a pornografia, em outras palavras, o sistema de prazer de nosso cérebro que excita nossos desejos é ativado, mas não há real satisfação. Isso explica a razão por que usuários conseguem passar horas sem fim fazendo busca por pornografia na internet.

Doidge comenta, além disso, que os que veem pornografia desenvolvem tolerâncias de modo que eles precisam de níveis cada vez mais elevados de estímulo. Por isso, eles muitas vezes avançam para pornografia mais explícita e pervertida. Mais de uma década atrás, Margaret A. Healy, professora adjunta da Escola de Direito da Universidade Fordham, e Muireann O’Brian, ex-diretora da organização Acabe com a Pornografia, Prostituição e Tráfico de Crianças (APPTC), observaram uma ligação entre pornografia adulta e infantil. Desde aquele tempo, grande número de autoridades policiais, em atividade ou aposentadas, notou que muitos consumidores de pornografia adulta acabam avançando para a pornografia infantil, ainda que não sejam pedófilos e não tivessem nenhum interesse em tal material no início. Essas descobertas explicam, em parte, a prevalência de pornografia infantil no mundo de hoje.

Ver pornografia muda a atitude do usuário para com o sexo, seu cônjuge e a sociedade. Ele ou ela usa fantasias sexuais para se estimular sexualmente, tenta fazer com que os parceiros imitem as cenas pornográficas, tem mais probabilidade de se envolver em assédio sexual ou agressão sexual, e vê o sexo como um privilégio casual, não íntimo e recreativo. Laydon e outros psicólogos clínicos relataram que, ironicamente, a disfunção erétil é comumente associada ao constante uso da pornografia entre os homens. Um dos motivos para isso é que a constante busca de imagens sexuais e masturbação que muitas vezes acompanha isso levam à insatisfação com o próprio cônjuge. Afinal, a esposa de um homem não consegue manter uma imagem que compita com as mulheres no mundo de fantasia dos vídeos e imagens pornográficos. O consumidor normal de pornografia se prepara para desapontamentos e desintegração quase certa de seu casamento.

O amor conjugal foi feito para ser uma entrega total de si para um parceiro permanente e fiel. É uma entrega confiante e abnegada. Em contraste, o sexo pornográfico é egoísta, degradante e mecânico. Em sua catequese sobre a teologia do corpo, o Papa João Paulo 2 frisou que existe uma “bondade moral” no casamento, que é a fidelidade. Essa bondade pode ser adequadamente alcançada apenas no relacionamento exclusivo de ambas as partes. Muitas pessoas não conseguem compreender essa bondade singular e se contentam com o excitamento temporário, pervertido e insatisfatório da pornografia.

Protegendo nossas crianças
 
 
Um pai tem o dever de proteger seus filhos da pornografia e uma obrigação sagrada de dar um exemplo de pureza para sua família. Que maior autoridade poderia um pai ter acerca dos danos da pornografia do que as palavras de Cristo? “Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.” (Mateus 5:28)

Se você se tornou consumidor de pornografia, faça a seguinte pergunta para você mesmo:

Será que sou o mesmo homem que prometeu fidelidade à minha esposa no dia do meu casamento? Não dá para se manter fidelidade se há consumo de pornografia. As esposas de consumidores de pornografia se sentem como se seus maridos estivessem cometendo adultério. Adultérios mentais são tão destrutivos quanto os adultérios do coração.

Os advogados que trabalham com divórcio relatam que há uma elevada correspondência entre consumo de pornografia e divórcios. Determinado estudo de 2004 na revista Social Science Quarterly com o título de “Adult Social Bonds and Use of Internet Pornography” (Vínculos Sociais Adultos e Uso de Pornografia de Internet) revelou que as pessoas que têm um caso extraconjugal tinham uma probabilidade três vezes maior de ter acessado a pornografia de internet do que as pessoas que não tinham casos. Além disso, aqueles que tiveram alguma experiência de sexo pago tinham uma propensão 3,7 maior de estar usando pornografia de internet do que aqueles que não tiveram.

Se você tem um hábito de pornografia, seus filhos poderão seguir seu hábito.

Muitos viciados em pornografia relatam que sua primeira exposição à pornografia foi quando descobriram a coleção de pornografia de seus pais, a qual os iniciou numa vida de confusão e exploração sexual. Uma pesquisa de 2006 do Centro Nacional de Crianças Desaparecidas e Exploradas revelou que 79 por cento dos jovens sofrem exposição indesejada à pornografia dentro de casa.

Para uma criança, a pornografia normaliza os danos sexuais, de acordo com a Dra. Sharon Cooper, pediatra da Universidade da Carolina do Norte. “As pesquisas mostram que o córtex pré-frontal — onde reside a capacidade de avaliar, o bom senso, controle de impulsos e emoções — só fica completamente maduro quando o jovem tem 20-22 anos de idade”, explicou ela. A introdução da pornografia no córtex pré-frontal do cérebro é, pois devastadora para as principais áreas do desenvolvimento de uma criança e pode provocar alterações que durarão a vida inteira. “Quando uma criança vê pornografia adulta… o cérebro dela a convencerá de que ela está realmente experimentando o que está vendo”, acrescentou Cooper. Em outras palavras, o que uma criança vê na pornografia é o que ela acredita que é a realidade.

Algumas crianças realmente procurarão imitar o que veem na pornografia e tentarão experiências com seus irmãos, parentes e amigos. Muitos estudos mostram que crianças expostas à pornografia iniciam a atividade sexual muito precocemente, têm mais parceiros sexuais e têm múltiplos parceiros num curto período de tempo. Um estudo de 2001 na revista Pediatrics também revelou que meninas adolescentes expostas a filmes pornográficos têm sexo mais frequentemente e têm um desejo forte de engravidar.

Há ajuda e esperança
 
 
Felizmente, há organizações, conselheiros e recursos que fornecem esperança para aqueles que sofrem dos efeitos destrutivos da pornografia em crianças, casamentos, relacionamentos e sociedade. Muitos que estão viciados — adultos e crianças igualmente — receberam ajuda por meio de aconselhamento ou instruções detalhadas online oferecidas por serviços de restauração.

Entretanto, é muito importante que cada pessoa e cada família faça uma checagem da realidade. Pergunte para você mesmo se você e sua família estão protegidos do flagelo da pornografia. Você exerce controle adequado do que seus filhos veem ou tem softwares de filtragem no computador de sua casa? O computador está numa área aberta de sua casa? Se você tem filhos, você já conversou com eles acerca do custo espiritual e social da pornografia?

Você tem canais pagos de satélite ou a cabo em sua TV que oferecem pornografia em pacotes normais?

Se você está vendo pornografia ou material indecente, você está prejudicando sua própria alma e talvez a alma de seus filhos e seu cônjuge. O aviso bíblico é sério: “Se teu olho te faz pecar, arranca-o” (Marcos 9:47) No mínimo, certifique-se de que seu computador em casa e no escritório tenha filtros e que você tenha um “companheiro a quem prestar contas” — talvez sua esposa ou um bom amigo — que tenha acesso ao seu computador e aos sites que você visita. Em conclusão, envolva-se na guerra contra a pornografia. Vale a pena lutar por você, sua família e sua nação.

Patrick A. Trueman é o presidente de Morality in Media. Membro do Conselho São Francisco Xavier 6608 em Buffalo, Minnesota, Trueman serviu como diretor da Seção de Exploração e Obscenidade Infantil da Divisão Criminal do Ministério da Justiça dos EUA, durante os governos dos presidentes Ronald Reagan and George H.W. Bush.

O Sucesso consiste em não fazer Inimigos


Max Gehringer

Nas relações humanas no trabalho, existem apenas 3 regras:

Regra número 1:


Colegas passam, mas inimigos são para sempre. A chance de uma pessoa se lembrar de um favor que você fez a ela vai diminuindo à taxa de 20% ao ano. Cinco anos depois, o favor será esquecido. Não adianta mais cobrar. Mas a chance de alguém se lembrar de uma
desfeita se mantém estável, não importa quanto tempo passe. Exemplo: Se você estendeu a mão para cumprimentar alguém em 1999 e a pessoa ignorou sua mão estendida, você ainda se lembra disso em 2009.

Regra número 2:


A importância de um favor diminui com o tempo, enquanto a importância de uma desfeita
aumenta. Favor é como um investimento de curto prazo. Desfeita é como um empréstimo de longo prazo. Um dia, ele será cobrado, e com juros.

Regra número 3:


Um colega
não é um amigo. Colega é aquela pessoa que, durante algum tempo, parece um amigo. Muitas vezes, até parece o melhor amigo. Mas isso só dura até um dos dois mudar de emprego. Amigo é aquela pessoa que liga para perguntar se você está precisando de alguma coisa. Ex-colega que parecia amigo é aquela pessoa que você liga para pedir alguma coisa, e ela manda dizer que no momento não pode atender.

Durante sua carreira, uma pessoa normal terá a impressão de que fez um milhão de amigos e apenas meia dúzia de inimigos. Estatisticamente, isso parece ótimo.
Mas não é! A 'Lei da Perversidade Profissional' diz que, no futuro, quando você precisar de ajuda, é provável que quem mais possa ajudá-lo é exatamente um daqueles poucos inimigos.
Muito cuidado ao tentar prejudicar um colega de trabalho; Amanhã ou depois você pode depender dele para alguma coisa!

Portanto, profissionalmente falando, e "pensando a
longo prazo, o sucesso consiste, principalmente, em evitar fazer inimigos. Porque, por uma infeliz coincidência biológica, os poucos inimigos são exatamente aqueles que têm "boa memória.

"Na natureza não existem recompensas nem castigos.
Existem consequências."

sexta-feira, 16 de março de 2012

A Idolatria do Consumismo e a Igreja

 

A agência Young & Rubicam da Grã-Bretanha realizou uma pesquisa da entre 45.444 jovens e adultos de 19 países sobre as marcas que mais influenciam nossas vidas. O resultado foi: Coca-Cola (35 milhões de unidades vendidas a cada hora), Disney, Nike, BMW, Porsche, Mercedes-Benz, Adidas, Rolls-Royce, Calvin Klein, Rolex e outras.
 
A tempos atrás,a Fitch, consultoria londrina de design, realçou o caráter "divino" dessas marcas famosas, assinalando que, aos domingos, as pessoas preferem o shopping ao culto ou à missa. Justificando sua afirmativa a Fitch apresentou dois exemplos estarrecedores: desde 1991, cerca de 12 mil pessoas celebraram núpcias nos parques da DisneyWorld, e estão virando moda os féretros da marca Halley, nos quais são enterrados os motoqueiros fanáticos em produtos Halley-Davidson.
 
É interessante notar que essas marcas estão sendo a nova religião. As pessoas se voltam para elas em busca de sentido para suas vidas. É como se essas marcas fornecessem o dinamismo necessário para transformar o mundo dessas pessoas, para preencher seus vazios existenciais, e de alguma forma amenizar seus sofrimentos.
 
A tese de que o consumo influencia em nossa maneira de viver não carece de lógica, Marx já havia denunciado a magia da mercadoria. As pessoas não querem apenas o necessário. E passam a buscar, venerar e mesmo adorar o supérfluo. A grande verdade é que o marketing, e a publicidade televisiva transformaram o supérfluo em necessário, e o necessário em supérfluo.

Uma Mudança de Paradígma

Por outro lado, há também um aspecto, que foi inconscientemente, distorcido nas relações humanas. Observe que antigamente o objeto de comércio era o intermediário na relação entre seres humanos. O esquema da relação era pessoa-mercadoria-pessoa. Atualmente esse esquema foi pervertido para mercadoria-pessoa-mercadoria. Se chego à uma festa de Mercedes meu valor é superior ao de quem vai em carro popular. Isso vale para o terno que uso ou para o anel que trago no dedo. Note que não sou eu, pessoa humana, que faço uso do objeto. É o produto, revestido de "magia", que me imprime valor, aumentando a minha cotação "no mercado das relações sociais". Se Descartes estivesse vivo hoje declararia: "Consumo, logo existo". Para os sacerdotes do mercado, fora do mercado não há salvação...

A Apropriação Religiosa do Mercado

José Saramago em sua obra "A Caverna" critica essa apropriação religiosa do mercado evidenciada nos shopping centers. Observe que quase todos shoppinng centers possuem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas. São os templos do deus mercado. Neles não se entra com qualquer traje, e sim com roupa do culto de domingo. Percorrem-se os seus claustros marmorizados ao som do "sacro" pós-moderno. Ali dentro tudo evoca o paraíso: não há mendigos nem pivetes, pobreza ou miséria. Com olhar devoto, o consumidor contempla as capelas que ostentam, em ricos nichos, os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas. Quem pode pagar à vista se sente no céu; quem recorre ao crediário, no purgatório; quem não dispõe de recurso, no inferno. Na saída, entretanto, todos se irmanam na mesa "eucarística" do McDonald's.
 
A Young & Rubicam comparou as agências de publicidade aos missionários que difundiram pelo mundo religiões como o cristianismo e o islamismo. "As religiões eram baseadas em idéias poderosas que conferiam significado e objetivo à vida", declarou o diretor da agência.

O Consumismo e as Novas Igrejas

Note o contraste: enquanto um produto cria apenas a ilusória sensação de que, graças a ele, temos mais valor aos olhos alheios. A fé cristã imprime sentido à vida na prática do amor. Contudo, o pecado original dessa nova "religião" é o egoísmo, ao contrário do cristianismo que é altruísta. Essa nova religião não favorece a solidariedade, e sim a competitividade; não faz da vida dom, mas uma posse (abrindo um parêntese não é mera coincidência aquele velho jargão "tome posse da benção"). E o que é pior, a nova religião acena com o paraíso na Terra e manda o consumidor para a eternidade completamente vazio e perdido.
 
O mais grave é que na religião do consumo não escapa nem o consumo da religião. Dentro desse conceito consumista, novas "igrejas" surgiram e surgem a cada dia se apresentando como um remédio miraculoso, capaz de aliviar dores e angústias, como se fossem um comprimido que podem ser adquirido em seus "shopping centers da fé". Suas publicidades e também seus "cultos" são dirigidos para "garantir" prosperidade e alegria a seus fiéis. Enquanto isso,
"Eles tem fome e não lhe dão de comer" (Mateus 25, 31-40).
Eles necessitam da verdadeira mensagem que pode dar sentido a suas pobres vidas, eles necessitam de comida... eles precisam de JESUS, o CRISTO...
 
Nesse embalo da "religião do deus consumo" os cultos são programados não para serem adoração em Espírito e em Verdade, mas para serem consumidos como entretenimento. O espírito de adorador é substituído pelo consumidor, a decência e ordem é substuída pelo atrativo das multidões, pela catarse, pela hipnose de massa. A ajuda do alto é trocada pela auto-ajuda.
 
Que o Verdadeiro Deus, o Eterno, nos dê o discernimento para que nossas igrejas continue a adorar em Espírito e em Verdade e jamais esqueçam que Decência e Ordem são partes inseparáveis da verdadeira adoração.
Por: Wilson Franklim

Pastor Ciro Zibordi critica Edir Macedo, R. R. Soares e Valdemiro Santiago: “não pregam o verdadeiro evangelho”

Pastor Ciro Zibordi critica Edir Macedo, R. R. Soares e Valdemiro Santiago: “não pregam o verdadeiro evangelho”
O pastor Ciro Sanches Zibordi publicou artigo em seu blog em que compara e crítica a teologia praticada por três grandes igrejas brasileiras, e seus respectivos líderes.

Referindo-se às igrejas Universal, Internacional da Graça e Mundial, Zibordi afirma que embora “conhecidas como evangélicas”, essas denominações “não têm pregado o verdadeiro Evangelho”.

Zibordi menciona a ligação que Edir Macedo, R. R. Soares e Valdemiro Santiago tem entre si, e diz que todos conseguiram muitos seguidores: “Os dois primeiros fundaram a primeira igreja, de abrangência universal. O segundo e o terceiro saíram da primeira. O mais rico (está entre os mais ricos do País!) tem um reino à sua disposição. O segundo mais rico é um milionário, quer dizer, um missionário cheio de graça, que prega, canta, conta piadas… E o terceiro vem suando bastante (a ponto de os fiéis recolherem o seu suor!) para demonstrar que a sua igreja tem muito poder”.

As críticas de Ciro Zibordi à mensagem bíblica pregada por eles são bastante pontuais, mencionando características de cada um: “Essas igrejas aparecem na mídia todos os dias e têm muitos seguidores, mas não pregam, como já disse, o verdadeiro Evangelho. A primeira prega o evangelho da prosperidade. A segunda, o evangelho triunfalista, à base de confissões positivas. E a terceira, o evangelho experiencialista e místico”, afirma o pastor assembleiano.

Ironizando os seguidores dessas igrejas, o pastor tipifica-os em três categorias de “interessereiros”: “Nessa ordem: interesseiras que frequentam cultos prioritariamente para se tornarem empresárias ou saírem de uma crise financeira; interesseiras que vão aos cultos para receberem curas, bens materiais ou soluções de problemas; e interesseiras que frequentam os cultos para receberem milagres. Jesus também era seguido por multidões de interesseiros. A diferença é que Ele pregava a verdade, o que fazia com que muitos deixassem de segui-lo (Jo 6.60-69)”, observa o pastor.

Confira abaixo, a íntegra do artigo “Quem está certo: o bispo universal, o missionário internacional ou o apóstolo mundial?” do pastor Ciro Zibordi:
Na atualidade, há três igrejas conhecidas como evangélicas que, apesar de terem Deus no nome, não têm pregado o verdadeiro Evangelho. Elas “arrastam” multidões. Pessoas se acotovelam para ouvir “outro evangelho”, e não o Evangelho (1 Co 15.1,2; 2 Co 11.3,4. Gl 1.6-12; 1 Tm 6.3,4).

Refiro-me a três grandes igrejas, cujos templos estão sempre lotados. A maior delas ainda não conquistou outros planetas, mas a sua meta é crescer em nível universal. A segunda maior também está em boa parte do globo terrestre; trata-se de uma igreja internacional. E a terceira também não deixa por menos. Conquanto menor do que as outras, já se considera mundial.

Estou falando de três líderes carismáticos, telepregadores muito bem-sucedidos em seus negócios. Os dois primeiros fundaram a primeira igreja, de abrangência universal. O segundo e o terceiro saíram da primeira. O mais rico (está entre os mais ricos do País!) tem um reino à sua disposição. O segundo mais rico é um milionário, quer dizer, um missionário cheio de graça, que prega, canta, conta piadas… E o terceiro vem suando bastante (a ponto de os fiéis recolherem o seu suor!) para demonstrar que a sua igreja tem muito poder.

Essas igrejas aparecem na mídia todos os dias e têm muitos seguidores — você pode ser um deles! —, mas não pregam, como já disse, o verdadeiro Evangelho. A primeira prega o evangelho da prosperidade. A segunda, o evangelho triunfalista, à base de confissões positivas. E a terceira, o evangelho experiencialista e místico.

Os auditórios dessas igrejas, em geral, são formados por três tipos de pessoas, nessa ordem: interesseiras que frequentam cultos prioritariamente para se tornarem empresárias ou saírem de uma crise financeira; interesseiras que vão aos cultos para receberem curas, bens materiais ou soluções de problemas; e interesseiras que frequentam os cultos para receberem milagres. Jesus também era seguido por multidões de interesseiros. A diferença é que Ele pregava a verdade, o que fazia com que muitos deixassem de segui-lo (Jo 6.60-69).

Bem, a primeira igreja, de abrangência universal, contraria o que diz a Bíblia acerca do Reino de Deus, que “não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo” (Rm 14.17), ao priorizar a prosperidade material. Deus faz prósperos os seus filhos (Sl 1; 23; 37), mas um crente que só pensa em dinheiro e bens materiais está longe de agradar ao Senhor Jesus (Mt 6.19-21; 1 Tm 6.9,20; Ef 5.5).

A segunda igreja, de abrangência internacional, não prioriza a graça do Senhor Jesus, posto que promove um culto antropocêntrico, centrado nas necessidades humanas. As pessoas não frequentam os cultos primeiramente para adorar ao Senhor, e sim para receberem bênçãos, como se Deus fosse aquele bom velhinho do Pólo Norte… Deus abençoa o seu povo, mas o nosso culto deve ser cristocêntrico, isto é, em adoração e louvor a Cristo (1 Co 1.22,23; 2.1-5). A oração modelo não começa com “O pão nosso de cada dia nos dá hoje”, e sim: “Pai nosso que está nos céus, santificado seja o teu nome” (Mt 6.9).

Finalmente, a terceira igreja, de abrangência mundial, apresenta um culto aos milagres. Tudo gira em torno de sinais, prodígios, curas… Há problema nisso? Claro que sim! O Senhor Jesus, quando andou na terra, ficou o tempo todo curando os enfermos e fazendo milagres? Não! Ele ensinava, pregava e curava, nessa ordem (Mt 4.23; 11.1). Ele ensinou mais que pregou; e pregou mais que curou. Além disso, pregar o Evangelho não é pregar milagres, pois estes são o efeito da pregação do Evangelho (Mc 16.15-20). Por isso, na hierarquização que Deus estabeleceu para os dons do Espírito, milagres e curas aparecem depois de apóstolos, profetas e doutores (1 Co 12.28).

Qual é o líder que está com a razão, visto que estão se digladiando há algum tempo? O bispo universal, que só prega a teologia da prosperidade, não fazendo jus à definição bíblica de Reino de Deus? Ou o missionário cheio de graça, conhecido em âmbito internacional? Ou ainda o apóstolo mundial que faz da pregação de milagres o seu carro-chefe, deixando de pregar o Evangelho pleno, composto de promessas, mandamentos e princípios?

Enquanto os aludidos bispo, missionário e apóstolo disputam para ver quem é o melhor, sigamos o Bom Pastor, o nosso Senhor Jesus Cristo (Jo 10.11,27,28). Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida (Jo 14.6).
Amém?
Fonte: Gospel+

Biblioteca Nacional de Israel diponibiliza manuscritos teológicos de Isaac Newton


Biblioteca Nacional de Israel diponibiliza manuscritos teológicos de Isaac Newton
 


Conhecido por seus estudos científicos que revolucionaram a Física, a Matemática e a Astronomia nos séculos XVII e XVIII, Isaac Newton era também um estudioso em um campo de conhecimento que não o deu tanta visibilidade na história: a teologia.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
 
Além de estudos conhecidos como as três leis do movimento, que são a base dos estudos da mecânica e levam seu nome, Newton deixou uma grande coleção de escritos sobre teologia. Como teólogo ele aplicou a abordagem científica ao estudo das Escrituras e do misticismo hebreu e judeu.

O legado teológico do cientista britânico está reunido em uma coleção de cerca de 7.500 páginas escritas a mão. Essa coleção pertence à Biblioteca Nacional de Israel que, de acordo com a Associated Press, digitalizou todo essa material e o disponibilizou online. Os textos abordam assuntos como interpretações da Bíblia, teologia, a história de culturas antigas, o tabernáculo e o templo judeu. Entre estes textos está a famosa previsão de Newton do apocalipse em 2060, que ele teria calculado com base em informações coletadas no Livro de Daniel.

De acordo com o curador da coleção de Ciências Humanas da Biblioteca Nacional de Israel, Milka Levy-Rubin, Newton era um cristão devoto que abordou muito mais a Teologia do que a Física, e que acreditava que a Bíblia fornecia um “código” para o mundo natural. O curador afirma também que, diferente da forma com que fazemos distinção entre essas áreas hoje, ciência e fé “para Newton era tudo parte de um mesmo mundo”. “Ele acreditava que o estudo cuidadoso dos textos sagrados era um tipo de ciência, que se analisado corretamente poderia prever o que estava por vir”, completou o curador.

Esses textos se tornaram propriedade da biblioteca israelense de uma maneira, no mínimo, curiosa: Anos após a morte de Newton em 1727, seus descendentes doaram seus manuscritos científicos à sua alma mater, a Universidade de Cambridge. Porém a universidade rejeitou os seus manuscritos não científicos, que foram leiloados na casa de leilões Sotheby’s em Londres em 1936. Como outra casa de leilões famosa de Londres, a Christie’s, estava oferecendo uma coleção de arte impressionista que chamou muito mais atenção, apenas dois lançadores sérios se interessaram pela coleção de Newton naquele dia. Os escritos teológicos foram arrematados por Abraham Shalom Yahuda, um pesquisador de estudos orientais judaicos.

A coleção de Yahuda foi legada à Biblioteca Nacional de Israel em 1969, anos após sua morte. Em 2007, a biblioteca exibiu os papeis pela primeira vez, e agora elas estão disponíveis para todos online.
Levy-Rubin afirma que os textos mostram que “no que diz respeito a Newton, sua abordagem da História era tão ciência quanto à da Física. Sua visão de mundo era que o seu ‘laboratório’ para entender a história era a Bíblia”. O curador disse ainda que, para Newton, “sua fé não era menos importante para ele do que sua ciência”.

Fonte: Gospel+

quinta-feira, 15 de março de 2012

A apostasia e neopentecostalização das Igrejas históricas.

Volta e meia eu recebo emails, facebooks e twitters de irmãos, membros de igrejas históricas afirmando que suas igrejas saíram do marasmo espiritual e que pela graça de Deus estão vivenciando um grande e significativo avivamento. Segundo estes, os sinais que confirmam o derramamento do Espírito Santo são sobrenaturais, como louvor profético, revelações extraordinárias, quebra de maldições hereditárias, libertação de espíritos territoriais, dentes de ouro, enriquecimento pessoal e muito mais.


Sei da história de gente que por acreditar que estava debaixo de um grande e genuíno avivamento judaizou a fé, instituiu levitas, ordenou apóstolos, derramou de um helicóptero óleo ungido em uma favela do Rio de Janeiro, fez voto de nazireu raspando a cabeça, enterrou Bíblias nos extremos do Brasil, determinou o fim do pecado através de decretos espirituais, criou novas doutrinas fundamentadas em experiências místicas e muito mais.

Certa feita fui pregar numa igreja histórica que por razões diversas manifestou em sua liturgia todo tipo de confusão teológica. Se não bastasse a ênfase judaizante do culto, percebi também que a igreja em questão havia relativizado as Escrituras em detrimento a paganização da fé. Nesta perspectiva, os intercessores tiveram suas mãos ungidas pelo pastor para que pudessem repreender qualquer espírito maligno que porventura se manifestasse naquele lugar. Para piorar a situação, as canções entoadas pelo ministério de música eram extremamente confusas, cujas letras eram sofríveis, burrificadas e desprovidas de saúde teológica.

Em uma outra e famosa igreja histórica ao chegar ao templo deparei-me com o cartaz que dizia: "Venha participar da corrente das portas abertas! Ore conosco por sete semanas e experimente milagres em sua vida cristã". Numa terceira igreja, o pastor orgulhosamente afirmou: Extingui o conselho da minha igreja! Agora sou livre para ouvir as orientações de Deus e conduzir a minha comunidade segunda a vontade do Espírito Santo! Pois é, nesta perspectiva, o culto desta igreja, tornou-se mistico e irracional onde gritarias histéricas se transformaram na marca principal de uma igreja que abandonou nas prateleiras do gabinete pastoral as Sagradas Escrituras.

Falando em pastor, não são poucos os pastores de igrejas históricas que piraram de vez! Há pouco soube de um que abandonou as Escrituras em virtude da psicologia e que acredita que a psicanalise é a melhor maneira de ajudar o membro de sua igreja a superar os dilemas da vida. Soube de outro que preferiu dar ouvidos aos ensinos maniqueístas instituindo cultos de batalha espiritual onde demônios recebem nomes e a cidade é mapeada, isto sem falar naqueles que andam de congresso em congresso buscando revelações escalafobéticas para fazerem as suas igrejas crescerem.

Pois é, senão bastasse isso, a Igreja Presbiteriana de Londrina, protagonizou cenas de fazer inveja a qualquer igreja neopentecostal. O pastor em um ato profetico, ordenou a igreja a declarar sete vezes a seguinte frase: "Caiam por Terra todas as muralhas que satanás tem levantado contra a minha vida." Ao final da declaração "profética" as muralhas artificiais caíram no chão em meio piroctenia gospel. (veja vídeo abaixo)
Caro leitor, diante disto ouso afirmar que um número incontável de igrejas históricas se perderam no meio do caminho. Lamentavelmente boa parte destas que deveriam ser proclamadoras das verdades bíblicas abraçaram o neopentecostalismo, jogando na lata do lixo doutrinas fundamentais e indispensáveis a fé cristã.

A conseqûencia direta disto é a proliferação de heresias cuja disseminação tem produzido a apostasia e o esfriamento espiritual de um número incontável de pessoas que dia após a dia se distanciam das Sagradas Escrituras.
Pois é, diante do quadro pintado pelos artistas da apostasia neopentecostal, como também pelos pintores da teologia liberal, sou tomado pela convicção deas igrejas históricas mais do que nunca precisam priorizar as Escrituras, abandonando ao relento ensinos e doutrinas antagônicos a Palavra de Deus.

Isto posto me sirvo das palavras do Principe dos Pregadores, Charles Haddon Spurgeon que costumava dizer: "Eu quero um avivamento das antigas doutrinas. Não conhecemos uma doutrina bíblica que, no presente, não tenha sido cuidadosamente prejudicada por aqueles que deveriam defendê-la. Há muitas doutrinas preciosas às nossas almas que têm sido negadas por aqueles cujo ofício é proclamá-las. Para mim é evidente que necessitamos de um avivamento da antiga pregação do evangelho, tal como a de Whitefield e de Wesley. As Escrituras têm de se tornar o infalível alicerce de todo o ensino da igreja; a queda, a redenção e a regeneração dos homens precisam ser apresentadas em termos inconfundíveis."

Caro amigo, se a igreja deseja vivenciar um avivamento em terras tupiniquins mais do que nunca necessita regressar à Palavra de Deus, fazendo dela sua única regra de fé, prática e comportamento, até porque, somente assim conseguirá corrigir as distorções evangélicas que tanto nos tem feito ruborizar.

Soli Deo Gloria,

Renato Vargens